ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
FEVEREIRO, TERÇA  20    CAMPO GRANDE 27º

Cidades

MS quebra recorde de internados por covid pela 3ª vez em menos de 1 semana

São 725 pacientes hospitalizados por conta do coronavírus em hospitais públicos e privados do Estado

Guilherme Correia | 09/03/2021 10:38
Em live "extra" feita nesta manhã, o titular da SES anunciou mortes por covid-19 (Foto: Reprodução)
Em live "extra" feita nesta manhã, o titular da SES anunciou mortes por covid-19 (Foto: Reprodução)

Boletim epidemiológico aponta que há 725 pacientes internados com a covid-19 em leitos clínicos ou de terapia intensiva de hospitais públicos ou privados de Mato Grosso do Sul. Até esta terça-feira (9), esse é o maior índice já registrado desde o início da pandemia.

Eram 712 internados por covid-19 na última sexta-feira (5), recorde até então. Bastou menos de três dias para o governo estadual dizer que, no domingo (8), havia 724 hospitalizados. Ou seja, em menos de uma semana, a quantidade de hospitalizações pelo coronavírus quebrou o recorde três vezes.

"Vivemos o pior cenário da epidemia no País e no Mato Grosso do Sul. Hoje atingimos o topo, durante todo o incio da pandemia, em internações hospitalares. Temos 725 sul-mato-grossenses internados", anunciou o secretário estadual de Saúde, Geraldo Resende, durante coletiva nesta manhã.

Boletim atualizado A SES (Secretaria Estadual de Saúde) também informa que, são 22 óbitos registrados apenas nas últimas 24 horas, o que eleva o total de mortes para quase 3,5 mil, além de 884 infectados. Na última semana, a média tem sido de 20,1 mortes por dia.

Outro índice que preocupa é a "taxa de contágio", que indica tendência de quantos novos infectados pela doença serão registradas no dia seguinte. Atualmente, está em 1,02 - ou seja, para cada 100 infectados hoje, amanhã provavelmente serão 102 novos. "Nós que já atingimos 0,92 há poucos dias atrás, hoje estamos com 1,02. É um crescimento acelerado da doença", completou Resende.

Nos siga no Google Notícias