A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 26 de Abril de 2018

09/03/2018 12:05

Aumento de denúncias reflete encorajamento do Estado a mulheres violentadas

Políticas públicas vêm sendo desenvolvidas pelo Executivo no fortalecimento de rede de apoio em MS, para que sejam cada vez melhor amparadas e não se calem diante da violência

Danúbia Burema
PM de MS empunhando arma (Foto: Leka)PM de MS empunhando arma (Foto: Leka)

“Tivemos um aumento das mulheres que denunciam os agressores e isso é porque existe uma política pública hoje, com as delegacias da mulher, a Casa da Mulher Brasileira, existe a Deam [Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher] funcionando 24 horas, que dá o empoderamento e encoraja essas mulheres a fazer a denúncia contra os opressores”, destaca o governador Reinaldo Azambuja sobre as políticas públicas de enfrentamento à violência que têm sido desenvolvidas pela gestão estadual.

Os dados aos quais ele se refere apontam crescimento de pelo menos 6% nas denúncias de violência doméstica de 2015 até o ano passado, segundo dados da Sejusp (Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública).

Crime difícil de combater por acontecer dentro das residências, requer medidas de conscientização específicas. As estimativas são de que somente 30% desses casos são reportados, explica a subsecretária de Políticas Públicas para as Mulheres, Luciana Azambuja.

Mais denúncias, menos feminicídios - Em 2017, foram 18.475 casos em que as mulheres quebraram a barreira do medo e acionaram a Polícia. Os resultados desse trabalho têm se refletido em diversos indicadores. “Quando o Estado dá condições para que a mulher se sinta encorajada, você vê um aumento no número de denúncias e a redução dos feminicídios”, destaca o governador. No ano passado, foi registrada redução de 21% nesse tipo de crime.

“É criando estruturas governamentais de apoio e principalmente proteção às mulheres vítima de violência que nós vamos conseguir avançar numa política pública efetiva. Mato Grosso do Sul tem cumprido o seu papel e a gente sabe que isso tem constituído apoio a todas as mulheres do nosso Estado. Temos feito um trabalho irradiando as políticas públicas para as mulheres em todos os 79 municípios”, completa o chefe do Executivo estadual.

Empoderamento - Diferentemente dos demais registros de violência em que os esforços são para reduzir os índices, no caso de agressões contra as mulheres o trabalho é feito para incentivar as denúncias, explica a subsecretária Luciana Azambuja. “Espero que sempre aumente o número de boletins de ocorrência até acabarmos de vez com a violência contra a mulher”, afirma. Ela destaca que nos últimos anos as vítimas têm se sentido mais encorajadas a denunciar. Quando isso ocorre no início das agressões, evita que elas evoluam para casos mais graves como os feminicídios.

Primeira-dama do Estado, Fátima Azambuja destaca a orientação repassada a todos os setores da segurança pública de efetuarem atendimento humanizado às mulheres em situação de violência. A intenção é inclusive ampliar a presença de policiais mulheres para atendimento.

Para denúncias sobre violência contra a mulher, basta ligar 180 ou procurar as delegacias especializadas de atendimento. No caso da Deam, há plantão 24h. O endereço é Rua Brasília, s/n, Jardim Ima, Campo Grande.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions