ACOMPANHE-NOS    
SETEMBRO, QUARTA  30    CAMPO GRANDE 38º

Capital

Após 5 anos de agressões, mulher se livra de marido ao mostrar “X” em farmácia

Pedido de ajuda foi em farmácia da Capital; homem foi preso e levado para Delegacia de Atendimento à Mulher

Por Liniker Ribeiro | 16/09/2020 18:22
Casa da Mulher Brasileira, em Campo Grande (Foto: Kísie Ainoã/Arquivo)
Casa da Mulher Brasileira, em Campo Grande (Foto: Kísie Ainoã/Arquivo)

Vítima de agressões físicas e psicológicas há pelo menos 5 anos, mulher, que não será identificada, conseguiu receber ajuda para denunciar o atual companheiro por meio da Campanha “Sinal vermelho contra a violência doméstica”. Ao buscar atendimento em uma farmácia da Capital, nesta quinta-feira (16), a vítima apresentou a letra X desenhada com batom vermelho na palma de sua mão para atendente, que acionou a Polícia Militar.

Equipe do Promuse (Programa Mulher Segura), da PM, esteve no estabelecimento comercial, porém a cliente já não estava mais no local. Após conseguir informações e endereço da vítima, a equipe conseguiu encontra-la.

Relatos da mulher indicam que, nos últimos cinco anos, agressões físicas e psicológicas foram cometidas contra ela. “Eu tinha medo, me sentia acuada 24 horas em casa, oprimida até para sentar no sofá, ou assistir TV. Só fazia o que ele queria”, relata a vítima.

A mulher conta ainda, ter descoberto a dinâmica do programa pela televisão. “Eu vi na TV, vi uma mulher fazendo o X na mão. Vi que isso significa não estar sozinha, uma coisa é você procurar ajuda e não ter, mas hoje eu fui super bem atendida, me senti muito segura, tive confiança”, relatou a vítima ao Campo Grande News.

Segundo apurado pela reportagem, o marido da vítima não estava em casa no momento da chegada da equipe policial, porém foi localizado em seguida e levado à DEAM (Delegacia de Atendimento à Mulher).

Segura, a vítima agora aconselha que outras mulheres acreditem na credibilidade do programa. “As mulheres não podem acreditar que ‘vai passar’. Vem o primeiro tapa, o primeiro soco... se ele não fosse preso eu acabaria saindo de lá no caixão”, destaca.

Campo Grande News - Conteúdo de Verdade

Regras de comentário