A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 15 de Dezembro de 2017

17/04/2015 15:09

Após polêmica, Bolsonaro “dá bolo” na PM e não virá receber homenagem

Deputado está na lista dos que serão agraciados com a Medalha Tiradentes no dia 22

Michel Faustino
Grupo pediu, ontem, o cancelamento da homenagem ao comando da PM (Foto: Michel Faustino)Grupo pediu, ontem, o cancelamento da homenagem ao comando da PM (Foto: Michel Faustino)

Após polêmica e até ameaça de protesto, o deputado federal Jair Bolsonaro (PP-RJ) enviou nota ao Comando da Policia Militar de Mato Grosso do Sul agradecendo a homenagem que receberá na quarta-feira (22), onde seria agraciado com a Medalha Tiradentes. No documento, ele anunciou que não virá ao Estado em virtude de “conflitos de agenda” e não informou se mandará algum representante.

Na manhã desta sexta-feira (17) o titular da Secretaria de Justiça e Segurança Pública, Silvio Maluf, afirmou que não iria ceder às pressões populares e que a escolha dos homenageados é “única e exclusivamente da PM, e não da população”.

O secretário justificou ainda dizendo que o deputado foi indicado porque colaborou através de projetos para a segurança pública. “A instituição sempre valoriza os parlamentares que brigam por questões salariais e estruturais da policia”, afirmou.

A homenagem ao deputado federal também foi endossada pelo governador Reinaldo Azambuja. “Foi uma decisão e uma escolha da PM. Sabemos que o Bolsonaro é um deputado polêmico e que gera repercussão. Porém, ele já apresentou inúmeros projetos de lei sobre segurança, mais de dez projetos a favor de segurança publica do País. Por esse motivo foi escolhido para ser homenageado”, diz.

Porém, segundo vereadora Luiza Ribeiro (PPS), membro da Comissão de Cidadania e Direitos Humanos da Câmara Municipal de Campo Grande, os movimentos ligados a defesa dos direitos humanos, sociedade civil e representantes da classe LGBT(Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis, Transexuais e Transgêneros) já solicitaram uma reunião com o governador para pedir que a homenagem seja revogada.

“Vamos levar isso adiante. Mesmo que ele não venha, não podemos permitir que o nosso Estado faça uma homenagem a uma pessoa como o deputado Bolsonaro. Uma pessoa que defende praticas violadoras dos direitos humanos, entre outras coisas absurdas”, disse.

Segundo a vereadora, o grupo deve se reunir com o governador após o feriado da semana que vem.



Um ponto chama a atenção nessa polêmica.
Os que são contra a honraria apresentam argumentos do por que são contras.
Os que são a favor, até agora não conseguirem listar qual ou quais os serviços relevantes prestado pelo Bolsonaro para merecer tal honraria.
 
Critico em 18/04/2015 14:34:39
A Câmara Municipal homenageou recentemente o produtor de eventos “Jean Paçoka” que segundo o vereador Coringa representa a cultura da capital, mas que na verdade traz para seus shows cantores (MC’s) cujo estilo musical é extremamente sexualizado, vulgar e violento, além desses eventos tirarem a paz dos moradores do Bairro Santo Antonio. Em contrapartida, através dessa Comissão, a Câmara quer se intrometer em quem a Polícia Militar deve ou não homenagear, essa autonomia é da própria instituição. O Deputado Bolsonaro é sem dúvida digno de ser honrado pela sua contribuição em favor da segurança pública. Devemos apoiá-lo, pois gente para brigar pelos direitos de criminosos já tem um monte, mas para defender a vida e a dignidade daqueles que combatem a criminalidade são raros.
 
Zanardi em 18/04/2015 00:44:22
Pelo jeito o Bolssonaro tem mais juízo do que a galera da PM que desmoralizou a medalha Tiradentes.
Arranjou uma boa desculpa e vai se livrar de mais uma dor de cabeça.
Além de tudo, ele precisa economizar pra pagar a multa pela condenação por homofobia.
 
Critico em 17/04/2015 21:29:44
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions