ACOMPANHE-NOS    
MAIO, SÁBADO  21    CAMPO GRANDE 17º

Cidades

Fila do SUS ditará ritmo de andamento da Caravana, diz secretário

Geraldo Resende explicou que programa pretende acabar com demanda represada na pandemia

Por Adriel Mattos e Jhefferson Gamarra | 02/12/2021 14:26
Secretário de estado de Saúde, Geraldo Resende. (Foto: Paulo Francis)
Secretário de estado de Saúde, Geraldo Resende. (Foto: Paulo Francis)

O secretário de estado de Saúde, Geraldo Resende, disse na tarde desta quinta-feira (2) que a Caravana da Saúde vai atender quem já está na fila do SUS (Sistema Único de Saúde). Edições anteriores realizavam procedimentos por demanda espontânea, mas esta focará na demanda represada pela pandemia de covid-19.

“Cada cidade tem sua regulação, então serão atendidos os pacientes que já estão na fila. No Opera MS, são pacientes que já passaram por consulta e exames e estavam aguardando apenas a cirurgia, que por exemplo foram cancelados pela pandemia. No Examina MS, são pessoas que esperam exames de alta e média complexidade que também serão encaminhadas”, explicou.

Dessa forma, o cidadão será chamado conforme a ordem de classificação na fila do SUS. “A partir de amanhã [sexta-feira, 3] começa oficialmente e o paciente será comunicado quando chegar sua vez,  mas em alguns municípios começou hoje. Por isso tem que ter o cadastro atualizado e procurar a unidade de saúde”, frisou Resende.

Dentro da caravana, haverá duas modalidades. O Examina MS deve realizar 55 tipos de exames médicos por meio do SUS (Sistema Único de Saúde). Serão 33 mil diagnósticos de média e alta complexidade, ao todo, a partir de investimento de R$ 20 milhões.

Já o Opera MS deve realizar 5,4 mil cirurgias por mês em 34 hospitais credenciados para participar do projeto em vários municípios do Estado. Ao todo, há 70.009 procedimentos já previstos pelo Governo para serem realizados em 13 meses de trabalho.

Nos siga no Google Notícias