A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 11 de Dezembro de 2017

07/09/2015 13:26

"Fora Dilma" foi novidade nos protestos do 7 de Setembro

Thiago de Souza

Os protestos que acontecem após o desfile cívico-militar do 7 de setembro, em Campo Grande, trouxeram uma novidade em 2015: além do tradicional "Grito dos Excluídos", houve também manifestações contra a presidente Dilma Rousseff e contra a corrupção no governo do PT. Foi o primeiro protesto após o encerramento do desfile militar, por volta das 10h. 

Manifestante se passando por Lula veio dentro de uma cela. (Foto: Fernando Antunes)Manifestante se passando por Lula veio dentro de uma cela. (Foto: Fernando Antunes)
Movimento pedia um basta a corrupção. (Foto: Fernando Antunes)Movimento pedia um basta a corrupção. (Foto: Fernando Antunes)
Houve intervalo de 10 minutos entre o desfile e o início dos protestos. (Foto: Fernando Antunes)Houve intervalo de 10 minutos entre o desfile e o início dos protestos. (Foto: Fernando Antunes)

Cerca de 200 integrantes do movimento Pátria Livre, vestiam roupas pretas e gritaram palavras de ordem contra a corrupção. Foi o caso de Marcos Sória, 49, que diz pertencer ao Movimento que ele intitulou de "Brasil". Viemos aqui pedir punição a todos os que estão envolvidos em corrupção, independente do partido político. "Errou tem de pagar", afirmou categóricamente o manifestante. Ele disse ainda que o governo do PT joga um cidadão contra o outro. "Não é pecado ser rico, não é por que existe pobre, que a culpa é do rico. Estão jogando as pessoas umas contra as outras", desabafou.

Os manifestantes usaram da ironia para mandar o recado no protesto. Um membro do movimento caracterizado como o ex-presidente Lula surgiu na rua 14 de Julho, dentro de uma cela.

O curioso é que, cerca de 10 metros atrás, vinha o protesto de movimentos sociais e sindicatos ligados a partidos de esquerda. Porém, segundo a Polícia Militar, que reforçou a segurança em todo o evento, não houve qualquer tipo de problema.

O movimento Pátria Livre passou pela rua 14 de Julho, no trecho entre a Rua Maracaju e 15 de novembro. O protesto durou cerca de 20 minutos.

Caixão simbolizou morte do país diante da corrupção. (Foto: Fernando Antunes)Caixão simbolizou morte do país diante da corrupção. (Foto: Fernando Antunes)
Grupos considerados de direita e esquerda protestaram um próximo ao outro. (Foto: Fernando Antunes)Grupos considerados de "direita" e "esquerda" protestaram um próximo ao outro. (Foto: Fernando Antunes)


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions