ACOMPANHE-NOS    
AGOSTO, QUARTA  10    CAMPO GRANDE 13º

Cidades

Em um mês, Estado já emitiu quase 3 mil novas CNHs a motoristas

Atualização para novo documento não é obrigatória, mas novos condutores já terão a CNH com alterações

Por Guilherme Correia | 03/07/2022 09:45
Motorista exibe nova CNH, emitida primeiro em MS. (Foto: Governo de MS)
Motorista exibe nova CNH, emitida primeiro em MS. (Foto: Governo de MS)

De acordo com o Detran (Departamento Estadual de Trânsito), Mato Grosso do Sul emitiu 2.850 novas CNHs (Carteiras Nacionais de Habilitação) no mês passado. Desde 1º de junho, o Estado é o pioneiro na emissão do documento atualizado, com alterações em relação à carteira antiga.

Quem já possui a CNH emitida e válida, não precisa se preocupar. O documento na versão atual continuará válido, mas caso o condutor queira ter o documento no novo modelo, poderá solicitar a segunda via, mediante recolhimento das taxas de serviço.

A validade também segue a mesma, conforme determinação publicada em 12 de abril de 2021. Ela tem de ser renovada a cada 10 anos para motoristas com menos de 50 anos, cinco para cidadãos de 50 a 69 anos e três para condutores com 70 anos ou mais.

Segurança - Segundo o secretário nacional de Trânsito, Frederico Carneiro, o novo documento incorpora elementos gráficos que vão dificultar falsificações e fraudes, o que o torna ainda mais seguro. Além disso, há incorporação de tabela com categorias e subcategorias de habilitação, permitindo que o condutor seja facilmente identificado fora do Brasil.

Frederico destaca ainda que a nova habilitação está mais moderna, trazendo nome social e a filiação afetiva do condutor se ele assim desejar. “Nosso objetivo é trazer mais facilidade para a vida do cidadão brasileiro”, finalizou.

Documento trará novos elementos de identificação e segurança. (Foto: Reprodução/Conatran)
Documento trará novos elementos de identificação e segurança. (Foto: Reprodução/Conatran)

Em publicação no site oficial de notícias do Detran, a diretora de Habilitação Lina Issa Zeinab ressaltou que a mudança segue a resolução 886/2021 do Contran (Conselho Nacional de Trânsito). As cores aplicadas no documento serão predominantemente verde e amarelo e a assinatura do motorista fica logo abaixo da foto.

O formato das categorias segue o padrão internacional, o que facilita a identificação por países signatários da Convenção de Viena. Na tabela deverão constar as categorias para as quais o motorista está habilitado. Apesar da tabela apresentar subcategorias (A1, B1, C1, D1, C1E, D1E) , vale ressaltar que as categorias de CNHs nacionais não serão alteradas.

A indicação de CNH temporária ou definitiva será indicada no canto superior direito pela letra P ou D, respectivamente. O quadro de observações, que indica eventuais restrições médicas e se o condutor exerce atividade remunerada, ficará logo abaixo da tabela de categorias.

Nos siga no Google Notícias