ACOMPANHE-NOS    
JULHO, SEGUNDA  26    CAMPO GRANDE 23º

Cidades

Governo discute barreiras e aumento de efetivo para fiscalizar decreto

Comissão de Controle Sanitário vai se reunir no fim da manhã para bater martelo sobre assunto

Por Ana Oshiro | 26/03/2021 10:21
Comércio é fechado e atividades são restringidas por decreto estadual (Foto: Kisie Ainoã)
Comércio é fechado e atividades são restringidas por decreto estadual (Foto: Kisie Ainoã)

Nesta sexta-feira (26) o governo de Mato Grosso do Sul vai debater sobre o aumento do efetivo da PM (Polícia Militar), e das barreiras sanitárias, para melhorar a fiscalização do decreto estadual 15.638, que entrou em vigor hoje, restringindo diversas atividades no Estado, como forma de combate à pandemia do novo coronavírus.

De acordo com a Sejusp (Secretaria Estadual de Justiça e Segurança Pública), a reunião vai acontecer, mas ainda não tem horário definido, já que os membros da CCS querem a presença do governador Reinaldo Azambuja para discutirem e definirem juntos as possíveis mudanças. A expectativa é que a reunião seja feita de forma online, entre o fim da manhã e começo da tarde desta sexta.

A fiscalização, sobre o cumprimento das medidas restritivas impostas pelo decreto, cabe à prefeitura de cada cidade, mas conta com o apoio da força policial do Estado, por isso o aumento do efetivo será discutido.

Em Campo Grande, a GCM (Guarda Civil Metropolitana) também auxilia na fiscalização, mas procurado pelo Campo Grande News, a assessoria não informou se haverá um novo reforço no efetivo, mas garantiu que o número de guardas já foi ampliado no início da semana, por conta da fiscalização do decreto municipal que está em vigor até o próximo domingo (28).

Restrições - O decreto estadual tem validade até 4 de abril e mantém o toque de recolher das 20h às 5h de segunda a sexta-feira e das 16h às 5h aos sábados e domingos. O texto restringe atividades permitidas às consideradas essenciais, elencadas em 45 itens (veja a relação completa no fim da matéria).

O decreto permite, por exemplo, atividades religiosas, desde que não haja aglomeração. Mas bancos só podem atender presencialmente para pagamento de aposentados e auxílios.

A medida foi tomada depois de divulgação da análise do Programa Prosseguir, que monitora a situação da covid-19 no Estado, indicando que quatro cidades, Campo Grande, Costa Rica, Bela Vista e Aral Moreira, estão em risco extremo para contágio pelo novo coronavírus.

Campo Grande News - Conteúdo de Verdade


Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário