A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 18 de Dezembro de 2017

10/09/2009 15:54

Ação pede sequestro de R$ 20 milhões da família Uemura

Redação

Além da denúncia por sete crimes contra 13 pessoas, o MPE (Ministério Público Estadual) ingressou com três medidas cautelares pedindo a indisponibilidade e o sequestro de bens dos envolvidos na Operação Owari.

Somente da família de Sizuo Uemura, 67 anos, os promotores pediram a indisponibilidade de bens avaliados em R$ 20 milhões para garantir o ressarcimento dos cofres públicos pelos desvios praticados nas administrações públicas de oito municípios de Mato Grosso do Sul e do Paraná.

A juíza da 1ª Vara Criminal, Dileta Terezinha Souza Thomaz, já acatou um dos pedidos e determinou o sequestro do Hospital Santa Rosa, incluindo-se equipamentos e veículos.

Neste caso, o Hospital Evangélico recorreu contra a decisão, já que tem interesse em adquirir o prédio da instituição, arrendado pela família Uemura à Prefeitura Municipal de Dourados, que paga em torno de R$ 100 mil por mês de aluguel.

De acordo com o promotor de Defesa do Patrimônio Público e Fundações de Dourados, Paulo César Zeni, o sequestro dos bens tem o objetivo de garantir o ressarcimento dos cofres públicos pelos prejuízos causados pela organização criminosa à administração pública.

Crimes

Temer veta projeto sobre negociação coletiva no serviço público
O presidente Michel Temer vetou integralmente o Projeto de Lei nº 3.831/15, aprovado pelo Congresso Nacional, que estabelecia normas para a negociaçã...
UFMS divulga edital do vestibular para ingresso em cursos de graduação
A UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul) divulgou, nesta segunda-feira (18), edital do processo seletivo do vestibular para ingresso em cu...
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions