ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
FEVEREIRO, TERÇA  20    CAMPO GRANDE 29º

Cidades

"Sua vagabunda": recenseadora do IBGE relata ameaça e vai à polícia

Mulher de 53 anos aplicava questionário no centro de Campo Grande e foi ameaçada; ela procurou a Polícia Civil

Silvia Frias | 13/10/2022 11:22
Recenseadores enfrentam dificuldade em aplicar questionários. (Foto/Arquivo: Henrique Kawaminami)
Recenseadores enfrentam dificuldade em aplicar questionários. (Foto/Arquivo: Henrique Kawaminami)

Recenseadora de 53 anos registrou boletim de ocorrência após ser ameaçada e xingada por homem que respondia às perguntas do Censo 2022, ontem, no centro de Campo Grande. “Você não tem o que fazer, sua vagabunda?”, seria uma das frases ditas por ele.

O caso aconteceu ontem, por volta das 11h30, na Rua Barão do Rio Branco.  A recenseadora do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) relata que estava aplicando o questionário na casa do homem. Em certo momento, ele a questionou e a xingou. Em seguida, ele falou para que não voltasse ao local, “pois iria se arrepender”.

Ele teria continuado a falar: “vagabunda, você não volte mais aqui” e ainda cuspido em direção da mulher. O homem enviou áudios com ofensa no DMC (Dispositivo Móvel de Coleta), celular usado para fazer a pesquisa e que tem WhatsApp.

A mulher disse que teme pela sua integridade e se comprometeu a levar os áudios até a delegacia.

A reportagem entrou em contato com o IBGE. A informação repassada é que os casos são encaminhados à Polícia Federal, que é quem conduz a investigação, por se tratar de agente público federal. O instituto alega não ser informado sobre o desenvolvimento da investigação e presta auxílio aos recenseadores.

Risco - Os recenseadores estão enfrentando dificuldades para aplicar os questionários no País. Em Campo Grande, há registro de dois roubos ocorridos em agosto, na Vila Belo Horizonte e no Coophatrabalho. Nos dois casos, os ladrões levaram os pertences pessoais dos trabalhadores, tabletes e o DMC usado para coleta de dados.

Nos siga no Google Notícias