A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 12 de Dezembro de 2017

25/08/2009 09:22

Audiência na 5ª debate enfrentamento à violência sexual

Redação

As ações de enfrentamento à violência sexual contra crianças e adolescentes serão debatidas na audiência pública que será realizada a partir das 13h30 de quinta-feira (27), na Assembléia Legislativa.

Foram convidados a participar do debate, a delegada da DEPCA (Delegacia Especializada de Proteção à Criança e ao Adolescente), Regina Márcia Rodrigues de Brito Mota, o coordenador do Núcleo do Enfrentamento ao Tráfico de Pessoas Ministério Público de Goiás, Saulo Castro Bezerra, a secretária de Assistência Social, Tânia Mara Garib, e a presidente do CEDCA (Conselho Estadual de Defesa dos Direitos da Criança e do Adolescente), Vera Lúcia Silva Ramos.

A audiência é promovida pelo deputado estadual Pedro Kemp (PT) e Comcex (Comitê Estadual de Enfrentamento à Violência Sexual Contra Crianças e Adolescentes).

De acordo com levantamento da Secretaria Especial dos Direitos Humanos, com base em dados sobre abuso e exploração sexual de menores registrados nos últimos seis anos pelo Disque 100, Mato Grosso do Sul figura em segundo lugar no ranking nacional, atrás apenas do Distrito Federal.

Para a coordenadora do Comcex/MS, Estela Márcia Scândola, o número de denúncias no Estado tem crescido de forma expressiva, no entanto, há preocupação com a falta de responsabilização e punição dos crimes de violência sexual praticados contra menores de idade.

"Quando a sociedade percebe que não tem acontecido a responsabilização, isso acaba atingindo o enfrentamento. As pessoas não veem sentido em denunciar", comenta.

A impunidade, de acordo com Estela, é mais comum quando os violadores são pessoas que tem considerável poder econômico. "Essa impunidade está relacionada ao poderio econômico do violador. Quando quem comete crime contra a criança é pobre, os casos andam, são investigados e punidos, mas quando não, demora muito", exemplifica.

Outro obstáculo para a punição, diz a coordenadora, é a banalização da exploração sexual, além do machismo que ronda o assunto.

"

Indenizações por morte no trânsito crescem 24% em relação a 2016
O número de indenizações pagas pelo Seguro de Danos Pessoais Causados por Veículos Automotores de Via Terrestre (Seguro Dpvat) entre janeiro e novemb...
ANS regulamenta novas regras de compartilhamento para planos de saúde
A Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) publicou duas resoluções normativas na tentativa de dar mais segurança e estabilidade ao mercado de pla...
UFMS recebe inscrições para vários cursos no Vestibular 2018
A UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul) segue com inscrições abertas para o Vestibular 2018, que selecionará alunos para cursos de gradua...
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions