ACOMPANHE-NOS    
JULHO, SEXTA  10    CAMPO GRANDE 28º

Capital

Após 26 dias presa, mulher que matou marido a facadas ganha liberdade

Em depoimento, a autora contou que foi humilhada e agredida verbalmente durante a vida toda e por isso cometeu o crime

Por Geisy Garnes | 26/05/2020 15:47
No dia seguinte ao crime ainda era possível ver manchas de sangue na calçada da casa (Foto: Arquivo)
No dia seguinte ao crime ainda era possível ver manchas de sangue na calçada da casa (Foto: Arquivo)

Após passar 26 dias presa, Maria Luíza Nogueira da Silva, de 59 anos, assassina confessa do marido, José Bonifácio da Silva, 60 anos, ganhou a liberdade. A mulher saiu da cadeia após ter habeas corpus concedido pelos desembargadores da 2ª Câmara Criminal.

O crime aconteceu na noite do dia 25 de abril, na casa onde viviam na Rua Ijuí, no Jardim Tarumã, em Campo Grande. Em depoimento, um dos filhos do casal contou que o crime foi resultado de discussão durante um churrasco entre a família.

Depois de beber uma garrafa de cachaça, José Bonifácio brigou com um dos filhos e também com a mulher. Nervosa, Maria chegou a dar três chineladas no rosto do marido e por isso foi retirada de perto dele. No entanto, voltou pouco depois já armada com uma faca e golpeou José no peito e na barriga.

O idoso foi levado para o Hospital Regional, mas não resistiu. Maria permaneceu em casa até ser presa. Em depoimento, contou que foi humilhada e agredida verbalmente pelo marido durante a vida toda e por isso cometeu o crime.

A mulher teve a prisão preventiva decretada em audiência de custódia e confirmada pelo juiz Carlos Alberto Garcete de Almeida no dia 9 de maio. Diante da negativa em revogação da prisão, a defesa da mulher recorreu ao Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul. O pedido de liberdade foi analisa pelos desembargadores da 2ª Câmara Criminal no dia 19 de maio.

Por maioria dos votos, os desembargadores decidiram pela liberdade de Maria. Para isso, determinaram medidas cautelares como comparecimento mensal de juízo e aos atos processuais, comprovação de residência e proibição de sair da cidade. Na quinta-feira, dia 21 de maio, ela deixou a Estabelecimento Penal Feminino "Irmã Irma Zorzi”.