ACOMPANHE-NOS    
JULHO, SEGUNDA  06    CAMPO GRANDE 29º

Cidades

Polícia alerta para aumento do consumo de pornografia infantil durante pandemia

Durante ação realizada nesta quinta-feira (28), quatro homens foram presos e 50 gigas de arquivos do tipo apreendidos

Por Maressa Mendonça e Liniker Ribeiro | 28/05/2020 17:18
Delegada Marília de Brito, titular da DEPCA (Delegacia Especializada de Proteção a Criança e ao Adolescente) (Foto: Paulo Francis)
Delegada Marília de Brito, titular da DEPCA (Delegacia Especializada de Proteção a Criança e ao Adolescente) (Foto: Paulo Francis)


Aumento significativo na busca por pornografia infantil foi constatado pela Polícia Civil durante o período de pandemia do coronavírus em que as pessoas estão permanecendo mais tempo em suas casas. A informação foi dada pela da delegada Marília de Brito, titular da Depca (Delegacia Especializada em Proteção à Criança e ao Adolescente) ao comentar o resultado da operação “Dep Caught”.

De acordo com a delegada, durante ações realizadas, nesta quinta-feira (28), em Campo Grande, Jardim e Bonito foram apreendidos 50 gigas de arquivos que serão analisados pelos investigadores. Deste total, 30 na Capital e outros 20 no interior.

“Percebemos um aumento desses acessos nesse período em que há necessidade de ficar em casa e isto fomentou a investigação dos casos para coibir essa prática”, declarou Marília. As investigações começaram há quatro meses e resultaram no cumprimento de 6 mandados de busca e apreensão e quatro prisões em flagrante.

A polícia prendeu um professor de matemática de 35 anos, agente patrimonial, 41, técnico de telecomunicações, de 29 anos e estudante de gestão comercial, de 32 anos. Este foi liberado após pagar fiança no valor de R$ 4 mil.

Conforme a delegada, eles serão indiciados com base no artigo 241b do ECA (Estatuto da Criança e do Adolescente) que prevê pena de 1 a 4 anos de reclusão pelo armazenamento deste tipo de conteúdo, de 3 a 6 pelo compartilhamento e de 4 a 8 pela produção.