A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 13 de Dezembro de 2017

24/07/2011 07:44

Adolescentes tentam burlar Justiça para entrar em festa proibida no Morenão

Paula Maciulevicius

Com as mais diversas “desculpas” para ausência de RG, adolescentes tentam convencer até com documentação falsa

Apesar de faixa visível, adolescentes ainda argumentavam que não sabiam da proibição. (Foto: João Garrigó)Apesar de faixa visível, adolescentes ainda argumentavam que não sabiam da proibição. (Foto: João Garrigó)

Na fila quilométrica de entrada, já se ouvia de longe “ingresso e documento nas mãos”. O pedido era para facilitar o trabalho dos seguranças e dificultar a tentaviva de entrada de adolescentes no evento. A festa em comemoração ao aniversário de uma boate da Capital, foi nesta noite de sábado para domingo, no estádio Morenão e contou com a presença não só dos apreciadores da música eletrônica, como do Conselho Tutelar a da Depca (Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente).

Entre revolta e desculpas um tanto esfarrapadas, o Conselho barrou mesmo, quem estava sem documento. O caso é mais comum do que se imagina e mostra que o campo-grandense não sai de casa com carteira de identificação e quando sai, não quer mostrar. Os “sem documento” tiveram que voltar para casa, ou até o carro para pensar em uma saída melhor.

Revoltado, o vendedor Bruno Vasconcelos, que disse ter 19 anos, aguardava um amigo trazer os seus documentos. “Onde consta que é obrigatório no convite ter acima de 18 anos para entrar?” questiona. Apesar de ter a maioridade, ele afirma que “dessa vez, é verdade”, diferente das mais de 50 festas que ele diz ter ido sem precisar apresentar documento. “A festa não é open bar, você não tem como provar se eu vou consumir álcool ou não, então não devia proibir”, acrescenta.

Bruno e muitos outros aguardavam para que a solução que permitisse a entrada na festa, chegasse, seja ela a desistência dos conselheiros tutelares até a chegada de um documento que “salvasse” a pele. Wendel Vicari, há três dias de completar 18 conseguiu entrar na festa, acompanhado de familiares maiores de 18 anos. A autorização dada pelo Conselho Tutelar à ele foi vista como “palhaçada”.

Por determinação judicial, equipes da Depca também foram ao evento para tentar coibir entrada de menores de 18 anos. (Foto: João Garrigó)Por determinação judicial, equipes da Depca também foram ao evento para tentar coibir entrada de menores de 18 anos. (Foto: João Garrigó)

“É o que eu acho, proibir de beber aqui dentro, sendo que lá fora pode?” pergunta. O jovem admitiu que existem jeitinhos de burlar a segurança, mas que ele nunca precisou usar, porque as abordagens feitas pela segurança foram apenas duas.

Apreensivo, o estudante Lucius Lira de Araújo, de 18 anos, surge apenas com a carteirinha de estudante em mãos e uma justificativa na ponta da língua “perdi meus documentos, mas registrei o BO”, conta à reportagem do Campo Grande News.

O documento não é considerado oficial, muito pelo contrário é visto com maus olhos pelo Conselho Tutelar pela facilidade em falsificações. “A gente sabe que é muito mais fácil de modificá-la”, completa a conselheira Poliana de Almeida, de 24 anos.

Lucius relata que nunca precisou apresentar RG porque sempre teve o nome na lista das principais festas e que a aparência de mais velho ajuda na hora de entrar. “Tenho barba sim, tirei hoje. Se ajuda? E como”, diz.

Apenas com a carteirinha com a data de nascimento errada, que segundo ele, foi preenchida por descuido no ano, o garoto aparece com 19 anos e precisa de persistência e ajuda dos pais, para conseguir entrar.

Através de uma ligação da conselheira Poliana, o pai do estudante disse a data de nascimento e ano verdadeiros, para que o filho pudesse aproveitar. “A gente só liga em último caso, quando observa informação desencontrada ou para confirmar dados que a ausência dos documentos deixa insuficiente”, explica.

Lucius que depois da “saga” entra na festa respondendo “ligaram lá em casa e falaram com o meu pai, confirmando a minha idade”.

Durante o tempo em que o Campo Grande News esteve na fila, a equipe presenciou desculpas sendo construídas, para justificar a ausência de documentos, até uma carteira de habilitação, passada por baixo da grade, para que uma adolescente entrasse se passando por alguém que já estava lá dentro.

Com as mais diversas justificativas, adolescentes tentavam explicar falta de documentos ao Conselho. (Foto: João Garrigó)Com as mais diversas justificativas, adolescentes tentavam explicar falta de documentos ao Conselho. (Foto: João Garrigó)

As justificativas são mais comuns do que a falta dos documentos. Quem trabalha no ramo da segurança que o diga, histórias não faltam. Um dos festeiros ensaia “você entra como se fosse a minha namorada. É fácil, eu consigo”, argumenta comparando à festas anteriores.

O segurança Alexandro Alves Pereira, de 24 anos, trabalha há um ano em eventos noturnos e já coleciona desculpas para contar. “A gente avisa, não vai entrar, sem documento oficial não entra. Aí eles começam a dizer que deixaram no carro, que perdeu, o amigo está trazendo, que não sabia que ia pedir”, revela. As mulheres então, ainda vão mais além “elas jogam charme para que os seguranças deixem elas entrarem”.

Uma estudante de 17 anos, responde a idade até mais baixo. Fora do colégio, a missão ali é estudar como burlar a barreira montada. Ao tentar entrar, ela foi barrada, mas ainda acredita que possa conseguir. “Vou tentar, resolver isso”, diz. Na fila, a menina ouviu da conselheira que não adianta, sem documento não entra. Ainda ali, ela nem pensava em ir para a casa, a festa parecia ser o objetivo da noite.

Ela descreve ainda como as meninas conseguem passar pelos seguranças. Com salto alto e maquiada, jogar charme para o eles também pode ajudar e às vezes, eles deixam passar, confessa.

Na fila, um pai chegou a pedir que a reportagem do Campo Grande News se afastasse porque estaria atrapalhando a “negociação” dele para a entrada do filho adolescente. O homem se ofereceu de assinar um termo e até mesmo deixar documentos pessoais para que o menino pudesse entrar, tudo em vão. “Mas disseram que podia entrar com um adulto responsável”, tentou dizer à conselheira.

A revolta também era de quem aparentava ter mais de 18 anos e não portava nenhum documento. Uma jovem chegou a desacatar a conselheira na tentativa de intimidar e ter a entrada liberada, o que também não adiantou. A regra era clara e em alto e bom som para todo mundo.

A conselheira Poliana explica a cada um que não é o Conselho Tutelar que decide quem pode entrar e sim a Justiça. “Não temos poder de liberar a entrada, estamos cumprindo ordens pensando no bem estar dos adolescentes. Mas só somos vistos como gente querendo barrar, impedir a diversão”, levanta Poliana.

Alguns documentos falsificados grosseiramente foram recolhidos e serão repassados à juíza da Vara da Infância, por caracterizar crime de adulteração. Fotocópias de certidões de nascimento, montagem pelo computador de RG e até “manual”, com o ano de nascimento rebocado, foram identificados pelos conselheiros tutelares.

Adulteração de documento “grotesca” recolhida pelo Conselho Tutelar. (Foto: João Garrigó)Adulteração de documento “grotesca” recolhida pelo Conselho Tutelar. (Foto: João Garrigó)

A fiscalização do Conselho é constante, mas ganha maior notoriedade em casos de convocação mediante determinação judicial, como no episódio deste final de semana.

Decisão - A pedido da promotora de Justiça Vera Frost, a Vara da Infância e Juventude determinou ao Conselho Tutelar, Polícia Militar e Polícia Civil que façam plantão na entrada na festa que vai comemorar o primeiro ano da boate Move Clube. O público estimado é de 7 mil pessoas.

O pedido foi feito após denúncias de que menores de 18 anos estão comprando convites para a festa movida a música eletrônica, e com venda de bebida alcoólica.

A presença de adolescentes em eventos onde há comercialização de álcool é vetada por portaria do Juizado, baseada no que determina o ECA (Estatuto da Criança e do Adolescente.

A decisão da Justiça determina que além de exigir documento de quem estiver entrando na festa, as equipes impeçam, também, a venda de bebida alcoólica a menores de idade nas imediações do estádio.



Parabens a nossa justiça,tem que ser assim mesmo,muitas das vezes vou nestas festas é a maioria e de menor nesses evento,esta corretissimo,barrar...porque se acontece algo com esses adolencentes dentro desses eventos,os "pais"acaba cupalndo quem os organizadores desses eventos,por isso te que barrar mesmo é muita das vezes os proprios pais nao sabe o que os filhos estao fazendo....por isso tem tudo sua hora!!!!
Isso impede ate mesmo de brigas ou algo parecido...
 
katiussia ramai em 25/07/2011 12:14:12
acho que a justiça devia se preocupar com coisas mais importantes do que impedir jovens de se divertir. olha quanta barbaridade acontece todos os dias, gente morrendo por nada, bandido voltando as ruas como se não tivessem feito nada. E um monte de policiais na frente de uma balada boa que acontece de vez em quando... pelo menos eles devem ter curtido o som. esse Brasil é bom demais!
 
Rafael Vieira em 25/07/2011 11:42:11
Eu acho interessante essas pessoas que saem sem documento pessoal - sem RG ora este é o documento oficial de identificação como saem sem ele?? depois ficam revoltados que são barrados, como alguem vai comprovar a identidade de alguem sem ele?
na minha opinião ta sem documento vai para delegacia
só anda sem documento quem deve ou ta aprontando
lei é lei identidade é de porte obrigatório
inclusive crianças os responsáveis devem portar o documento da criança

 
MARCEL DOS SANTOS NOBRE em 25/07/2011 11:16:12
Agora vejo da seguinte forma, quanto tem a tal expogrande, não há restrição nenhuma nos shows, que são voltados pra o lodo caipira do povo, e quando tem um evento mais sofisticado, voltado a musica eletronica ficam com esse tipo de atitude, por que proibir menores de 18 anos em ver um show de musica eletronica e não proibir então de ver essas duplas sertanejas ridiculas que vem aqui, já não se tem eventos descentes na cidade e quando alguém resolve fazer algo realmente interessante e diferente querem proibir, em que mundo vivemos?
Querem empurrar modinhas nas pessoas e proibir outras culturas de serem mais divulgadas, por isso nossa cidade fica estagnada culturalmente, vamos acordar gente.
 
Oswaldo Benites em 25/07/2011 11:15:00
E mesmo com todo essa "operação" facilmente mais de 10% do publico da festa era menor de idade!
 
Felipe Antunes em 25/07/2011 11:14:13
Muito boa atuação da Policia, Promotoria, Juizado e Conselho Tutelar, os jovens tem que aprender que a vida não se resume a baladas, tudo tem seu tempo, tem que entender que esses órgãos não estão proibindo eles de se divertir, mas sim de eles entrarem em um mundo em que ainda não estão preparados.

Parabéns a atuação da autoridades...
Tem que ser mais efetiva...
 
Jason Oliveira em 25/07/2011 11:03:20
Parabéns ao Conselho Tutelar.
 
Juliana Vilela de Paula em 25/07/2011 11:02:59
Pena que isso nao aconteça em todas as festa, pq o consumo de bebidas por crianças que se acham adultos é assustador, alem do consumo de cigarro, na minha humilde opnião esses vicios sao as verdadeiras drogas desse país, mas da dinheiro ao governo né. que Deus abençoe nossos jovens.
 
gilson alves em 25/07/2011 10:18:00
Concordo plenamente com a proibição de menores.,
mas por que, em outras casas noturnas nao fazem
a mesma coisa, principalmente umas que existem
por ai com preços populares, onde mulheres nao
paga ate meia noite. é lamentavel....
 
Valentim Lazaro Achitti em 25/07/2011 09:51:30
A medida adotada é corretíssima, haja visto a imaturidade dos adolecentes, que na sua maioria estrapolam, após ingestão de bebida alcoólica
 
Wanderley Galeano Vicente em 25/07/2011 09:41:26
Não e so em campo grande que adolecente tenta burlar a lei e entrar em festas. Eles bebem ate na frente dos pais aqui no meu municipio. Tem que serem homens.
 
Jorge Barbosa em 25/07/2011 07:26:14
Caro leitor Marcelo Nobre.
Onde se encontra que a carteira de identidade é de porte obrigatório?
Qual Lei o senhor fundamenta essa afirmação?
De porte obrigatório - em lei, se encontra a Permissão para Habilitação (CNH) quando o indivíduo estiver conduzindo veículos .. blá..blá..blá. (art. 159 CBT).
Quanto ao RG e a Carteira de Identidade, não encontrei nada em LEI QUE OBRIGUE O SEU PORTE.
 
Orlando Lero em 25/07/2011 03:43:37
Parabéns ao conselho tutelar pelo õtimo trabalho!
Baladas = somente para maiores de 18, sem choro nem vela, jovens tem que aprender a ter paciência e respeitar regulamentos.
O pior de tudo é que a noite campo grandense está cheio de molecada de 13-16 anos... vadiando e aprendendo muito cedo a beber, usar drogas, fazer sexo sem preservativo.... etc..etc...
Os pais deviam abrir o olho e procurar saber melhor os locais onde os filhinhos queridos frequentam...
 
Carlos Moura Brandão em 24/07/2011 12:50:33
Senhores conselheiros, demais autoridades. Favor observar os frequentadores da orla morena.Parabens pela presença na festa do morenão. Essa boa pratica deve continuar...
 
Jose Luiz em 24/07/2011 11:15:45
Muito bem!!! Se existe o ECA é para ser cumprido e pronto!
 
Ana Cristina Ferreira em 24/07/2011 10:49:35
Parabens ao Juiz, Policia e Conselho Tutelar, e que nao fique so nesta açao, que seja rotineira, e aos ofendidos( menores), que nao conseguiram entrar, esperem mais um poquinho, tudo na vida tem seu momentos....

E POR FAVOROOOOOO....SE BEBEREM, NAO DIRIJA........
 
Lucas Natalicio em 24/07/2011 10:13:09
Menor pode tudo.
Pode?
Quando aparecem limites, acham palhaçada, falsificam (isso não é crime?), jogam charme, estudam como burlar ordem judicial, tentam entrar com jeitinho, alegam que não sabiam da proibição, andam sem documentos, e por aí vai a nossa juventude.
Vários outros limites estão aí, mas também não são obedecidos.
Problema da fiscalizaçao não é? Não.
"Lá fora" não pode beber, eles burlam, "fingem" que não sabem da proibição, pedem pros amigos comprar.
Depois a sociedade, os pais se horrorizam com os excessos que a falta de limites impõem a sociedade e aparecem nas notícias policiais, como as dessa semana.
Nem tudo acaba mal com a pouca falta de limites, mas o que acaba com certeza começou sem limites ou com a "adrenalina" em burlar alguma coisa!
 
MARCELO GOMMES em 24/07/2011 09:56:45
Pois é... adolescentes provavelmente de classe média falsificam documentos para entrar em festa e tem apenas os documentos recolhidos. Isso é ser filho de rico. se fosse filho de pobre.......

 
Fábio Córdoba em 24/07/2011 09:56:03
A muito tempo deveria ser feita esta fiscalização, parabens por esta determinação
e acho que deve continuar isto em barzinho, boates etc...
 
sidnei da fonseca veiga em 24/07/2011 09:20:41
parabens aos organizadores desse evento
com serteza muita coisa ruim foi evitada.
 
eliane telles em 24/07/2011 09:15:58
Parabéns a justiça, em especial, ao Conselho Tutelar, realmente é necessário a presença e fiscalização constante nesses eventos, casas noturnas, bares e qualquer outro que faça a comercialização de bebidas alcoolícas. Hoje o que vemos são crianças, digo CRIANÇAS PORQUE OS JOVENS DE HOJE COM 10 À 18 ANOS POSSUEM UMA MENTALIDADE DE UMA CRIANÇA DE OITO ANOS, SALVO ALGUMAS EXCESSÕES. ELES TEM FACILIDADE EM MUITAS INFORMAÇÕES, PORÉM POUCA ABSORVIÇÃO, POUCA MATURIDADE, NENHUMA RESPONSABILIDADE E DIGO MAIS, OS PAIS EM SUA MAIORIA NÃO QUEREM TER "TRABALHO" COM OS FILHOS, PREFEREM DEIXÁ-LOS NAS PORTAS DAS ESCOLAS, FACULDADES E PRONTO. o ACOMPANHAMENTO , DIÁLOGO E COBRANÇA FICA POR CONTA DAS AUTORIDADES QUANDO DO ENVOLVIMENTO EM CONFSUÃO.
 
Fatima Rezende em 24/07/2011 08:48:12
o que devia ser feito e o seguinte , construir um recinto fechado para festas liberado para todos , e depois que todos estiverem dentro trancar o portao e liberar no outro dia todos os sobrios ou vivos assim evitaria graves acidentes e outros aborrecimentos.

é assim que querem nao é ?
 
necime l peres em 24/07/2011 08:46:02
Pó , que comédia isso em... Por mais que eles tentem nunca vão conseguir barrar todos.. + estão de parabéns pela ação tomada!
 
wendel vicari em 24/07/2011 08:28:05
Nossa, então o conselho tutelar deixou um crime passar em branco ? Apreenderam uma identidade falsa mas não prenderam o infrator. Criminoso isso, o conselho tutelar deveria responder por algum crime omissivo.
 
juliano Paulo em 24/07/2011 08:10:13
Penso que os adolescentes precisam de distração, e quanto ao conselho tutelar poderia fazer um trabalho de conscientização sobre as bebidas alcoólicas, proibir a entrada deles não adianta, pois podem ir no mercado e comprar bebidas a vontade, não existe um controle rigoroso, muitos bebem juntos com os pais.
Proibir entrada no evento é pura hipocrisia, pois os ingressos foram vendidos sem controle.
Deixa os meninos se divertirem, proporcionem segurança, ambiente tranquilo, isso dá mais trabalho, mas é o que considero certo .,










 
Celi Reis em 24/07/2011 04:29:45
O maiores problemas que esses "aborrecentes" cometem vêm, na maioria, do respaldo que recebe na família. Depois reclamam do destino que os reservam.
 
Ezio José em 24/07/2011 03:28:31
Parabéns a Promotora e ao Conselho tutelar que estão protegendo e fazendo valer a lei, o maior publico dessas festas são menores que fumam e bebem sem nenhum controle, pois estão dando lucros aos empresarios que não tem responsabilidade. Todas as festas e bares da cidade precisa desse controle, assim teriamos uma juventude mais sadia e sem violencia.
 
Norma Lucia Vieira em 24/07/2011 03:08:01
Isso mostra que os jovens de Campo Grande estão totalmente despreparados e muito mal orientado, pois o porte do RG é obrigatório, e quando ele não portar no momento de uma abordagem policial é encaminhado para a Delegacia, em relação a entrada proibida tem que barrar mesmo, pois criança tem que dormir cedo e não ficar na rua, tudo tem seu tempo. Abraços aos organizadores e ao Conselho tutelas, pois sem eles tudo vira farra, pois cade os pais destas crianças?
 
Alvaro Gomes Dias em 24/07/2011 02:52:09
QUE PENA QUE ESSE CIRCO FOI ARMADO SO NESTA FESTA, SENHORES DO CONSELHO E QUEM MAIS DEVA INTERESSAR VAMOS FAZER PLANTOES NAS BOATES, BARES E SIMILARES NOS FINS DE SEMANA AI SIM IRAO VER A BARBARIDADE QUE ACONTECE COM NOSSOS JOVENS, ALIAS CADE A HISTORIA DA LEI SECA QUE NAO SE PODE VENDER BEBIDAS ALCOOLICAS APOS A MEIA NOITE, OPA DESCULPE ESQUECI QUE MESMO SENDO LEI AS PESSOAS TEM DIREITO A UM ALVARA PARA VENDER, MAS QUE LEI É ESSA!! OQUE ACONTECEU NESTA FESTA FOI UMA GRANDE ATRAÇÃO PARA A MIDIA MOSTRAR QUE O CONSELHO ESTA TRABALHANDO, MAS DE NOVO VAMOS TRABALHAR DE VERDADE E VERAO QUE ATE ACIDENTES ENVOLVENDO JOVENS MENORES DE DEZOITO E BRIGAS POR CAUSA DA BEBEDEIRA IRAO DIMINUIR!!
 
carlos damasceno em 24/07/2011 01:51:09
Ignorancia da promotora. Campo Grande nao tem nada de bom para os jovens e tentam proibir a unica coisa boa que tem aqui.
 
lucas iki em 24/07/2011 01:33:26
Estive na festa e encontrei com pessoas que não têm 18 anos!
Apoio a decisão de barrar esse público em festas desse porte, afinal, pra tudo tem seu tempo.
 
Camila de Moura Martins em 24/07/2011 01:18:36
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions