A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 16 de Dezembro de 2017

05/02/2014 08:23

Adolescente diz que matou pai a facadas ao se defender de agressões

Graziela Rezende

O adolescente de 17 anos, acusado de matar o pai Benedito Morais Silva, 44 anos, na madrugada do dia 30 de janeiro, em Campo Grande, apresentou-se à Polícia. Em depoimento, o menino ressaltou que a vítima era “muito violenta e que apenas tinha a intenção de afastá-lo, principalmente porque ele e a mãe estavam sendo agredidos”.

“Ele compareceu a Deaij (Delegacia Especializada de Atendimento à Infância e Juventude) e falou que tinha ingerido muita bebida alcoólica, assim como o pai. Assim que houve uma briga, o adolescente e a mãe teriam sido agredidos, por isso ele pegou uma faca para se defender”, conta a delegada Rozeman de Paula, responsável pelas investigações.

Como não havia um mandado de apreensão contra o adolescente, ele prestou depoimento e foi liberado. Ainda nesta semana, a delegada pretende concluir o inquérito policial.

Crime – Benedito foi ferido com uma facada em sua casa, na rua São Thomaz, bairro Santa Luzia. Ele chegou a ser socorrido, mas morreu na UPA (Unidade de Pronto Atendimento) da Vila Almeida.

À Polícia, a esposa contou que marido e filho passaram o dia inteiro bebendo e quando foi à noite, Benedito e ela começaram a brigar por conta de ciúmes. Incomodado com a situação, o filho tomou as dores da mãe e também iniciou uma discussão com o pai.

Segundo a Polícia, a família não estava em casa e quando chegou ao imóvel a briga entre os três continuou, momento em que Benedito passou a agredir o filho a socos e pontapés. Na primeira oportunidade, o filho conseguiu pegar uma faca e atingiu o pai na barriga.



Porque uma pessoa de 17 anos, 11 meses e 29 dias é citado como menino, quando se trata de responder pelos seus delitos.
Mas com 16 anos é de maior e responde por sí para decidir o futuro de toda uma nação, votando, escolhendo os governantes e aqueles que criam Leis absurdas, como a que não permite que o pai coloque o filho para trabalhar nem junto com ele, o pai não pode corrigi-lo, educa-lo ...
Leis absurdas, pois o próprio Deus disse que corrige ao filho que ama.

Dai o pai sozinho com salario mínimo de 615 reais tem que pagar aluguel, agua, luz, telefone e alimentar 4 "menores" alem de vestir roupas boas, tenis caros, celular ultima geracao, etc. enquanto estes menores, por nao ter ocupacao, ficam conhecendo a malandragem, drogas, etc, com os "amigos" ...
Brasil, ACORDA !!!
 
Edson Dionisio em 05/02/2014 15:59:34
crimes barbaros sao cometidos por "menores". enquanto esses delinquentes estiverem amparados pela lei a criminalidade só vai aumentar. o individuo consome bebida alcoolica e mata alguem. porque nao pode ser punido? sera que ele nao tem mesmo nocao do ato que esta cometendo? nao entendo uma lei dessa que procura beneficiar atitudes que deveriam ser rigorosamente punidas. no fim da historia a vitma é que acaba se tornando o "vilão."
 
Jhones Nunes em 05/02/2014 12:56:18
Os pais é que ensinam os filhos a beber, primeiro passa a caixinha de bebida depois os outro itens na hora da compra.Veja bem o que voce está levando para casa.
 
erenice santos p lopes em 05/02/2014 12:36:45
Independente de ser maior ou menor de idade, aqui entra a situação em si, segundo as informações, esse filho é trabalhador, e que nunca foi violento.Então, parece ser mesmo legítima defesa. O que aconteceu aí, são problemas não resolvidos criados e responsáveis pelo casal por seus problemas e acaba envolvendo uma pessoa q não tinha nada a ver com a situação (a culpa dele, é ser filho de um casal que não resolve suas picuinhas)...
 
Lucia Sales em 05/02/2014 11:41:35
A questão nesse caso está acima da menoridade. Do ponto de vista jurídico, há forte indício de legítima defesa, no máximo com excesso.
Agora, analisando as circunstâncias familiares, um pai que provavelmente ensinou o filho a beber, até por talvez já ser alcoólatra, que chega em casa e agride a família com socos e pontapés... Um desfecho evitável, mas não depende apenas de uma pessoa, ou de uma família. Precisa haver uma reestruturação da família, da sociedade, com o Poder Público participando, fomentando e dando suporte a esse processo.
O grande entrave é, paradoxalmente, a própria população. Todos se chocam com notícias como essa, mas a grande maioria apoia estilos de vida que convergem para tragédias anunciadas.
 
Carlos Augusto Bouzo em 05/02/2014 09:51:22
muita palhaçada mesmo essa justiça, já passou da hora de menor que cometer qualquer tipo de crime responder igual a maioridade penal, menor pode votar? já é mais que suficiente que os políticos se adequem á realidade caótica do Brasil.
 
João Lima em 05/02/2014 08:53:06
Ei pessoal, tem que tomar uma posição. Ou faça uma campanha pra acabar com esse negócio de "menor" ou então esqueçam esse adjetivo. Na matéria acima consta que um cara de 17 anos... matou o pai a golpes de faca e no dia do crime tinha bebido... e a jornalista chama o mesmo de "MENINO?" "...Em depoimento, o menino ressaltou ..." bem então parem com essa farsa de tentar acabar com a tal lei da "menor idade". Pois não pode e nem deve ficar jogando dos dois lados. Eu já disse aqui, independe da idade mesmo... matou, roubou, vendeu drogas..... cada uma das ações citadas por mim, tem uma denominação. Tá "menino", né?.. tá.. eu sei...... Parem com essa farsa.
 
Gilson Giordano em 05/02/2014 08:53:02
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions