A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 23 de Outubro de 2018

12/02/2018 17:26

"Bloquinhos" tem mais de 50 atendidos por exagerar na bebida e nas drogas

Socorro às vítimas foi feito por equipes que estão trabalhando em posto avançado na Esplanada Ferroviária

Kleber Clajus
Brigadistas da Cruz Vermelha levam quem exagerou na dose para posto da prefeitura (Foto: Kleber Clajus)Brigadistas da Cruz Vermelha levam quem exagerou na dose para posto da prefeitura (Foto: Kleber Clajus)

Balanço parcial da Cruz Vermelha revelou que ao menos 50 pessoas foram atendidas por exagerar no consumo de bebida alcoólica, durante festas de Carnaval, em Campo Grande. Em sua maioria são adolescentes, que estavam com amigos, na área externa dos blocos.

O presidente da entidade em Mato Grosso do Sul, Tácito Felix de Santana, explicou que desde quinta-feira (8) a equipe disposta na Esplanada Ferroviária tem registrado casos de embriaguez, cortes por cacos de vidro, torções e até deslocamento de clavícula.

"Houve quatro adolescentes encaminhados, em estado grave, para UPA (Unidade de Pronto Atendimento) pelo Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência). Dois deles por coma alcoólico e dois por overdose, ao misturar drogas e bebida", relatou Tácito. "Acionamos os pais, que ficam surpresos pelo estado que encontram os filhos, além do Conselho Tutelar".

Como identificar - A médica infectologista Priscilla Alexandrino de Oliveira esclareceu que alguns sinais indicam quando o limite foi ultrapassado. Estes incluem demora em responder os amigos, mudanças de comportamento, dificuldades para andar ou mesmo ficar em pé.

"Isso é variável entre homens e mulheres por conta do peso, tipo, teor alcoólico e quantidade de bebida ingerida. Aqueles que já consomem possuem mais resistência dos que não tem o hábito de beber e estar alimentado também interfere na absorção", pontuou Priscilla.

Consumir de forma consciente também pesa, conforme a médica, que recomenda não haver ingestão sozinho, verificar se não existe problemas ao associar a bebida com remédios em uso, moderar frequência e quantidades, além de nunca utilizar o carro sob efeito de álcool.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions