A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 16 de Dezembro de 2017

03/06/2013 11:29

"Ela queria encontrar felicidade na praia”, diz irmã de economista morta

Ângela Kempfer e Evelyn Souza
Irmã e tia de economista morta em SP. (Foto: Stephanie Romcy)Irmã e tia de economista morta em SP. (Foto: Stephanie Romcy)
Foto de Elza, dois meses antes de morrer.Foto de Elza, dois meses antes de morrer.

No velório de Elza Gomes dos Santos, na manhã de hoje em Campo Grande, a família ainda parece atordoada com as notícias no fim de semana. A economista de 52 anos foi assassinada no litoral de São Paulo, durante viagem na sexta-feira passada.

A cada informação, os parentes ficam mais confusos sobre o que pode ter acontecido. Segundo a irmã, Elisia Gomes dos Santos, de 56 anos, a última conversa com Elza ocorreu na quinta-feira. “Ela estava com comportamento muito estranho, não sabia para onde ir e desligou o telefone na minha cara”, conta.

Separada há 10 anos, a economista não tinha filhos e costumava viajar sozinha por conta do trabalho de consultoria. Também tinha muito imóveis em Campo Grande e uma condição financeira boa, relata a família, o que pode ter “despertado interesses”.

A suspeita faz os parentes falarem em “emboscada”, planejada por algum contato que Elza tenha feito nos últimos tempos em Campo Grande. "Ela nunca entraria naquela favela por conta própria. Ela foi levada até lá", garante Elisia.

Ela diz que a mudança no comportamento foi percebida bem antes do crime. Na avaliação de Elisia, tudo começou com uma corrente de oração. “Uma pastora convidou ela para participar. Durou 21 dias”, lembra.

Depois disso, Elza teria se transformado. Na semana que antecedeu a viagem, a alteração ficou ainda mais nítida. “Ela nunca foi de vender as coisas, mas começou a vender móveis, doar sapatos e roupas”, diz. Na viagem, levou alguns eletrodomésticos e até televisão, como se quisesse ficar de vez em São Paulo.

Segundo a irmã, a economista passou a dizer que “queria encontrar a felicidade na praia”. Elisia diz que a família morou por 6 anos em São Paulo, por isso tinha familiaridade com a região. Mas para a família, a economista disse que iria para Guarapari (ES), o que torna mais estranho o fato dela ter parado em São Vicente, ao lado de Praia Grande.

A tia, Antônia Santos da Silva, de 63 anos, garante que a sobrinha não tinha a violência como motivo para sair de Campo Grande, conforme relatos de outros irmãos que no fim de semana disseram que Elza já havia sido assaltada 11 vezes aqui na cidade.

“Mas como estava aposentada, buscava uma cidade no litoral. Era uma pessoa muito feliz, muito alegre, todo mundo gostava dela. Era muito inteligente”, comenta.

Os parentes cobram apoio da Polícia Civil de Mato Grosso do Sul para reforçar as investigações em São Paulo. Ontem, um adolescente foi apreendido pela Polícia de santos, suspeito de ter atirado e Elza.

O caso - Elza foi morta com um tiro na cabeça no começo da tarde de sexta-feira (31). A princípio a Polícia suspeitou que a economista havia se perdido na rodovia Imigrantes e acabou entrando em uma favela de São Vicente, litoral paulista. Ela estava em um carro Corsa, com placas de Campo Grande.

O tiro foi disparado de fora do carro, e atravessou o para-brisas, acertando a economista, que trabalhou por 10 anos no Sebrae e atualmente é prestava consultoria para a instituição, além de atender micro e pequenas empresas no Estado.

A polícia suspeita que o autor do disparo tenha jogado a bicicleta em frente ao carro para fazer um assalto, e Elza, assustava, teria acelerado. A bicicleta estava em baixo do carro, e nada foi levado.

Elza foi socorrida ainda viva pelo Corpo de Bombeiros e levada para o Centro de Referência de Emergência e Internação de São Vicente, mas não resistiu aos ferimentos e morreu. Nada foi levado do veículo.

Corpo de economista de MS morta em São Paulo continua no IML de Santos
Ainda está no IML (Instituto Médico Legal) de Santos, litoral de São Paulo, o corpo da economista Elza Gomes dos Santos, que morreu em tentativa de a...
Terminal rodoviário de Campo Grande oferece cartões de Natal gratuitos
A rodoviária de Campo Grande, mais um ano, oferece gratuitamente cartões de Natal gratuitamente para os passageiros que passarem pelo local até o pró...
Universidade do MS recebe certificação de excelência em gestão
Será recebida pela UCDB (Universidade Católica Dom Bosco) em solenidade que acontece na próxima segunda-feira (18) o certificado de excelência em ges...


Estamos perdidos nas mãos da bandidagem.
 
Marcão de Campo Grande - MS em 04/06/2013 15:24:33
DEUS EM SUA PALAVRA DIZ, QUE NEM O HOMEM, NEM A MULHER, PODE VIVER SÓ, QUANDO DEUS FEZ, DA COSTELA DO HOME, SUA PARCEIRA, FOI PARA SEMPRE, PORTANTO, NINGUÉM É FELIZ SOZINHO, É BÍBLICO, ESSE MUNDÃO MENTIROSO, QUE ENGANA TODOS, VIA, O MALÉFICO, CEGA, ATORDOA AS PESSOAS, SENDO INFELIZES, MAS DIZENDO CONTRÁRIO, SE TIVESSE EM DUAS PESSOAS OU MAIS, SERIA MAIS FORTE, MAS SÓ, ESTAVA A DISPOSIÇÃO, DE ALGUÉM MAIS FORTE DO ELA, NUNCA VIAJE SÓ, PRINCIPALMENTE EM VEÍCULO PRÓPRIO, É UM PERIGO, MAS A VERDADE MESMO, É NÃO SE AFASTAR DOS ALTERES DE DEUS, SE CONFESSANDO, PEDINDO PROTEÇÃO DIVINA, POIS A COISA SERIA E SERÁ SEMPRE DIFERENTE, DEUS É MAIS FORTE QUE O diabo, PENSE SEMPRE ASSIM, CONSULTEM OS PASTORES E OS PADRES, QUE OUVIRÃO A VERDADE, E DEVE SEGUÍ-LA, QUE DEUS TENHA MISERICÓRDIA DA ELZA.
 
PEDRO BRAGA em 03/06/2013 14:28:21
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions