ACOMPANHE-NOS    
SETEMBRO, SÁBADO  18    CAMPO GRANDE 36º

Capital

Adolescente mentiu sobre estupro por passageiro dentro de carro de aplicativo

Câmera de segurança provou versão de motorista sobre falsa corrida compartilhada

Por Anahi Zurutuza e Ana Beatriz Rodrigues | 26/07/2021 18:02
Carro apreendido foi liberado após motorista provar sua versão (Foto: Kísie Ainoã)
Carro apreendido foi liberado após motorista provar sua versão (Foto: Kísie Ainoã)

A adolescente de 15 anos, que procurou a Deam (Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher) no fim de semana para denunciar ter sido vítima de estupro em carro de aplicativo, mentiu, ao menos sobre uma parte do que aconteceu com ela na noite de sexta-feira, dia 23. A versão do motorista foi comprovada por meio de imagens de câmera de segurança.

De acordo com a delegada Franciele Candotti, que apura o caso pela Depca (Delegacia Especializada de Proteção à Criança e ao Adolescente), “a história que ela conta não condiz com o que realmente aconteceu”.

Sem dar mais detalhes, a delegada confirmou ainda que a versão do motorista é verdadeira. Supostamente envolvido no caso de agressão sexual, uma vez que segundo o depoimento da vítima à Deam, o condutor do carro de aplicativo teria sido conivente e ainda orientado o estuprador a não deixar marcas no corpo da adolescente, o homem foi levado à Deam na madrugada de sábado para domingo.

Ele deu sua versão, segundo a delegada Bárbara Camargo, e deixou com os investigadores o celular e o carro que dirigia, um Fiat Argo Drive de cor prata. O suspeito disse que a corrida solicitada por meio da plataforma que conecta motoristas e passageiros não era compartilhada, como afirmou a garota. Narrou ainda que a buscou num endereço e a deixou em frente a um condomínio, onde um rapaz a esperava.

“A versão dele é verdadeira. O motorista do aplicativo nada fez com essa menina, só a conduziu da casa dela até determinado local. Não cometeu nenhum crime contra essa moça e não havia nenhum passageiro nesse carro, só ela”, garantiu a delegada da Depca.

Advogada Jéssica Gamarra, que acompanhava o motorista de aplicativo, em entrevista (Foto: Kísie Ainoã)
Advogada Jéssica Gamarra, que acompanhava o motorista de aplicativo, em entrevista (Foto: Kísie Ainoã)

O motorista prestou depoimento e foi liberado. O carro, que estava apreendido, também. A advogada Jéssica Gamarra, que acompanhava o trabalhador autônomo, levou à Depca as imagens das câmeras de segurança do residencial, localizado no Bairro Monte Castelo, onde o cliente dela havia deixado a adolescente e provou a inocência dele.

Segundo a advogada, o motorista é noivo há mais de dez anos. O cliente ficou desolado, segundo a defensora, por ter o nome envolvido em denúncia de estupro, ainda mais se tratando de uma adolescente.

A delegada Franciele Candotti ainda investiga o caso.

Na delegacia, adolescente consolada pela mãe após depoimento (Foto: Kísie Ainoã)
Na delegacia, adolescente consolada pela mãe após depoimento (Foto: Kísie Ainoã)

Primeira versão - De acordo com a denúncia feita pela menina, por volta das 22h de sexta-feira (23), ela solicitou corrida, na Vila Manoel Taveira, região norte de Campo Grande, para buscar uma pizza.

O motorista supostamente havia avisado que o trajeto seria compartilhado com outro passageiro e ela aceitou. A garota narrou ainda que quando se sentou no banco traseiro, outro homem já estava no carro e o motorista seguiu.

Contou que ele pegou rota diferente da prevista no aplicativo e parou numa rua sem movimento. Foi quando o ocupante do banco traseiro do carro passou a violenta-la.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário