A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 13 de Dezembro de 2017

02/10/2009 08:05

Agência Brasil publica reportagens especiais sobre MS

Redação

A Agência Brasil foi à Mato Grosso do Sul reportar a situação em que se encontra o povo Guarani Kaiowá e publicou a Grande Reportagem Duas realidades sobre o mesmo chão.

A iniciativa de revisitar o assunto quando a chamada "grande imprensa" o ignora, demonstra a importância da comunicação pública em pautar a discussão de temas polêmicos que a sociedade não-índia, estabelecida na região, parece não querer resolver.

Apesar do assunto transcender os aspectos abordados na reportagem, seu valor situa-se principalmente em tentar retratar um momento de um processo que acumula séculos de intolerância, de violência e de massacre por uma cultura dominante sobre os dominados.

Os recursos multimídia de imagem e áudio complementam essa fotografia instantânea da realidade em que sobrevive o povo desterrado. O diário de bordo da reportagem ajuda a integrar o leitor no cotidiano do desafio jornalístico.

Esta ouvidoria foi acionada pelo leitor Fabiano Reis que escreveu: "Não há sul-mato-grossense que não fique muito chateado com o título e chamada da reportagem 'Em Mato Grosso do Sul, índios em condições precárias vivem ao lado de latifúndios prósperos'. Penso que foi pré-definida a apuração, não avaliou o trabalho realizado pelos produtores e não 'latifundiários' e principalmente não quis saber a opinião da população do Estado.

Não deveria em sua reportagem jornalística obter 'As várias realidades sobre o mesmo chão?'. Deveriam respeitar a população do MS, os trabalhadores e empreendedores do Estado e até mesmo os critérios básicos do jornalismo. Sobre o último item há duas alternativas: trabalhem de fato, como agência de notícias ou tornem público que são apenas uma assessoria de imprensa."

A ele, a Agência Brasil respondeu: "Agradecemos o comentário do leitor e informamos que o repórter da Agência Brasil esteve no Mato Grosso do Sul para ouvir todas as partes envolvidas na questão dos índios Guaranis e dos fazendeiros."

Ao ouvir a "população do Estado", como queria o leitor - como se os índios não fossem a verdadeira e original população que há milênios habitam aquelas terras, a ABr considerou que "todas as partes envolvidas" fossem apenas índios e fazendeiros, tratando a assunto como uma partida de futebol onde dois times se defrontam.

Essa abordagem simplista de um assunto tão complexo reflete uma possível carência de recursos para se aprofundar na questão

Câmara Federal regulamenta carreira dos agentes comunitários de saúde
Com a presença de agentes comunitários nas galerias da Câmara, os deputados federais concluíram hoje (12) a votação do projeto de lei que regulamenta...
Anvisa libera serviço de vacinação em farmácias de todo o país
Farmácias e drogarias de todo o país vão poder oferecer o serviço de vacinação a clientes. A possibilidade foi garantida em resolução aprovada hoje (...
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions