A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 12 de Dezembro de 2017

01/10/2015 15:08

ANTT vai fazer estudos sobre o valor de pedágios cobrados na BR-163

Ricardo Campos Jr.
Praça de pedágio da CCR em Campo Grande (Foto: Fernando Antunes)Praça de pedágio da CCR em Campo Grande (Foto: Fernando Antunes)

A ANTT (Agência Nacional de Transportes Terrestres) irá realizar estudos e intermediar as negociações com a CCR MS Via, concessionária da BR-163 em Mato Grosso do Sul, para que sejam revistos os valores do pedágio em alguns pontos da rodovia. O órgão pediu prazo de 30 dias para apresentar novos estudos que subsidiem a proposta de redução nos preços e encaminhá-la à empresa para que as discussões sejam abertas. Hoje, o pedágio custa entre R$ 4,70 e R$ 7,20.

O acordo foi fechado em uma reunião nesta quinta-feira (1º) entre o presidente a agência, Jorge Bastos, e o coordenador da bancada federal do estado, senador Waldemir Moka (PMDB).

Na ocasião, segundo a assessoria do parlamentar, foi entregue um documento assinado pelos demais senadores e deputados federais sul-mato-grossenses expondo algumas dificuldades dos usuários com relação às tarifas, tendo em vista que elas estão acima do que havia sido anunciado na época da concessão.

Na época da privatização, o valor mínimo havia sido estipulado em R$ 4,38. Porém, o contrato previa que a CCR só poderia começar a cobrar dos motoristas quando pelo menos 89 quilômetros de duplicação estivessem concluídos.

A empresa trabalhou por 18 meses até conseguir bater essa meta, o que indica que o valor estava defasado e precisa ser reajustado.

O aumento levou em conta a inflação com base do IPCA, que gerou acréscimo de R$ 1,33; as perdas provocadas a partir da Lei dos Caminhoneiros, que isentou do pedágio os eixos suspensos e somou mais R$ 0,66 no preço e as despesas que ocorreram fora de contrato, que adicionaram mais R$ 0,12, totalizando cobrança mínima de R$ 4,70.

Moka também reclamou da instalação da praça de pedágio da Capital entre o município e o distrito de Anhanduí, onde os moradores têm pagado pedágio integral para chegar até a área urbana. Assim, ele pede revisão e adoção de uma tarifa diferenciada para os moradores do vilarejo.

Moradores protestam em pedágio na BR-163 e arrancam mureta de concessionária
Moradores do distrito de Nova América, em Caarapó, a 283 km de Campo Grande, protestaram nesta sexta-feira (18) contra a instalação de guardhail nas ...
Indenizações por morte no trânsito crescem 24% em relação a 2016
O número de indenizações pagas pelo Seguro de Danos Pessoais Causados por Veículos Automotores de Via Terrestre (Seguro Dpvat) entre janeiro e novemb...


Pessoal, entre Dourados e Campo Grande, depois da concessão, não houve uma melhoria sequer na rodovia (terceira faixa e outras coisas mais já haviam sido feitas antes da concessão), CCR não colocou nem os famosos "olhos de gato" para separar as faixas, coisas que se vê nas rodovias pedagiadas de SP....e tão cobrando mais de R$ 7,00 ??....Ué, será que parte da renda tá indo pro PT? só pode, pois se cobrasse R$ 2,00 ainda estaria caro (e não queiram justificar a cobrança em função de meia dúzia de carros da concessionária na pista)
 
Demis Guedes Soares em 01/10/2015 17:03:05
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions