A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 13 de Dezembro de 2017

14/09/2013 12:38

Após seis denúncias, homem põe cadeados na casa e sequestra mulher

Edivaldo Bitencourt

Após ser denunciado seis vezes à Polícia Civil por violência doméstica, Raimundo Bispo da Cruz da Costa, 37 anos, quebrou toda a casa, agrediu a mulher com requintes de crueldade e a manteve em cárcere privado por três dias. Ele foi preso, ontem à tarde no bairro Nova Campo Grande, na saída para Aquidauana, pela Deam (Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher).

Conforme a denúncia, ele matinha a esposa, I.V.R.B., 48 anos, sequestrada dentro de casa há três dias. Ele se revoltou porque ela fez a sexta denúncia contra ele na delegacia. 

Antes de mantê-la em cárcere privado, Raimundo tentou matar a esposa. Inicialmente, ele tentou asfixia-la com um edredom. Depois, num ataque de fúria, Raimundo quebrou a casa e atirou vários objetos na esposa, como ferro de passar roupa.

Ela foi trancada e proibida de sair de casa. Conforme a delegada Marília de Brito Martins, da Deam, a vítima conseguiu ligar para a mãe e pedir socorro. No entanto, ele acabou interrompendo a ligação ao quebrar o telefone celular da esposa. Ele pôs cadeado em toda a casa.

Mesmo vomitando sangue, a mulher não foi encaminhada ao posto de saúde pelo marido. O sofrimento de I.V.R.B. só acabou porque o caso acabou sendo denunciado anonimamente. Policias invadiram a casa e a libertaram na tarde desta sexta-feira.

“A vítima já tinha registrado 6 boletins de ocorrência contra o acusado, o primeiro deles em 2009 e inclusive pediu medidas protetivas que foram deferidas pelo judiciário, porém nunca respeitadas pelo autor”, explica da delegada.

O marido foi preso em flagrante e autuado por lesão corporal, ameaça, desobediência, sequestro e cárcere privado. Ele foi encaminhado para o Presídio de Segurança Máxima e a mulher foi encaminhada para o Centro de Atendimento à Mulher.

Câmara Federal regulamenta carreira dos agentes comunitários de saúde
Com a presença de agentes comunitários nas galerias da Câmara, os deputados federais concluíram hoje (12) a votação do projeto de lei que regulamenta...
Anvisa libera serviço de vacinação em farmácias de todo o país
Farmácias e drogarias de todo o país vão poder oferecer o serviço de vacinação a clientes. A possibilidade foi garantida em resolução aprovada hoje (...


precisava tudo isso acontecer
para a justiça se impor, e se
ele tivesse matando-a????
 
tatiane lago rezende vieira em 14/09/2013 22:32:23
É o cúmulo depois de seis denuncias nada tinha sido feito , a DEAM as vezes não tratam o caso como deveria, no primeiro boletim já tinha que prender o COVARDE , deixar mofar por um bom tempo na cadeia, essa lei Maria da Penha ainda tem muitas brechas para esses covardes. Por essas e outras que muitas mulheres são assassinadas . Agora uma mulher esperar para fazer seis boletins é muita coisa , não deveria chegar nem no segundo, o que não presta a gente larga pra trás, e vida nova .
 
helena da costa andrade em 14/09/2013 15:46:29
06(seis) denúncias e esse marginal ainda estava em liberdade.Onde é que estavam os tais representantes de "direitos humanos"; Evidente que se as agressões fossem contra o marginal, aí sim, apareceriam os tais defensores dos "direitos humanos".
 
Fauster Antonio Paulino em 14/09/2013 15:30:44
Para este tipo de delinquente não adianta medidas protetivas. Se ele seguisse a lei, não faria o que faz. Os familiares ou a vítima é que tem que resolver a situação de forma definitiva. Ou ele vai acabar matando a mulher. Coitada!
 
Fátima Maria Ribeiro Dos Santos em 14/09/2013 13:46:38
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions