A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 23 de Janeiro de 2018

11/07/2013 08:48

Aderindo à manifestação, MST sai em marcha pelas ruas de Campo Grande

Bruno Chaves e Aliny Mary Dias
Integrantes levam percussão também para a marcha por bandeiras nacionais (Foto: Marcos Ermínio)Integrantes levam percussão também para a marcha por bandeiras nacionais (Foto: Marcos Ermínio)

Cerca de 200 integrantes do MST (Movimento dos Trabalhadores Sem-Terra) marcham pelas ruas de Campo Grande na manhã desta quinta-feira (11). Eles aderiram ao “Dia Nacional de Lutas”, organizado pela CUT (Central Únida dos Trabalhadores) em todo o Brasil. Munidos de faixas, bandeiras e instrumentos musicais, o grupo ocupa, neste momento, duas pistas da Avenida Bandeirantes. Eles seguem rumo à Praça do Rádio.

Ao todo, mil integrantes do MST devem aderir ao “Dia Nacional de Lutas” em Campo Grande. Com a bandeira da luta pela reforma agrária, os manifestantes marcham pelas ruas da Capital. Os cartazes levantados pelo grupo pedem "Reforma Agrária", "Reforma Urbana" e "Reforma Política".

A expectativa é de que 20 ônibus com integrantes do MST venham do interior do Estado para participarem da marcha em Campo Grande. A maior parte dos manifestantes se concentrou no início da manhã na sede do MST, na Rua Juruena, bairro Taquarussu, e seguiu a pé para a Praça do Rádio. Eles se juntarão aos integrantes de sindicatos e da CUT.

O movimento foi organizado e combinado com sindicatos e movimentos sociais, como a FETEMS (Federação dos Trabalhadores em Educação do Estado) e o Sindicado das Áreas da Saúde, que são os maiores”, disse um dos líderes da direção estadual do MST, Jonas Carlos da Conceição.

Munidos de faixas, bandeiras e instrumentos musicais, o grupo segue em marcha até o centro da cidade. Márcio Souza, 28, um dos integrantes do movimento do Sul do Estado chegou pela manhã no local com pandeiros, bumbos, instrumentos musicais e timbas.

“Queremos fazer barulho e queremos mais agilidade na reforma agrária. Uma intervenção recente do MPE (Ministério Público Estadual) bloqueou o crédito do governo pra reforma agrária. Depois disso está tudo parado, a reforma parou no Estado inteiro”, se queixou.

Conforme informações Jonas, desde quando ocorreram movimentações em todo o País para reivindicar melhores condições no transporte público, educação e saúde, o MST começou a se organizar para se manifestar em favor da reforma agrária.

Dia Nacional de Lutas – A marcha encabeçada pela CUT deve sair às 9h da Praça do Rádio Clube, em Campo Grande. Os manifestantes descerão a Avenida Afonso Pena, entrarão na Rua 14 de Julho e seguirão até a Rua Antônio Maria Coelho. De lá, retornarão pela Rua 13 de Maio e virarão na Rua Barão do Rio Branco até chegarem à Praça do Rádio, onde finalizam o movimento.

A Agetran (Agência Municipal de Transporte e Trânsito) disponibilizou 15 agentes para monitorar o tráfego de veículos no centro da cidade durante a marcha. Todas as ruas utilizadas pelo grupo sindical serão monitoradas pelos agentes.



Defendo o direito democrático da manifestação, porém não concordo quando essas manifestações afetam o direito do cidadão de ir e vir.
O trânsito de nossa cidade, no centro, ficou um caos.
Por que não efetuarem essa manifestação em locais que não afetem aos outros cidadãos?
 
paulo fernando veríssimo de mendonça em 11/07/2013 12:02:14
Só faltou os partidos políticos, que juntamente com as centrais sindicais, abrigam os políticos, principais responsáveis pelo destino do País, já que esta passeata tem características políticas.
 
Fernando Dias em 11/07/2013 11:21:31
Trabalhar e correr atrás ninguém quer...
 
Celso Braga em 11/07/2013 11:02:58
Notem uma coincidência.. Os movimentos q se arrastaram pelo Brasil sempre ocorrem no período noturno, pois os participantes estão trabalhando durante o dia.. agora os movimentos do MST e da CUT sempre acontecem durante o dia atrapalhando quem está trabalhando porque este povo NÃO TRABALHA, só promovem baderna e degradação do patrimônio público e privado...
 
Antônio Carlos Silva em 11/07/2013 10:47:36
ESSE POVO TEM QUE TRABALHAR.... FICA INVADINDO FAZENDAS DOS OUTROS, PRA FAZE NADA.... BANDO DE DESOCUPADOS E OPORTUNISTAS... PESSEI PELA AFONSO PENA E VI EM UMA PLACA DELES: QUEREMOS ASFALTO NO NOSSO ASSENTAMENTO... PALHAÇADA TOTAL...
 
Antonio Mendez em 11/07/2013 10:22:08
- É cada coisa!
Por curiosidade fui a última passeata, claro que fui por simples curiosidade, levei minha filha de 14 anos e meu filho de 13 anos, também foi junto minha esposa; bom, vamos ver o que essa gente reivindicava, sai lendo cada panfleto e cada faixa:
- Não a PEC 37
- Educação e Saúde de qualidade
- Impeachment de Dilma
- Litrão 3 reais???????????
E muitos outros pedidos, alguns até absurdos!!
Vamos lá:
- PEC 37 Promotores e Procuradores continuariam a ter poderes de policia.
- 114 Bilhões de repasses anuais p saúde e Educação! Não seria gestão dos Estados e Municipios?
- Impeachement de Dilma? Renan Calheiros assumiria a presidência...!!!!!!!!
- Litrão a 3 reais? O Governo arcaria com o subsidio da cerveja?
- Vai entender essa gente!!!!!!
 
Urias Rocha em 11/07/2013 10:11:00
sou comerciante e apoio as manisfetações pois não tenho de volta a segurança, a saúde e a educação que preciso... paga exatamente com os nossos impostos
 
wilviani de oliveira em 11/07/2013 09:53:24
Lamento pela ignorância dos nossos trabalhadores que se submetem a ser massa de manobra dessa máfia de centrais sindicais que só buscam benefícios próprios. ACORDA BRASIL! Classe de trabalhadores marchando com o MST?!.. Piada....
 
Marcio Fabiano em 11/07/2013 09:22:14
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions