ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
JULHO, SEGUNDA  15    CAMPO GRANDE 19º

Capital

Abalada com desenrolar de caso, mãe de Mayara não vai à Câmara

Ela participaria de sessão, mas ida foi cancelada nesta manhã, depois que a dona de casa passou mal

Rafael Ribeiro e Richelieu de Carlo | 08/08/2017 11:42
Ilda Cardoso falaria sobre a infância da filha e sua carreira como musicista no Legislativo municipal (Foto: Marcos Ermínio)
Ilda Cardoso falaria sobre a infância da filha e sua carreira como musicista no Legislativo municipal (Foto: Marcos Ermínio)

Convidada de honra de sessão especial da Câmara Municipal que homenageia os 11 anos da Lei Maria da Penha, na manhã desta terça-feira (8), a mãe da musicista Mayara Amaral, 27 anos, alegou estar abalada emocionalmente com os últimos desdobramentos do caso e não compareceu para o seu discurso na Casa, um dos mais aguardados.

Segundo a vereadora Cida Amaral (Podemos), a dona de casa Ilda Cardoso, 50, estava bastante feliz pelo convite para falar na tribuna da Câmara sobre a história da filha e contar suas visões sobre a violência contra a mulher. Mas “ficou mal” após supostamente ler reportagens sobre o caso publicadas recentemente.

“Ela leu algumas reportagens que deixaram ela mais sensibilizada ainda, e por essa razão ela não teve condições de vir falar com a gente”, explicou a vereadora.


As atividades referentes à comemoração da data, no entanto, continuaram sem alterações. Roseli Molina, antiga responsável pela Delegacia da Mulher e atualmente na Corregedoria da Polícia Civil, foi uma palestrantes do dia.

O caso – A Polícia Civil concluiu o inquérito e encaminhou ao Ministério Público Estadual na última segunda-feira (7) apenas Luís Alberto Bastos Barbosa, 29, como o responsável pelo latrocínio (morte em assalto) que vitimou Mayara. Os outros dois presos responderão por acusações de menor potencial ofensivo.

Imagens divulgadas pela Delegacia Especializada de Furto e Roubo de Veículos, que cuidou do caso, mostram Barbosa comprando uma garrafa de álcool e latas de cerveja após deixar o motel onde matou a vítima, provavelmente antes de incendiar o corpo.

O Campo Grande News não conseguiu contato com familiares de Mayara para comentar as declarações da vereadora até a conclusão desta reportagem.

Nos siga no Google Notícias

Veja Também