A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 26 de Março de 2019

26/01/2019 07:37

Em MS, 37 casos de trabalho escravo são investigados pelo MPT

No ano passado, flagrantes chegaram a 1723 em todo o Brasil; aumento de 267% em relação a 2017

Danielle Valentim

O número de trabalhadores encontrados em condições análogas às de escravo chegou a 37 em Mato Grosso do Sul, em 2018. No Brasil, o número salta para 1.723, segundo dados da SIT (Secretaria de Inspeção do Trabalho), um aumento de 267% em relação a 2017, quando houve 645 resgates.

O MPT Digital/Gaia, aponta que atualmente existem 1,7 mil procedimentos em investigação e acompanhamento nas 24 unidades do MPT espalhadas pelo país, deste total, 37 casos são monitorados pelo MPT em Mato Grosso do Sul.

No ano passado, o Ministério Público do Trabalho (MPT) recebeu 1.251 denúncias, ajuizou 101 ações civis públicas e celebrou 259 termos de ajuste de conduta (TACs) relacionados a trabalho escravo.

Entre as atividades econômicas com maior número de trabalhadores nessas condições estão a pecuária e o cultivo de café. Segundo dados do Observatório Digital do Trabalho Escravo no Brasil, 30,9% dos trabalhadores em condições análogas às de escravo são analfabetos e 37,8% possuem até o 5º ano incompleto. A ferramenta foi desenvolvida pelo MPT em parceria com a OIT (Organização Internacional do Trabalho).

Campanha - Para marcar o Dia Nacional de Combate ao Trabalho Escravo (28 de janeiro), o Ministério Público do Trabalho lança uma campanha nas suas redes sociais que pretende alertar a população sobre a escravidão contemporânea e estimular a sociedade a denunciar.

O coordenador regional de Erradicação do Trabalho Escravo (Conaete) em Mato Grosso do Sul, procurador Jeferson Pereira, ressalta que iniciativas permanentes de conscientização são importantes para fortalecer o sistema de repressão ao trabalho escravo, especialmente diante de recentes medidas adotadas pelo Governo Federal, como a extinção do Ministério do Trabalho.

“Caso a intenção do Governo seja no sentido de não dar seguimento a políticas públicas voltadas para a prevenção e combate dessa chaga social, estaremos diante de uma intensa fragmentação e até mesmo desmantelamento de toda a aparelhagem pública e de um arcabouço jurídico-administrativo que foram montados a esse combate desde 1995 para dar proeminência à dignidade da pessoa humana”, alertou Pereira, acrescentando que essas práticas passariam a ser reconhecidas como simples violações trabalhistas, bastando apenas a lavratura de autos de infração.

NúmerosEntre 2003 e 2018 (até julho/2018), 44,2 mil trabalhadores foram resgatados e libertados do trabalho escravo no Brasil ou de atividades análogas à escravidão. Segundo dados do Observatório Digital do Trabalho Escravo, isso significa uma média de pelo menos oito trabalhadores resgatados a cada dia.

Observatório Trabalho Escravo – MS
94 operações realizadas
2.679 resgates
3.998 trabalhadores resgatados no total entre 2003 e 2018, dos quais:
15 adolescentes menores de 18 anos
1.897 trabalhadores egressos nascidos em Mato Grosso do Sul
2.101 trabalhadores egressos que declararam residir, no momento do resgate, em Mato Grosso do Sul

 



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions