A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 25 de Junho de 2018

13/06/2018 10:35

“Eu não queria fazer isso, mas ele reagiu”, diz ladrão que matou militar

O autor foi preso horas depois após o crime na casa da sogra, no Bairro Aero Rancho, região sul da cidade

Viviane Oliveira e Bruna Kaspary
Rua onde aconteceu o crime na noite de ontem  (Foto: Saul Schramm)Rua onde aconteceu o crime na noite de ontem (Foto: Saul Schramm)

Ao ser ouvido pela Polícia Civil, o assaltante João Victor Gomes Costa, 20 anos, que matou o militar da Aeronáutica durante roubo na noite de ontem (12), na Rua Bacabá, no Bairro Coophatrabalho, em Campo Grande, não demonstrou arrependimento e disse que atirou porque a vítima reagiu. “Eu não queria fazer isso, mas ele reagiu. Estava no meio direito de atirar”. Rafael Lucas Soares, 23 anos, foi atingido no tórax e na perna esquerda.

João Victor foi preso em flagrante na casa da sogra no Bairro Aero Rancho e vai responder por roubo seguido de morte, além de porte ilegal de arma de fogo. O revólver calibre 32 usado no crime também foi apreendido.

Segundo o delegado Camilo Kettenhuber Cavalheiro, da Depac (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário) Centro, Rafael aguardava o ônibus no ponto em frente à sua casa. Ele seguia para a faculdade e havia acabado de avisar o professor que chegaria atrasado para fazer a prova, quando foi surpreendido pelo assaltante em uma motocicleta Fan 150, de cor vermelha, anunciando o assalto. A vítima reagiu e acabou baleada.

Ainda conforme o delegado, o tiro que atingiu a perna da vítima foi fatal, pois perfurou a artéria femural - prolongamento da veia aorta. João Victor está preso na delegacia e amanhã passará por audiência de custódia na Justiça, para definir se ficará preso esperando o andamento do inquérito.

Hoje de manhã no local do crime, uma testemunha de 35 anos, contou à equipe de reportagem que escutou de três a quatro disparos. Ele se arrumava para sair com a família. “Fui na cozinha para ver o que havia acontecido e avistei uma movimentação grande e o rapaz baleado”, relatou. A vítima caiu ferida na calçada da residência onde vivia com a família. 

Militar foi morto ao reagir a assalto (Foto: reprodução)Militar foi morto ao reagir a assalto (Foto: reprodução)

Crime - Segundo a polícia, o militar estava distraído mexendo no celular, quando foi surpreendido pelo motociclista que anunciou o assalto e tentou roubar o aparelho. Rafael, então, reagiu, lutou com o ladrão e acabou alvejado.

Após a ação, João Victor saiu correndo a pé com o capacete na cabeça e abandou a motocicleta no local. O Corpo de Bombeiros e Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) foram acionados, mas a vítima não resistiu e morreu.

O primo do autor, Evandro Modenesi Oliveira, 21 anos, dono da motocicleta usada no crime não participou da ação, mas vai responder por falsa comunicação de crime. Ele havia emprestado o veículo ao primo e após ficar sabendo da situação, mandou que sua mãe fosse até a delegacia registrar boletim de ocorrência por furto. Evandro cumpre pena por roubo e usa tornozeleira eletrônica.



O que mais me chama a atenção e o bandido alegar que estava no seu direito de atirar porque a vítima reagiu. Com certeza vai sera o argumento usado pelo canalha do seu advogado. Em sendo assim fico na dúvida se me sentir ameaçado por um bandido tenho o direito de despacha-lobo para junto do criador? Ou a violência e uma via de mão única? Deus conforte a família

 
Alex André de Souza em 13/06/2018 19:29:41
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions