A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 12 de Dezembro de 2017

03/04/2012 16:09

Adolescente suspeito de agredir garoto em escola será ouvido nesta quarta

Francisco Júnior

Agressão aconteceu dentro de sala de aula no dia 27 de março. Vítima ficou com hematomas no rosto

Garoto ficou com hematomas no rosto. (Foto: Marlon Ganassin)Garoto ficou com hematomas no rosto. (Foto: Marlon Ganassin)

O adolescente de 15 anos suspeito de agredir um colega de sala no último dia 27 de março, na escola municipal Rafaela Abrão, em Campo Grande, será ouvido amanhã pela Deaij (Delegacia Especializada de Atendimento à Infância e a Juventude. Os pais dele também irão prestar depoimento sobre o caso.

A vítima tem 12 anos e devido agressão ficou com ferimentos no olho esquerdo e testa. Ele teve que ser levado para o hospital.

A agressão aconteceu durante uma aula de artes. A vítima relatou que estava no laboratório de artes, quando foi lavar o pincel que usava e, para tirar o excesso de água, fez um movimento. Algumas gotas d’água pingaram no colega, que teria ficado irritado com o gesto do garoto. “Só senti ele me enforcando e desmaiei. O que aconteceu depois, eu não sei, não me lembro de mais nada”, contou o menino.

A mãe do garoto agredido, Mônica Gonçalves de Oliveira, 38 anos, disse pretende entrar na justiça. ““Vou entrar na Justiça, meu filho não saí de casa porque está com vergonha do rosto dele”, desabafou.

A investigação do caso será dividia pela Deaij e DPCA (Delegacia de Proteção a Criança e ao Adolescente), onde o caso foi registrado.

A delegada da DPCA, Regina Márcia Rodrigues da Motta, informou que irá apurar uma possível omissão de socorro de um adulto que teria presenciado a agressão e não fez nada para impedir. Sem citar quantos são, Motta irá colher depoimentos na próxima semana.

Já a delegada Deaij, Maria de Lourdes de Souza Cano, ficará responsável em investigar a responsabilidade do agressor. Caso fique comprovada, ele responderá pela agressão, assim como seus pais.

O Conselho Tutelar também está acompanhando o caso.



Então, sendo fato que as gerações presentes se transformaram em grande parte em uma selvagem manada de paquidermes sem modos, eles não ficaram assim da noite para o dia, tampouco adquiriram esse comportamento do éter, da intuição.
Se não têm limites e se selvagens são, é porque a sociedade assim está e eles nada mais são que o espelho da maioria.
Então mudemos primeiro. O resto é consequência.
 
Madalena Sortioli em 04/04/2012 09:41:35
Lembrando que não sou a favor, contudo, da surra ou correção física HOJE. Por uma única razão: nossos pais tinham a orientação geral e maturidade para aplicar esse tipo de punição sem descambar para o espancamento ou para coisas mais graves. Tinham claros consigo os limites e seu papel. Mas a maior parte dos adultos de hoje, sequer sabem qual a diferença entre serem pais ou coleguinhas.
Então...
 
Madalena Sortioli em 04/04/2012 09:39:39
Tinha que ser uma escola da prefeitura daqui mesmo...olha fui professora de escolas da prefeitura e tenho que reclamar dos monitores de alunos que não ajudam os professores de forma alguma. Ao contrário, adoram ler revistas de perfumes e fazer crochê e papear no pátio, quando nós professores necessitamos dos 'inspetores' eles fazem cara feia e o pior muitas diretoras apoiam. Desisti da pmcg......
 
Olga Ranilo em 04/04/2012 08:52:35
Imagino qual o desvio que o agressor tem, Sr. Motta: falta de educação, limites e vergonha. Menor hoje faz o que quer e todos vem com essa de trauma, psicólogo, desvio e transtorno.
A maioria dos adultos de hoje,honestos e que têm suas famílias foram criados com RESPEITO e CINTOCÓLOGO,o psicólogo familiar que cuidava dos mais renitentes. Ninguém era ESPANCADO, mas DISCIPLINADO e só qdo precisava.
 
Madalena Sortioli em 04/04/2012 08:28:07
Imagina um guri desses dirigindo no transito daqui a algum tempo...
 
Gustavo Henrique em 03/04/2012 09:29:17
CONTINUO DIZENDO QUE A LEI DA PALMADA SE FOR APROVADA NÓS PAIS ESTAMOS ENROLADOS, AGORA, SE VC VAI CORRIGIR UM FILHO E DA UMAS PALMADAS NÃO FALTA UM VIZINHO PRA DIZER ..OLHA NÃO PODE BATER.....SÓ QUE NINGUEM AINDA PERGUNTOU COMO É A CRIAÇÃO DESSES PAIS ,DOS DOIS ADOLESCENTES....POIS MORO PROXIMO A UMA ESCOLA E VEJO QUE MUITOS ADOLESCENTES FICAM SE INSULTANDO NA SAIDA DA MESMA,,GERANDO BRIGAS....
 
SIMONE DOS SANTOS COSTA PESSOA em 03/04/2012 08:46:06
casos como este devem ser apurados e penalizados para dar exemplo para que os pais sejam mais presentes na vida dos filhos ,só mexendo no bolso deles eles vão criar mais responsabilidade
 
Walmir Cavanha em 03/04/2012 08:23:03
Houve um tempo em que Psicólogo chamava-se "cinto" ou "surra". Menor é menor e tem direito à tudo mesmo sendo mais forte que a maioria dos adultos raquíticos. Se um professor ou responsável intrometer numa briga e algum desses ... for ferido, ele será preso em flagrante por uma lista de artigos do CP.
 
Ezio José em 03/04/2012 08:00:47
Parabéns as autoridades que investigam o caso, pois toda agressão deve ser apurada e os responsáveis direto (os Pais) e os indiretos (professores presentes), devem ser punidos, o menor que agrediu deve ser tutelado por psicologos e acompanhado de perto conselho tutelar do menor, para ver se o agresor não sofre de desvio mental bipolar.
 
Roberto Motta em 03/04/2012 05:28:15
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions