ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
FEVEREIRO, SÁBADO  24    CAMPO GRANDE 24º

Cidades

Mortes em confrontos refletem eficácia do serviço de inteligência, avalia Choque

Mortes causadas por policiais aumentaram 340% no primeiro semestre de 2023 em comparação com 2022

Por Jhefferson Gamarra | 04/12/2023 17:07
Local onde usuário de droga morreu em suposto confronto com o Batalhão de Choque (Foto: Alex Machado)
Local onde usuário de droga morreu em suposto confronto com o Batalhão de Choque (Foto: Alex Machado)

No cenário nacional, Mato Grosso do Sul desponta como líder no crescimento no número de mortes de suspeitos causadas por policiais, com um aumento de 340% no primeiro semestre de 2023 em comparação ao mesmo período de 2022. Os dados, divulgados pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública e detalhados pela Folha de São Paulo, colocam o Estado à frente de Santa Catarina, que apresentou um crescimento de 115%.

Comandante do Batalhão de Choque da Polícia Militar, tenente-coronel Rigoberto Rocha da Silva, destaca que o expressivo aumento nas estatísticas reflete, na verdade, uma melhoria significativa no serviço de inteligência da corporação. Segundo o militar, a capacidade de identificar suspeitos e chegar rapidamente ao local do crime durante sua ocorrência é um fator determinante para o aumento aparente nas ações policiais.

Comandante do Batalhão de Choque da Polícia Militar, tenente-coronel Rigoberto Rocha da Silva (Foto: Alex Machado)
Comandante do Batalhão de Choque da Polícia Militar, tenente-coronel Rigoberto Rocha da Silva (Foto: Alex Machado)

“Isso é fruto de inteligência e tecnologia, aplicadas de uma forma mais coordenada no nosso policiamento desenvolvido pela nossa central. Então, a tendência de ter o policial no local onde vai acontecer um crime aumenta bastante, tudo isso com investimentos, que a gente espera que continue nos próximos anos”, relatou o comandante.

Embora as estatísticas possam ser interpretadas de maneiras diversas, a perspectiva da Polícia Militar é que o aumento nas mortes causadas por ações policiais é consequência direta da melhoria na capacidade de resposta diante da criminalidade, colocando militares capacitados frente a frente com os criminosos.

“Claro que a Polícia Militar e qualquer cidadão não querem esse desfecho, todos queremos o criminoso preso pagando pelos seus crimes, a Polícia Militar não é diferente, ledo engano se alguém pensa ao contrário. Mas é lógico que quando o policial está de frente para um criminoso durante um roubo e percebe o crime em andamento, a possibilidade de confronto aumenta consideravelmente”, explicou o comandante.

De acordo com os dados do Fórum, nos primeiros 6 meses do ano passado, 45 pessoas perderam a vida devido a ações policiais em serviço, distribuídas entre 12 óbitos pela Polícia Civil e 33 pela Polícia Militar. No mesmo período de 2023, conforme informações da Sejusp (Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública), esse número já atinge 113 mortes.

Ao longo deste ano, novembro consta como o mês com maior número de mortes atribuídas a confrontos com policiais, sendo 19 registros, seguido de fevereiro, com 17 ocorrências. O último caso registrado envolveu uma situação de violência doméstica, em que policiais foram chamados até o Jardim Canguru e um homem identificado como Jean acabou alvejado com dois tiros. A informação divulgada foi que ele conseguiu pegar a arma de um dos agentes, após ameaçar a companheira com faca.

Receba as principais notícias do Estado pelo Whats. Clique aqui para acessar o canal do Campo Grande News.

Nos siga no Google Notícias