A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 20 de Outubro de 2019

21/08/2019 21:28

Reinaldo cita parceria com Ibama e cobra “consciência” contra incêndios

Governador pede que população ajude para evitar o surgimento de queimadas e torce por “ajuda” de São Pedro para dar fim a estiagem

Humberto Marques
Reinaldo afirma que já existe trabalho conjunto com o Ibama, porém, estiagem e ação humana favorecem surgimento de queimadas. (Foto: Paulo Francis)Reinaldo afirma que já existe trabalho conjunto com o Ibama, porém, estiagem e ação humana favorecem surgimento de queimadas. (Foto: Paulo Francis)

Em meio a um volume de incêndios que coloca Mato Grosso do Sul entre os líderes nacionais de queimadas –e que, apenas no Pantanal, já consumiram 2,5 mil hectares desde o fim de julho–, o governador Reinaldo Azambuja (PSDB) afirma que parcerias com órgãos federais e a conscientização da população para evitar o uso do fogo para limpeza de terras são essenciais para conter o problema. Além, é claro, de torcer pelo fim do extenso período de estiagem.

“Temos parceria com o Ibama (Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e Recursos Naturais Renováveis) para combate a incêndios, mas isso é algo que se deve ao longo período de estiagem, talvez um dos mais longos que já enfrentamos. E não é um problema só de Mato Grosso do Sul: vários Estados têm sido focos de incêndios”, disse o governador na noite desta quarta-feira (21), momentos antes de solenidade para entrega de homenagens alusivas aos 120 anos de Campo Grande, no Centro de Convenções Rubens Gil de Camillo.

Segundo Reinaldo, é necessário neste momento “reforçar a parceria entre Ibama e bombeiros e pedir consciência da população. Muitos desses incêndios poderiam ser evitados, como na beira de rodovias, causados por pessoas que fazem uso do fogo”. Além disso, frisou, “é torcer para São Pedro mandar chuva para parar a estiagem”. A maior parte do Estado está há 36 dias sem registrar chuvas significativas.

Reportagens do Campo Grande News mostram que, neste ano, o Inpe (Instituto Nacional de Pesquisas Especiais) contabiliza mais de 14 mil focos de incêndio no Estado entre 1º e 18 de agosto, volume 275% superior a todo o registrado no mesmo período de 2018 (1.068 focos).

Apenas em Corumbá –a 419 km da Capital–, desde 26 de julho, incêndios consumiram 2,5 mil hectares de áreas, o equivalente a 3,5 mil campos de futebol. No leste, o fogo consumiu boa parte do Parque Nacional da Ilha Grande, entre Mato Grosso do Sul e o Paraná.

O Corpo de Bombeiros também registrou aumento de 27% no total de queimadas nas margens de rodovias no Estado, com 167 ocorrências entre 1º de janeiro e hoje, reduzindo a visibilidade e criando condições para acidentes.

imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions