A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 18 de Abril de 2019

05/04/2019 17:48

Aliviados, comerciantes aplaudem retirada de vagão da Orla Ferroviária

Após pedidos, Sisep retoma remoção dos trailes que se tornaram dor de cabeça na região central; vizinhos veem locais como fonte de insegurança

Humberto Marques e Liniker Ribeiro
Aliviados, comerciantes aplaudem retirada de vagão da Orla Ferroviária

A retirada de mais um “vagão” da Orla Ferroviária, no trecho próximo à Rua Dom Aquino, foi motivo de comemoração para comerciantes que trabalham na região na tarde desta sexta-feira (5). Depois de verem ser atendida a solicitação para o desmonte da estrutura, eles agora esperam que o poder público cuide para evitar que o local continue a representar perigo para si, seus negócios e clientes.

Os trailers em forma de vagões, idealizadas para servirem de atrativo gastronômico e turístico para o trecho que abrigava os trilhos da extinta Noroeste do Brasil, deixaram comerciantes no prejuízo e se transformaram em abrigos para moradores de rua e usuários de drogas.

A Sisep (Secretaria Municipal de Infraestrutura e Serviços Públicos) promete continuar a remoção das estruturas na semana que vem –vagões já foram retirados do trecho próximo à Avenida Mato Grosso, dando lugar ao monumento Maria Fumaça. A intenção é verificar quais estruturas ainda têm condições de uso para um projeto futuro de revitalização da Orla Ferroviária.

No momento em que o vagão era desmontado e retirado, comerciantes vizinhos ao local começaram a tirar fotos. Foi o que contou a costureira Filomena Maria Duarte Gomes, 48, que trabalha próximo ao local com a irmã e se mostrou animada com a medida. “Tem de soltar fogos, porque isso acabava com o nosso comércio”, afirmou, contando responder constantemente a dúvidas de clientes que consideram a região “abaixo da Calógeras” perigosa.

Filomena conta que já presenciou um dos andarilhos que se concentram na região seguir uma cliente até dentro de sua loja, onde pressionou por dinheiro. Algumas dessas pessoas, disse a comerciante, usavam os vagões para esconder drogas, dormir e fazer suas necessidades. “Causa um cheiro que faz as pessoas evitarem passar por aqui”, lamentou, creditando a situação, ainda, ao número de salas vazias naquela região do Centro.

Thiago contabiliza pelo menos quatro crimes contra seu comércio. (Foto: Kísie Ainoã)Thiago contabiliza pelo menos quatro crimes contra seu comércio. (Foto: Kísie Ainoã)
Filomena espera que região seja melhor cuidada. (Foto: Kísie Ainoã)Filomena espera que região seja melhor cuidada. (Foto: Kísie Ainoã)

Futuro – Um relato semelhante é feito por Thiago Oliveira, 32, proprietário de uma barbearia próximo ao cruzamento da Dom Aquino com a Orla Ferroviária. Ele considerou “uma benção” a retirada dos vagões, “porque ele acaba provocando muito crime”. Há oito anos na região, ele afirma já ter sido furtado pelo menos quatro vezes, “mas tem gente aqui que já foi mais de dez”.

Thiago e Filomena também têm discursos parecidos em relação ao futuro da região. Para o barbeiro, “não adianta retirar os vagões, precisa cuidar. Muitas vezes aglomera mato aqui na região e as pessoas acabam entrando, se escondendo, e fica perigoso do mesmo jeito”, disse, pedindo ainda reforço do policiamento noturno. “Durante o dia anda tendo, mas de noite diminui muito e é quando os comércios são furtados”.

“Agora com a retirada dos vagões, esse espaço, se for melhor cuidado, mais limpo, vai ajudar até mesmo a crescer a região”, crê Filomena. Seria a segunda intervenção em uma mesma região do Centro que, depois de ver a construção a Orla, assiste agora a revitalização da Rua 14 de Julho duas quadras acima.

Área liberada após remoção de trailer, prefeitura promete retirar mais vagões a partir de segunda-feira. (Foto: Kísie Ainoã)Área liberada após remoção de trailer, prefeitura promete retirar mais vagões a partir de segunda-feira. (Foto: Kísie Ainoã)


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions