ACOMPANHE-NOS    
OUTUBRO, SEXTA  23    CAMPO GRANDE 23º

Capital

Após 6 meses, toque de recolher termina com mais de 22 mil denúncias

A medida tinha objetivo de garantir o confinamento domiciliar e assim frear o avanço do coronavírus

Por Geisy Garnes | 15/10/2020 16:50
Equipes da Guarda Municipal durante ações de fiscalização (Foto: Henrique Kaeaminami)
Equipes da Guarda Municipal durante ações de fiscalização (Foto: Henrique Kaeaminami)

Após mais de seis meses de operação nas ruas de Campo Grande, a Guarda Civil Metropolitana encerra nessa sexta-feira (16) as ações de fiscalizações as medidas restritivas para o enfrentamento da disseminação do coronavírus na cidade. Ao longo deste período, foram feitas mais de 22 mil denúncias de descumprimento e 47 mil ligações para o número 153.

O fim do toque de recolher, um dos primeiros procedimentos para garantir o confinamento domiciliar, pelo menos no período noturno, e assim frear o avanço do coronavírus, foi confirmado nesta manhã pelo prefeito Marquinhos Trad (PSD). Ao todo, foram 207 dias em que a medida vigorou na Capital.

Segundo o balanço divulgado nesta tarde, neste período foram mais de 47 mil ligações para o 153 e um total de 22.456 denúncias de descumprimento do decreto municipal. Nas ações, 440 eventos com aglomeração foram encerrados, mais de 29 mil pessoas foram encontradas na rua durante o horário de confinamento e 111 acabaram detidas.

Ainda foram realizadas 6.193 abordagem de orientação para prevenção e controle do vírus, 9.998 fiscalizações em estabelecimentos comerciais, que renderam 350 notificações e terminaram com a interdição de outros 130.

O balanço ainda mostra que o mês com maior número de denúncias e fiscalizações foi julho, com 10.612 ligações, 5.430 de descumprimento e 5.780 pessoas abordadas no horário de recolhimento.

Segundo o secretário Valério Azambuja, o toque de recolher foi encerrado após análise de vários fatores. “Em razão do número de pessoas contaminadas hoje na capital, em razão do número de leitos também disponíveis da cidade de Campo Grande e pela avaliação técnica de que aquelas medidas adotadas em março, abril e maio, tiveram a sua eficácia e hoje praticamente não teria mais efeito nenhum um toque de recolher”, detalhou.

As ações contaram com o emprenho de 4.494 viaturas e um efetivo de mais de 10 mil guardas municipais. Agora, as equipes vão intensificar o patrulhamento em espaços e prédios públicos, assim como as rondas de prevenção a crimes de roubo e furto, fiscalização de trânsito, intervenção em casos de maus-tratos de animais, atendimento a denúncias de crimes ambientais e os trabalhos da Patrulha Maria da Penha. Também vai atender as denúncias diárias feitos pelo 153 para coibir vandalismos, depredações, pichações e outros delitos, além de prestar apoio as policiais Civil e Militar.

“A Guarda Civil Metropolitana continuará trabalhando atendendo as ligações de denúncias, principalmente de crimes contra o patrimônio público do município, atendendo também a questão da violência, por intermédio da Casa da Mulher Brasileira, a patrulha Maria da Penha”, reforçou Azambuja.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário