ACOMPANHE-NOS    
JUNHO, SEGUNDA  27    CAMPO GRANDE 20º

Capital

Aluna confirma covid e turma de Ensino Médio fecha por 14 dias

Estudante é adolescente do 3º ano do Ensino Médio do colégio particular Nota 10

Por Paula Maciulevicius Brasil e Nyelder Rodrigues | 11/11/2020 11:37
Aluna testou positivo e pais informaram a escola sobre caso de covid. (Foto: Arquivo/Kísie Ainoã)
Aluna testou positivo e pais informaram a escola sobre caso de covid. (Foto: Arquivo/Kísie Ainoã)

Depois de uma aluna do 3º ano do Ensino Médio testar positivo para covid-19, o Colégio Nota 10, unidade da Rua das Garças, determinou a suspensão de aulas por 14 dias na turma da estudante desde essa terça-feira (10).

No comunicado informado aos pais, a escola explica que recebeu a informação do teste positivo da aluna ainda na manhã de ontem (10) e que reorganizou as aulas imediatamente. No mesmo aviso, o colégio ressalta que o último dia em que a aluna frequentou às aulas presencialmente foi na sexta-feira (6).

"Desde essa data não retornou ao ambiente escolar. Nesse sentido, retornaremos com as aulas presenciais, no dia 23/11, respeitando o prazo de distanciamento estabelecido", diz ainda a nota.

O comunicado pede aos pais que em caso de contaminação, a escola seja comunicada imediatamente.

No final de outubro, depois que funcionários testaram positivo, aulas foram suspensas por 10 dias em três escolas particulares de Educação Infantil da Capital. Os casos foram confirmados pela assessoria da Sesau (Secretaria Municipal de Saúde).

Reabertura - Depois de reabertura das escolas particulares de Campo Grande, a média móvel de pacientes de no máximo 9 anos que se encontram em tratamento domiciliar aumentou, conforme dados de acompanhamento médico da SES (Secretaria Estadual de Saúde).

No geral, até 21 de setembro, microdados da pasta indicavam 705 casos confirmados em pacientes dessa faixa etária na Capital. Até o registro mais recente, são 960 notificações positivas. Em dias mais recentes, as confirmações diárias nesse grupo têm tido redução, sobretudo nos meses de outubro e novembro.

Segundo levantamento feito pelo Campo Grande News, os casos registrados como "em tratamento domiciliar", ou seja, de pacientes diagnosticados com a doença, em quarentena, subiu a partir da reabertura. Apesar disso, mais recentemente, em 6 de novembro, esse número tem apresentado leve redução - ou seja, menos crianças são registradas como em situação de quarentena.

*Matéria editada às 14h12 para correção de informação

Nos siga no Google Notícias