A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 14 de Dezembro de 2017

11/04/2011 10:18

Acadêmica é violentada dentro do campus da UFMS em Campo Grande

Ítalo Milhomem e Ricardo Campos Jr.
As roupas e pertences da vítima foram abandonadas no matagal. (Foto: João Garrigó)As roupas e pertences da vítima foram abandonadas no matagal. (Foto: João Garrigó)
A Polícia Militar e a a equipe de seguranças da universidade ainda estão no local esperando a perícia chegar. (Foto: João Garriró)A Polícia Militar e a a equipe de seguranças da universidade ainda estão no local esperando a perícia chegar. (Foto: João Garriró)

Uma jovem foi violentada por volta das 8 horas na manhã desta segunda-feira (12), no Campus a UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul) em Campo Grande. O crime aconteceu em um matagal próximo a ponte que liga a o teatro Glauce Rocha ao bloco dos cursos de Química e Economia e Administração. A vítima é uma acadêmica do curso de Química.

Policiais Militares que atenderam a ocorrência confirmaram o estupro, mas não deram mais detalhes sobre o caso. Seguranças da universidade ainda estão no local, esperando a chegada perícia. As roupas e pertences da jovem foram abandonados na mata.

Testemunha - Por volta da 8h10, o servidor Jardel Mattos, estava chegando ao laboratório de Psicologia, que fica na saída da ponte para deixar sua namorada e viu uma menina que aparentava ter menos de 20 anos, totalmente nua, sendo amparada por duas mulheres e um senhor, que retirou a camiseta para cobrir a menina. Ela foi levada para biotério da universidade, onde recebeu roupas e realizou alguns telefones.

De acordo com a testemunha, a jovem chorava e relatou que foi estuprada por um homem com uma faca, que a levou para um matagal próximo da ponte da UFMS. O estuprador vestia uma bermuda e camiseta azul e tinha tatuagens nos braços e nas pernas.

Mattos acionou a Polícia e o Corpo de Bombeiros que atendeu a ocorrência e encaminhou a jovem para o HU (Hospital Universitário).

O servidor relata que é temerário a situação da violência dentro da universidade e que sempre ouviu boatos de tentativas de estupro dentro do Campus da UFMS.

Há anos estudantes reclamam da falta de segurança no campus, principalmente com base em casos de violência sexual contra alunas.




A gravidade do estupro ocorrido na UFMS, de uma aluna de química, revolta a todos. Isso expõe o descaso existente na atual administração central da UFMS. Inclusive o departamento de química é o departamento de lotação da reitora da UFMS.
As noticias veiculadas na imprensa revelam o descaso em que se encontra a UFMS. Enquanto graves problemas assolam a universidade, a reitora esclarece , em entrevista, que não sabia dos problemas existentes. No entanto, conhece em detalhes as PICUINHAS DOS SEUS AMIGOS, ou picuinhas criadas pelos amigos da reitora em unidades do interior.
Um exemplo claro de desmandos da reitoria da UFMS pode ser encontrada no campus de nova Andradina. Enquanto a reitora diz não ter verbas para resolver o problema da violência no campus de campo grande, o matagal que separa a reitoria do departamento de química, em nova Andradina, durante 8 meses, se deu o luxo de pagar DOIS DIRETORES de campus (CD3), no valor de 3.500 reais, liquido, para cada um, apenas para atender aos interesses dos amigos da reitora. Em alguns momentos, chegou a pagar para 3 diretores simultaneamente, todos recebendo 3.500 reais por mês, em valores líquidos. Ou seja, dinheiro tem, porque gastaram dinheiro desnecessário apenas para atender aos interesses de amigos da reitora. Talvez seja interessante, inclusive, dar uma olhada nas viagens que a reitora e o pro reitor Dercir fizeram, com diárias e tudo, para os lençóis maranhenses, para aproveitar a praia (O transparência Brasil pode revelar isso melhor).
Enuanto isso, os alunos e funcionários sofrem com os desmandos da reitoria, quie sequer sabe proceder para solucionar os problemas de segurança e limpeza da UFMS. Esta senhora, mãe da acadêmica estuprada, disse ter protocolado na OUVIDORIA uma reclamação de que era perigoso transitar pelo mato entre a reitoria e o departamento de química. Afirma a mãe da acadêmica que nunca obteve resposta e nem consegue acessar o numero de protocolo registrado. Ou seja claro que não vai conseguir. Não consegue porque o professor Paulo Haidamus, que é o OUVIDOR, trabalha apenas para proteger os interesses da reitoria, nunca irá aparecer para falar e demonstrar que realmente ocorreu esse registro. Paulo Haidamus, também e um dos assessores da reitora e é presidente da ADUFMS, ou seja, como alguém que trabalha na OUVIDORIA pode receber dinheiro para ser assessor da reitoria e continuar na OUVIDORIA? Seria o mesmo que entregar as ovelhas para o lobo. Nunca teremos nossas demandas resolvidas, pois aqueles que deveriam fazer algo em prol dos alunos estão a serviço da reitoria e recebem para defender.
Isso é absurdo. O caos completo instaurado na UFMS. Nunca teremos nossas reivindicações aceitas, pois a reitoria trata de dar cargos aqueles que deveriam fiscalizar os trabalhos da reitoria. O principal problema reside no fato do OUVIDOR ser o professor de ética Paulo Haidamus, que nunca se preocupou em cuidar, eticamente, do cargo que ocupa na OUVIDORIA, e aceita receber vantagens financeiras para executar com zelo a função de OUVIDOR.
Com tudo isso, ainda tem caso de racismo no campus de Navirai, em que amigos da reitora estão prestando depoimento no MPF de dourados por racismo e ameaças. Sabe-se que assessores da reitora teriam ligado para servidores do campus de navirai com o intuito claro de ameaçar os servidores para que votassem em candidato apoiado pela REITORA DA UFMS. Pasmem com tudo isso. Mas é verdade, a reitora se ocupando com ligações e ameaças para garantir que os amigos ocupem os cargos de diretor nas unidades do interior. Ou seja, quando a reitora afirma não saber dos problemas da universidade, isso se justifica porque está apenas preocupada em manter os cargos e o poder nas mãos dela mesma e dos seus amigos. Pessoais.
Isso tudo acontece na UFMS, bem debaixo de nossos narizes, e ninguém tem a coragem de denunciar. Isto tudo é fácil de comprovar.

 
Jose dos Santos Junior em 13/04/2011 03:54:47
AO INVÉS DO GOVERNO FEDERAL FICAR GASTANDO DINHEIRO COM PROPAGANDAS NO RÁDIO E NA TV, ELES PODERIAM PEGAR ESTES MONTANTES QUE NÃO SAO NADA POUCO, E INVESTIR NAS UNIVERSIDADES EM GERAL.
COM CERTEZA JÁ IRIA RESOLVER O PROBLEMA, E TAMBEM TEM QUE EXCLUIR ESTES REITORES QUE NÃO SERVEM PARA CUIDAR DIREITO DAS UNIVERSIDADES
 
cleuber dos santos em 12/04/2011 09:26:57
Lamentável uma notícia dessa... um absurdo essa Universidade ainda não ter tomado providências quanto a segurança dos seus alunos e profissionais. Tantos recursos e onde estão eles? No bolso de quem??? Quanto custa investir em segurança nessas áreas? Certamente nada em relação ao custo que essa vitima e sua familia terão para superar uma tragédia como essa.
 
Carla Gavilan em 12/04/2011 09:04:40
se fosse com a reitora ou com a nossa primeira dama o caso teria solução agora que somos apenas simples mortais, nada vai acontecer essa não sera a primeira e nen a ultima academica a sofre na mãos destes manicos e ainda por cima vira midia na mão da sociedade,.........pelo amor de DEUS, govenamentais faça alguma coisaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa
 
sandra cristina balbueno em 12/04/2011 08:06:25
Pois é até quando vai continuar essa federal desse jeito, largada sem iluminação nenhuma, a UFMS é de dar vergonha pra nós .. sem falar no estádio Morenão que ta caindo.Gente se vocês nõ quiserem trabalhar sai e dá lugar pra quem quer...cadê o nosso prefeito numa hora dessa????????
 
Alana Gonçalves de Souza em 12/04/2011 04:07:52
Alunos! A reitora, não só como reitora, mas como MULHER, deveria ter defendido a aluna e público! Só atendeu os alunos depois que todos fizeram a manifestação, depois de muita briga. E ela quer ser REELEITA! Reflitam.
 
Thais Soares em 12/04/2011 01:41:00
Não tenho filhos estudando ainda na universidade, mas acho que a mãe dessa aluna deve entrar na justiça pedindo indenização por danos morais e materiais (por gastar com psicólogos e etc.)
 
Clarice Soares em 12/04/2011 01:36:40
Não sou estudante da UFMS, mas frequento por ter namorado, primos e amigos que estudam lá. Lá na frente da reitoria, tem plantão 24 horas de 2 seguranças pra cuidar da SENHORA REITORA. Ministério Publico, Doutor Alexandre, investigue esse cuidado de tanta segurança pra reitora e NENHUMA segurança pro alunos.
 
Thais Soares em 12/04/2011 01:34:29
tudo isto que esta acontecendo e um absurdo,em todo o campus da universidade,deve existir segurança 24 hs. andando a pe. e nao ficarem passeando de carro novo?
 
silas de oliveira souza em 11/04/2011 12:48:38
Gostaria de saber o que vai acontecer com a segurança dessa mata por onde passam as estudantes as vezes 2 vezes ao dia , sem qualquer segurança? Tenho uma filha na ufms e ela passa por la todos os dias e nunca viu nenhum segurança. Quantas meninas precisam ser atacadas para que sejam tomadas providencias?
 
silvia pereira em 11/04/2011 12:35:05
É um absurdo este tipo de acontecimento, onde está as rondas dos vigiliantes do Campus?, o patrulhamento deve ser efetivo e constante.Agora já aconteceu, as perdas psicológicas desta moça, são irreparáveis.
 
Cristina V. Inocêncio em 11/04/2011 12:25:53
Há dois anos me formei nesse curso e tbém fazia estágio pela manhã nos laboratórios, uma vez fui abordada por um homem nessa ponte e ele veio falar coisas estranhas pra mim. Eu fui conversando com ele dei corda a conversa estranha, o cara chorou, dizendo que nenhuma mulher queria ele e blá blá blá... levei ele até os laboratórios qdo uma mocinha passou seguindo em direção a ponte e ele foi atrás dela. Entrei no laboratório e comuniquei o fato para a segurança da universidade, só que, nada foi feito.
 
Sílvia Souza em 11/04/2011 12:18:42
É uma vergonha a segurança da UFMS, o investimento na área de segurança é mínimo (PELO MENOS VOCÊ NÃO VE NADA NOVO, SE É REALMENTE MÍNIMO EU NÃO SEI... PQ AS VEZES VAI PRA OUTRO LUGAR NÉ?), você não ve melhorias a anos. Isso pq a verba anual da federal ultrapassa 250 milhões de reais. Tomare que tomem providências. Lamentável essa situação !!! Cade os 250 milhões???? CADE A SEGURANÇA?
 
Fernando Freitas em 11/04/2011 12:17:13
Ate que ponto vai chegar a negligência e o descaso da nossa UFMS.
 
Alex Fonseca em 11/04/2011 12:15:30
A UFMS é muito grande e possui muita mata nativa, o que é ótimo. É necessária maior segurança, fiscalizaçaõ, controle no acesso. Vamos fechara UFMS com grades, guaritas e garantir a integridade dos acadêmicos.
 
Pedro Antonio Castro em 11/04/2011 12:08:44
Nós acadêmicos de quimica da UFMS estamos organizando uma reunião hoje ás 18:00 horas no DCE da UFMS..... Não podemos ficar parados, isso é inaceitável dentro da universidade federal, pois todo começo de ano eles fazem palestras falando da segurança mas cadê a segurança ? O local onde aconteceu o ocorrido deveria haver um guarda ali, e onde ele estava nessa hora ás 8 e pouco da manhã ? Assim não tem condições de estudar, de estagiar, de fazer nada se nem dentro da própria universidade não estamos seguros.
 
Cristiane Regine Vieira Rivarola em 11/04/2011 11:40:31
Isto que aconteceu é uma barbaria sem tamanho, mas é bom registrar aqui que a segunça da UFMS é, de longe, uma campeã de incompetência, que não fazem absolutamente nada, qualquer um entra e faz o que quer na UFMS , por que falo isso, estudei na ufms e minha é funcionaria publica federal da UFMS ela trabalha a 15 anos na UFMS e a 15 anos ela fala que a segurança na UFMS é um descaso total !
 
Gustavo Ferreira em 11/04/2011 11:28:46
duvido que ninguem viu esse cara , a universidade tem segurnaça pra todo lado.
 
luiz fernandes em 11/04/2011 11:19:20
os estudantes da universidade federal tem que se mobilizarem, em protesto pq é descaso da universidade não mater a segurança dos alunos, minha filha é estudante do cuso de quimica da universidade e esta assustada com o acontecimento, se a universidade mantesse as guaritas com guardas isso seria evitado, eu tenho a informação que proximo a esse mesmo local ano passado um estudante foi morto. saiu em todos os jornais portanto fica aqui a minha idignação e o meu protesto contra o descaso da universidade com a segurança dos alunos
 
Adalgisa Alves Vieira em 11/04/2011 11:12:15
Lamentável! Espero que a UFMS preste toda assistência à moça... Agora uma ponderação... quando queriam fechar a universidade com grades e controlar o acesso os teóricos da universidade aberta achavam um absurdo, que a universidade deve ficar de portões abertos e coisas do gênero... Pergunto: E agora? Onde estão essa gente??? Tem mais é que privatizar a segurança da UFMS e acabar com o ajuntamento de servidor (seguranças da ufms) quase aposentando e com "revórve" no cinto e que ficam tomando tereré!... desculpem, foi desabafo!
 
Cristian Moraes em 11/04/2011 11:05:48
A criminalidade está cada vez mais absurda. Campo Grande começa a enfrentar os grandes problemas da metrópoles. É hora das polícias do nossos estado começar a rever o modo de atuar!
 
Bruno Chaves em 11/04/2011 11:02:47
A verdade é que a ufms é uma espécie de terra de nínguem, a droga rola em plena luz do dia, sexo e sacanagens no meio da mata, é só ir lá e observar. e o ministério público, serve pra quê essas horas.
 
francisco prado em 11/04/2011 10:55:14
Não é a primeira vítima de estupro, no Campus da UFMS.No passado, várias garotas foram violentadas,inclusive uma delas passou por cirurgia e após a recuperação foi residir em outra cidade.
O autor era um adolescente, que tinha passagem pela polícia,e respondia Medida Socioeducativa(Liberdade Assistida).
Esse local sempre foi um perigo,principalmente para as garotas.
Espero que encontrem logo esse maníaco,antes que faça novas vítimas,como fez o outro anos atrás.
Impressindível,que as garotas evitem algumas passagens,caso seje inevitável,que façam em grupos de três ou mais pessoas,nunca só ou dupla.
 
neyde de oliveira em 11/04/2011 10:53:28
Quando eu estudei na UFMS (2000-2004) os casos eram tantos que por isso que colocaram as cercas na faculdade. Porém, o acesso é livre e sem nenhum tipo de controle. 08 horas já é um horário que a universidade está funcionado com todo vapor, posto que as aulas começam às 07:00. A falta de segurança é um problema de longuíssima data, e a administração da faculdade não percebe isso. Acho que quando alguma das pessoas violentadas opor alguma ação indenizatória contra a faculdade e essa sofrer os prejuízos no orçamento (não que faça alguma diferença posto que o dinheiro é público e não do reitor) talvez providências sejam tomadas.
 
Rodrigo de Paula Fontes em 11/04/2011 10:51:42
Sou aluno da pós-graduação do curso de Química.
Já não é a primeira vez que isso acontece.
Parece que as coisas tem que ocorrer para que se tomem providências.
Deixo aqui a minha indignação!!!!
 
Edson dos Anjos em 11/04/2011 10:51:26
Senhores dos Direitos Humanos. Por favor visitem a vitima, coloquem todo o aparato da OAB para que este crime seja solucionado.
 
luiz duarte em 11/04/2011 10:34:24
Como se fosse novidade! Todo mundo sabe o perigo q os academicos correm no campus da UFMS, tantos são assaltados, estrupados, sequestrados etc. aquela reserva e o matagal é um perigo para quem caminha por la. Ja chega! os estudantes precisam de segurança!
 
leticia mello em 11/04/2011 10:30:17
Sou ex aluna da UFMS e confirmo: os blocos são distantes uns dos outros e ligados por locais vazios e mal vigiados. Os acadêmicos precisam atravessar caminhos e pontes mal iluminados pelo meio da mata para poder ir de um bloco a outro. Há pouquíssimos seguranças, o local é aberto para toda a população - não há um controle de quem circula por lá - o que torna toda a região um "prato cheio" de possibilidades para alguém com más intenções. É preciso reforçar a segurança nestes trajetos de acesso, ou veremos sempre casos como este acontecerem.
 
Gisele Sena Bertolazo em 11/04/2011 10:29:03
Essa é a falta de segurança que reina na UFMS. É muito perigoso andar por lá sozinha, mas às vezes a falta de opção e a confiança por ser de dia fazem com que meninas como essa passem por isso. E que eu saiba, como ex-aluna, esse não é o primeiro estupro não.
 
Camila Simões em 11/04/2011 10:28:40
Enquanto isso.... ..... a dona da reitoria tá nem aí pros cursos, estudantes e pela universidade... ... ..
Vai que é tuaaaaaaaaaaaaaaaaa RESPONSABILIDADE .
Assuma de vez a direção da universidade ou SUMA DE VEZ.
 
Orlando Lero em 11/04/2011 10:27:40
Infelizmente os reitores que passaram pela UF nunca se preocuparam com isso, afinal as suas filhas não estudam lá. As reformas foram na reitoria, nenhuma delas foram pra resolvel o problemas de salas isoladas, que as alunas tem que passar por lugares que facilitam este tipo de abuso(crime), não é a primeira vez que isso acontece.
 
jose antonio em 11/04/2011 09:14:03
repudio, indignação e outros sentimentos mais que dói na alma, pela falta de competencia dos administradores da ufms principalpente pelo administrador da segurança do campus que definitivamente não existe, é um tal de rodar o dia inteiro de carro nas ruas pavimentadas onde o movimento é intenso o dia inteiro, já nas trilhas das reserva entre o glauce rocha e aquimica e entre o hu e biblioteca ah ! meus caros se apegue com DEUS e vai porque ali é só com a proteção dele, A SEGURANÇA É PÉÉÉÉSSIMA MESSSMO!
 
sueli helma em 11/04/2011 09:07:01
E não podemos esquecer da ponte que liga o HU a biblioteca... lá tambem nao tem um segurança.. Daqui a pouco ate por lá aconteceram absursos e abusos!!! ate quando teremos que conviver com isso!!!!!!!
 
Ludmila de Souza em 11/04/2011 08:56:52
ta na hora de rever a segurança do local, ficam gastando dinheiro com segurança para que os cara não cuidam nada ficam so brincando de segurança esperando o dia do pagamento o vagabundo podia ter matado a moça, muito ridiculo isso acontecer as 8:00 hs da manhã coitada da moça onde estava a segurança do local nessa hora, tem que fazer ronda toda hora.
 
marcos henrique em 11/04/2011 08:54:38
logo que cheguei em campo grande ...vinda da cidade de dracena sp. em 2003....já tinha ouvido varios relatos de acidentes neste mesmo lugar...e por esse motivo eu ia levar e buscar minha filha que fazia cursinho pre vestibular no morenão.
tantos anos e ninguem fez nada até hoje....será que é pq. não era filha de nenhum politico da cidade??? só asim vão colocar segurança naquele descampado ééééé descampado simmmmmmmmm....o que é bonito para os administradores e uma ameaça
para a sociedade de modo em geral que por lá circula.
vamos fazer alguma coisa com o dinheiro do estado...vamos pagar uma segurança para os nossos jovens.
 
DEISE DE GENARO GAVIOLI em 11/04/2011 07:57:37
isso e uma vergonha pra que segurança ganha muitissimo bem somente para inludir o povo caso serio . raras vezes vc ve segurança na ronda vc ve mais ele tomando terre que trabalhando sem pensar que aviatura anda para outro lugar fora do campos isso e uma vergonha pra segurança da ufms a reitora tem segurança total se segurança cuida de patrimonio eu não sabia que a reitora era patrimonio ho pais miseravel não precisa de segurança coloca policial competente não estes segurança de meia tigela que so serve pra gastar combustivel sem resolver nada
 
laura souza em 11/04/2011 07:23:18
Toda noite tem gente vendendo e consumindo drogas ao lado do Morenão (que fica dentro da UFMS), todo mundo sabe disso, os seguranças, a PM, MAS NINGUÉM FAZ NADA, TODOS SÃO CONIVENTES.

Provavelmente devem ganhar um cascalho pra não fazerem nada.
 
Gabriel Rodrigues Mandu em 11/04/2011 07:14:19
Eu saí da UFMS em 2002 e já tinham vários relatos de estupros ou tentativas e até hoje nada feito. No Brasil nada é levado a sério. 10 anos se passaram e nada foi feito!
 
Pridiliano Rosa Pires Neto em 11/04/2011 06:06:59
Não é a primeira vez que isso acontece embaixo do nariz da segurança e da reitoria...
Nesse momento está acontecendo uma manifestação na frente da reitoria.
É um absurdo que isso ainda seja fato na UFMS porque nas universidades particulares isso não acontece?
 
katia karine em 11/04/2011 03:28:48
Os administradores da UFMS deveriam fazer um contrato com a Polícia Militar nos moldes do que feito na UFPE. Sou funcionário da UFPE e este contrato de cooperação há anos perdura na Instituição além de outras medidas tais como: controle de acesso e sistema de monitoramento do campus. os índices de violência, tais como assaltos, estupros e roubos caíram drasticamente após a implementação destas medidas.
 
Manoel Lopes dos Santos Filho em 11/04/2011 03:26:49
isso so vai acabar , quanto existir no Brasil pena de morte para esses estrupadores que atacam mulheres e crianças, não acredito eles voltem a ser cidadões do bem nem a base de cadeia.
 
Valéria souza em 11/04/2011 03:25:23
Que noticia triste. Que essa jovem consiga superar os traumas. E que a policia consiga identificar e prender o marginal. Lamento pela vitima. Mas, o fato real é que aquela região dentro da UFMS é extremamente perigosa, a ponte é aberta para não academicos, é um vai e vem sem fim de qualquer pessoa, e os alunos que estudam por exemplo biologicas de um lado, precisam ir fazer aulas de quimica do outro lado, e portanto, quem não tem carro para dar aquela volta imensa ao lado do HU precisa ir a pé. È lamentável que a UFMS não tenha adotado medidas de segurança dentro do campus, especialmente naquele local, pois até as funcionárias tem medo de por lá transitarem. Mas, é tarde para a moça que foi violentada, porém, quem sabe 'AGORA' a REITORIA TOME PROVIDENCIAS.
Santo Deus, que tenha piedade da vitima e que ela seja consolada por todos os seres de LUZ.
 
Maria Quiarote em 11/04/2011 03:21:19
Não adianta ronda nesses locais, a estrutura dessas pontes são terriveis. Já comentei em outra matéria e sugiro novamente a mudança dessas pontes para uma ponte de asfalto, para que carros e pedestres transitem com mais facilidade e principalmente SEGURANÇA, somente assim poderemos ter vigias nas pontes de asfalto e melhorar a vida dos estudantes e funcionários. Os 70 milhoes previstos para a infraestrutura da UFMS dá para tentar mudar esse quadro.
 
Vivian Stral em 11/04/2011 02:54:33
Minha filha estudou 05anos na UFMS, curso de Engenharia Civil, há anos atrás ela sempre teve medo de andar sozinha p/UFMS, pois sempre acontece e pelo visto ainda está acontecendo barbaridades no local que deveria ser exemplo de segurança, a Reitora que tem feito um bom trabalho na universidade, deveria criar Conselhos ou Pró-REitoria apenas p/tratar, cuidar e correr atrás de providências urgentes.
 
Ana Ribeiro em 11/04/2011 02:48:26
É totalmente absurdo, que nossos jovens, ainda tenham que sofrer esse tipo de violência!!O descaso da Universidade e mesmo das "autoridades"!!!quando é preciso primeiro acontecer para depois se tomarem providências!!Cadê o Poder público!!?? Pagamos essa brutal quantia em impostos para que!!Conclamo a todos os campograndesenses, a popúlação de MS, a cobrar da Polícia, da Secretaria da Justiça, aos vereadores Assembléia Legislativa, Governo Federal a tomarem providências Urgentíssimas, para garantir aos nossos jovens acadêmicos o direito de ir e vir com segurança. dentro da UFMS!!!Sugiro que pais, Associações de Pais e Mestres, Igrejas, OAB mandem o seu repúdio e o pedido de providências. Hoje foi essa jovem, que lamentamos profundamente, Amanhã poderá ser qualquer um de nossos parentes, filhos, sobrinhos, ou até netos. É uma vergonha para MS!!!
 
Manoel Tavares em 11/04/2011 02:36:30
Aposto que a UFMS paga um contrato (GORDO) para esta empresa de segurança fazer rondas que nao resolvem nada. Em vez disso, deveria usar este dinheiro para implantar um sistema de monitoramento com cameras em toda extensao da UFMS.
 
Amarildo Aquino em 11/04/2011 02:29:47
Existe sim uma equipe de segurança qua faz rondas constantes na UFMS, mas isto nao resolve absolutatmente nada. Mas ja passou da hora dos administradores da UFMS, tomarem atitudes e tirarem os seus traseiros das cadeiras, sairem de suas salas e tomar providencias referente a segurança dos alunos. Em vez de gastarem dinheiro com estas rondas que nao resolvem nada, deverima instalar um sistema de monitoramento com cameras em todos os cantos da UFMS. Aposto que se esta aluna violentada fosse filha de alguem da reitoria, quem sabe eles iriam tomar alguma atitude quanto a segurança.
 
Amarildo Aquino em 11/04/2011 02:16:31
Que vergonha!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
Cadê a fiscalização???
Cadê as autoridades???
Cadê, cadê???
 
Ana Vitória em 11/04/2011 01:51:12
O campus da ufms é de livre acesso! porque não controlar entrada? é inviavel?, dentro do campus qualquer um entra e a qualquer hora (dia ou noite); não é o primeiro caso, até quando vamos esperar pelas mudanças para melhoria da segurança de toda comunidade acadêmica.
 
marcio figueiredo em 11/04/2011 01:51:08
Não é de hoje que a falta de segurança na UFMS é tema de matérias em páginas policiais.
A instituição deveria prover segurança aos membros da comunidade acadêmica que circulam pelo campus.
O dano psicológico é imenso e a omissão da UFMS deve ser cobrada na justiça, num processo por dano moral.



 
MATEUS CASTELLUCCIO em 11/04/2011 01:43:13
Sou acadêmica da UFMS e isso sempre foi nosso medo! Passar na ponte que liga a química e o CCHS e CCET é temerroso para as meninas. Passar ali desacompanhada não podemos, sempre em bando e de preferência com meninos. E vamos e convenhamos ali naquele local NUNCA teve uma alma fazendo ronda. Não se veem os guardas da UFMS fazendo ronda por ali e por lugar algum da Universidade. Tanto que podemos lembrar o caso que ocorreu ano passado com o menino da Física que se suicidou no mesmo local.
Não é de hoje que acontecimentos como estes estão presentes nessa Universidade. O acesso a Universidade é muito aberto, qualquer um assiste aula, entre e faz o que quizer nessa Universidade. Se em um colégio no Rio de Janeiro que tem porteiro, um ex-aluno conseguiu matar 12 pessoas e ferir 13, imagina em uma Universidade que tem livre acesso para a população?!?!
 
Ana Paula em 11/04/2011 01:40:52
gente ... isso é um absurdo ,quantas vezes fomos reclamar da falta de segurança nessa ponte?Agora diz ,quantos seguranças ficam lá ? NENHUM , vai precisar alguem morrer para se mobilizarem ? PROTESTO na pró-reitoria hoje as 15:00 hr,e sim isso é de interesse de todos os academicos da UFMS
 
Isabella Farina em 11/04/2011 01:24:11
Não adianta nada esses seguranças do campus ficarem passeando de carro em torno da Universidade, não resolve nada, Teria que fazerem rondas a pé naquelas trilhas de mato e em todos os acessos. Esses lugares são usados para muitas praticas ilícitas, como utilização de drogas, etc... Isso precisa ser revisto, uma vez que o campus é de responsabilidade federal, e desta forma a PM não pode nem fazer ronda dentro do campus.
 
Luiz Alves em 11/04/2011 01:22:26
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions