ACOMPANHE-NOS    
ABRIL, TERÇA  07    CAMPO GRANDE 23º

Capital

Agentes encontram um criadouro de mosquito a cada 19 casas vistoriadas

Campanha de combate ao vetor da dengue chegou a quarta etapa

Por Jones Mário e Fernanda Palheta | 27/02/2020 10:46
Segundo a Sesau, agentes flagraram 15 mil depósitos de água parada durante ações (Foto: Marcos Maluf)
Segundo a Sesau, agentes flagraram 15 mil depósitos de água parada durante ações (Foto: Marcos Maluf)

Passadas três fases da campanha “Mosquito Zero” em Campo Grande, os agentes de combate às endemias já vistoriaram 19 mil imóveis. No período, mil criadouros do Aedes aegypti foram eliminados, equivalentes a um foco extinto a cada 19 casas.

Os números são da Sesau (Secretaria Municipal de Saúde Pública), que identificou também 15 mil depósitos (vasos de plantas, baldes) e recolheu 280 caminhões de entulho das residências e terrenos - total de 3,3 mil toneladas. Dos 19 mil imóveis, 20% tinham acesso fechado.

Somente na região do Bandeira, sudeste da Capital, agentes inspecionaram 4.310 casas e terrenos, flagraram 2.616 depósitos e eliminaram 226 focos do mosquito vetor da dengue, zika e febre chikungunya.

A quarta fase da campanha Mosquito Zero foi lançada nesta quinta-feira (27), na Escola Municipal Elpídio Reis, na Mata do Jacinto. A etapa intensifica as ações de combate ao transmissor de arboviroses na região do Prosa, noroeste de Campo Grande, por dez dias.

Prefeito evidenciou o trabalho dos agentes de endemias nos bairros (Foto: Marcos Maluf)
Prefeito evidenciou o trabalho dos agentes de endemias nos bairros (Foto: Marcos Maluf)

No lançamento, o prefeito Marquinhos Trad (PSD) destacou a “importância da ação dos agentes, porque é através deles que as pessoas são conscientizadas”.

A ofensiva contra o mosquito ainda vai passar pelas regiões do Centro, Lagoa e Segredo.

Boletim - Conforme últimos dados epidemiológicos divulgados pela Sesau, Campo Grande chegou a 5.863 notificações de dengue este ano, até esta quarta (26). Em uma semana, foram 719 novos casos identificados.

O total de notificações confirmadas (670) não foi alterado, bem como o número de casos graves (4) e de mortes (3).

O boletim também atualizou os dados da zika na Capital, cujas notificações subiram de 39 para 43 casos. Nenhum deles foi confirmado em laboratório.

Já as notificações de chikungunya (20) permaneceram intactas e nenhuma ocorrência foi atestada até agora.