ACOMPANHE-NOS    
SETEMBRO, SEXTA  18    CAMPO GRANDE 31º

Cidades

Taxa de letalidade sobe, com 21 mortes registradas nesta terça no Estado

Campo Grande atingiu hoje a marca de 200 mortes e continua com "avanço significativo da doença", avalia secretário estadual

Por Ângela Kempfer | 11/08/2020 10:55
Blitz da covid, realizada hoje em aldeia urbana de Campo Grande. (Foto: Henrique Kawaminami)
Blitz da covid, realizada hoje em aldeia urbana de Campo Grande. (Foto: Henrique Kawaminami)

Terça-feira já é tradicionalmente o dia do "choque de realidade" sobre a covid-19 em Mato Grosso do Sul. Depois de uma segunda com aparente estabilidade, por conta do fim de semana sem plantão de repasse de dados nos municípios, os boletins epidemiológicos de terça-feira sempre trazer números preocupantes.

Hoje, o relatório chega com 21 mortes a mais, 544 no total, além de 823 infectados que fazem a curva de contaminação subir para 32.562 em Mato Grosso do Sul.

O acréscimo de óbitos eleva a  taxa de letalidade no Estado para 1,7%, quase o dobro do que era registrado há 60 dias. Neste dia 11 de agosto, já são 136 óbitos no mês. A média diária aumentou de 12 no fim de julho, para 13,9 mortes por dia no Estado.

Na Capital, são mais 10 sepultamentos informados nesta terça, o que faz a Capital atingir a marca de 200 vidas levadas pelo coronavírus. "Isso mostra que Campo Grande está em franca expansão", comentou o secretário de Saúde, Geraldo Rezende.

Ele costuma enfatizar esse crescimento na Capital diariamente, porque a prefeitura tem defendido que os números estão estabilizando em Campo Grande, o que indicaria que a Capital está caminhando para o "platô", uma linealidade na curva de infecção.

A SES contesta essa analise. O secretário argumenta que o Estado já dobrou o número de leitos de UTIs na Macrorregião de Campo Grande, que engloba 34 cidades, e mesmo assim a taxa de ocupação não cai a menos de 80%. Nesta terça, a taxa é de 85%.

No dia 30 de julho, o pesquisador e infectologista Júlio Croda, fez a previsão de que, sem lockdown, faltaria leito de UTI na semana passada em Campo Grande, o que não ocorreu. "Só não tivemos um colapso na Capital porque fomos muito rápidos", justificou Geraldo Rezende, ao lembrar da ativação de mais 10 leitos de UTI ontem no Hospital Regional.

O número de internados segue algo, mas reduziu de 523 ontem para 512 agora. Na UTI, são 236 internados, apenas 3 a menos que ontem.

Campo Grande News - Conteúdo de Verdade

Mortes - Das 10 mortes por covid-19 na Capital, seis são de homens com idade entre 50 e 87 anos, além de quatro mulheres, de 67 a 74 anos.

Cinco pessoas morreram em Corumbá, sendo três homens, de 81, 72 e 55 anos, e duas mulheres, de 78 e 49 anos.

Também confirmaram mortes os municípios de Vicentina, a de uma idosa, de 79 anos; Três Lagoas, de uma mulher sem comorbidades, de 38; Naviraí, de uma idosa, de 75; Sidrolândia, de uma idosa, de 74; Aquidauana, de uma mulher, de 57; e em Porto Murtinho, de uma idosa, de 75.

De todos os contaminados, 41,5 % estão na Capital. A cidade entra no registro hoje com mais 323 casos, 13.511 no total