ACOMPANHE-NOS    
JANEIRO, QUINTA  27    CAMPO GRANDE 26º

Cidades

Herança da covid, MS terá 164 novos leitos de UTI

Em 2022, só a Capital ganhará 29 leitos intensivos, sendo 19 no Hospital Regional e 10 no Hospital do Pênfigo

Por Lucia Morel | 29/11/2021 17:45
Leito de UTI instalado no Hospital Regional em Campo Grande. (Foto: Governo de MS)
Leito de UTI instalado no Hospital Regional em Campo Grande. (Foto: Governo de MS)

Se há lado bom da pandemia do novo coronavírus, a manutenção de infraestrutura de assistência à saúde pode ser um deles. De centenas de leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva) que foram habilitados durante os piores períodos da infecção, 164 vão continuar no Estado, e melhor, atendendo municípios que não contavam com vagas intensivas.

Publicação da semana passada do Diário Oficial do Estado, Resolução 264 da CIB (Comissão Intergestores Bipartite) da SES (Secretaria de Estado de Saúde) homologou a proposta que deve ser definida amanhã, sem falta, pelos municípios, para que então, pedido de custeio seja encaminhado ao Governo Federal.

Somente em Campo Grande, serão novos 29 leitos de UTI, sendo 19 no Hospital Regional Rosa Pedrossian e 10 no Hospital Adventista do Pênfigo. Todos de UTI adulto geral, que até então, são usados para atender pacientes graves de covid-19.

Mas o município com maior número de habilitações é Três Lagoas, com 35 ao todo, sendo 10 leitos de UTI neonatal no Hospital Nossa Senhora Auxiliadora; 15 de UTI adulto no futuro Hospital Regional da cidade, ainda em construção; e cinco de UTI pediátrica e cinco de UTI coronariana também no HR.

(Fonte: Diário Oficial)
(Fonte: Diário Oficial)

Corumbá e Nova Andradina também serão contemplados com 20 UTIs cada um: 10 para atendimento geral de adultos e 10 neonatais. Amambai, Costa Rica, Coxim, Naviraí, Paranaíba e Ponta Porã estão na lista nos beneficiados, conforme quadro nesta página.

Presidente do Cosems (Conselho Estados dos Secretários Municipais de Saúde), Rogério Leite, informou que pedido de custeio desses leitos já foi encaminhado ao Ministério da Saúde e aguarda resposta.

“O que nós não queremos é que retirem esses leitos, gostaríamos muito que Estado e União possibilitassem a manutenção desses leitos, mesmo que não seja só para covid, mas para consolidar essa estrutura ofertada de alta complexidade”, disse.

Dados da plataforma Mais Saúde da SES indica que MS tem 671 vagas de UTI e mais 143 que atualmente são destinadas á covid-19.

UTI neonatal – Serão 30 UTIs neonatais criadas a partir dos leitos de covid-19 desabilitados, ampliando uma rede que é escassa e deficitária em Mato Grosso do Sul. Com frequência, há falta de vagas para recém-nascidos sejam eles prematuros ou não e que precisam de cuidados intensivos.

A rede particular com frequência precisa de vagas do SUS (Sistema Único de Saúde), porque não conta com uma boa estrutura. Para se ter uma ideia, somente na Capital, são 44 leitos de UTI neonatal pelo SUS e estima-se que haja outros 30 pela iniciativa privada (Capital e interior).

Com as vagas ex-covid, Corumbá, Nova Andradina e Três Lagoas, que não contavam com essa estrutura, passarão a ter. Estima-se que até abril de 2022, todos os 164 leitos de UTI citados nesta matéria estejam já atendendo nas áreas específicas.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário