A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 16 de Dezembro de 2017

15/04/2014 10:22

Campanha quer crianças conscientes sobre o combate à violência contra a mulher

Francisco Júnior e Leonardo Rocha

Visando a conscientização de crianças e adolescentes sobre o combate à violência contra a mulher, os governos Estadual e Federal lançaram nesta manhã (15), em Campo Grande, a campanha “Quem Ama Abraça – Fazendo Escola”. O evento foi realizado no auditório da Governadoria, e contou com a presença do governador André Puccinelli e da secretária Nacional de Enfrentamento de Violência contras as Mulheres, Aparecida Gonçalves.

Kits serão entregues nas escolas estaduais contendo informações sobre a lei Maria da Penha, além de telefones dos locais para denúncia e instruções de como informar os casos de violência.

Para a secretária nacional, a campanha na escola é uma política para o futuro, pois vai aconselhar as mulheres desde a adolescência a buscar seus direitos e denunciar qualquer tipo de agressão já no início. Para os homens é uma forma de conscientizar com intuiro de que não tenham atos de violência contra as mulheres, porque se trata de um crime.

A secretária apresentou dados alarmantes sobre a violência contra a mulher. “56% das mulheres que denunciam dizem que as crianças presenciam a violência. E 23% são vítimas de violência juntos com as mulheres”, relatou.

Para André Puccinelli, essa campanha vai mostrar “que não devemos ter violências contras as mulheres, crianças e adolescentes”. “Essa orientação para as crianças é importante porque desde pequenos saberão como tratar as mulheres e que não é por meio de violência. O governo Estadual está dando todo o apoio necessário para que o projeto seja um sucesso”, afirmou o governador ressaltando que nos dias de hoje as mulheres se organizaram e tomaram iniciativas para buscar os seus direitos.

O governador informou que uma das prioridades até o fim do seu mandato é aumentar o número de delegacias de atendimento a mulher, que hoje são 12 no Estado, e depois viabilizar unidade de atendimento 24 horas.

Conforme a subsecretária Estadual da Mulher, Tai Loschi, os kits irão dar informações necessárias paras as pessoas que não tem conhecimento sobre como denunciar as agressões que sofrem em casa. “Nosso Estado ainda é muito machista e patriarcal, e por essa razão temos que oferecer condições para essas vítimas dando autonomia econômica e mostrando o direito da mulher. É preciso ter tolerância zero contra a violência”, afirmou.

Loshi relata que o Estado conta com uma rede de enfrentamento contra esse tipo de violencia, além de duas casas abrigos: uma em Dourados e outra em Campo Grande, essa última com previsão de ficar pronta no segundo semestre.

Cada casa tem 10 acomodações onde as mulheres podem ficar de seis dias até 3 meses. Nesse local são oferecidos vários serviços como atendimento psicológico, advogados, e acompanhamento escolar paras as crianças.

Segundo Loshi, a maioria das denúncias no Estado são de mulheres de classe média e essa violência acontece dentro das casas. 

Mega-Sena pode pagar R$ 39 milhões no sorteio deste sábado
A Mega-Sena deste sábado (16), que está acumulada, pode pagar R$ 39 milhões para quem acertar os seis números. O concurso 1.997 ocorre às 20 horas, h...
MEC deve homologar Base Comum Curricular na próxima quarta-feira
O Ministério da Educação informou que a Base Nacional Comum Curricular (BNCC), aprovada hoje (15) pelo Conselho Nacional de Educação (CNE), deve ser ...


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions