A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 17 de Setembro de 2019

30/08/2019 12:32

Exchange do Bem oferece intercâmbio social em 3 continentes

A viagem envolve custos com transporte, orientação, hospedagem e alimentação. São mais de 70 projetos em 14 Países

Viviane Oliveira
Sandra Santos explica como funciona a Exchange do Bem (Foto: Thiago Mendes) Sandra Santos explica como funciona a Exchange do Bem (Foto: Thiago Mendes)

Há três anos, a Exchange do Bem, empresa de intercâmbio social, foi criada para quem deseja realizar trabalho social no exterior e no Brasil. São mais de 70 projetos em 14 países nas Américas, África e Ásia. “Quem procura a gente não quer um turismo convencional. Quer aproveitar as férias para fazer trabalho voluntário”, explicou uma das diretoras da agência, Sandra Santos.

Para participar, o voluntário tem que escolher o destino, o período e o projeto que deseja ajudar. A viagem envolve custos com transporte, orientação, hospedagem e alimentação. “O valor do programa varia do tempo de voluntariado e do projeto escolhido”, informou Sandra. A diretora acrescenta que alguns dos projetos estão em locais turísticos, porém o mais importante é o trabalho voluntário - se doar e ajudar naquilo que tem habilidade. 

A duração da viagem vai de duas semanas a seis meses. Do total de voluntários, 85% são mulheres com idades de 24 a 32 anos. Porém, tem voluntários de 60 e 70 anos, que depois da experiência se engajaram com as causas sociais e começaram a ajudar nas próprias comunidades.

Os projetos que fazem parte do programa são de proteção aos animais, empoderamento feminino, proteção à infância, saúde, esportes e fortalecimento da comunidade."Hoje já estamos presentes em vários países, com programas espalhados pelo mundo”, comentou Sandra. Entre junho e julho deste ano mais de 80 voluntários viajaram com a Exchange do Bem.

Em português - A empresa está em processo de expansão da rede de projetos no Brasil também. “Queremos ter projetos nas cinco regiões do País. Nossa missão é fomentar o voluntariado", pondera. "No Canadá, por exemplo, as crianças aprendem a fazer o trabalho social desde cedo. Lá, as crianças só vão para o 6º ano depois de cumprirem uma carga horária de voluntariado. O mesmo acontece nos Estados Unidos", contou.

Interessado em informações sobre as atividades, valores e o que está incluído, datas e descrição dos projetos pode acessar o site: http://exchangedobem.com. A empresa também tem sede física em São Paulo e Porto Alegre. Além de Sandra, os outros dois diretores da Exchange do Bem trocaram carreiras em multinacionais para criar empresa de intercâmbio social depois de experiências com o trabalho social. O nome da empresa significa troca de gentilezas. 

imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions