A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 12 de Dezembro de 2017

27/06/2013 16:36

Após briga em escola, comunidade está preocupada com segurança

Nadyenka Castro
Cristiane teme pela segurança dos dois filhos que lá estudam. (Foto: Pedro Peralta)Cristiane teme pela segurança dos dois filhos que lá estudam. (Foto: Pedro Peralta)

Quem tem filhos, netos e familiares que estudam na Escola Estadual Professor Silvio de Oliveira dos Santos, no bairro Aero Rancho, em Campo Grande, está preocupado com a segurança no ambiente escolar. Nesta quinta-feira, o colégio foi cenário de uma tentativa de homicídio, dentro de uma sala de aula.

“Estou muito preocupada com isso”, fala a artesã Cristiane Alves, 31 anos, que tem dois filhos que estudam na escola. O mais velho, de 13 anos, estuda pela manhã, mesmo período em que vão ao colégio os dois alunos envolvidos na briga.

Eles já tinham uma discórdia e hoje, quando outros estudantes e o professor saíam da sala de aula, os dois brigaram. O de 16 anos estava com uma faca e feriu o de 17.

A vítima foi socorrido pelo Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) para o Hospital Regional e o infrator foi apreendido. À Deaij (Delegacia de Atendimento à Infância e à Juventude), disse que esta foi a primeira vez que entrou armado na escola.

Apesar da declaração do garoto, Cristiane diz que funcionários já contaram a ela que alunos entram armados na escola. Segundo ela, no período matutino estudam mais adolescentes e, no vespertino, crianças.

Para a vice-presidente da Associação de Moradores do Aero Rancho, Raquel Lemos Tavares, 53 anos, para reduzir a violência no ambiente escolar é necessário que a segurança pública fique na porta. “É preciso guarda municipal e policial na escola”.

A neta de Raquel estuda na escola do Aero Rancho e situações como a desta quinta-feira, a deixam mais preocupada com a segurança da menina. Ela também teme pelos professores. “Se eles chamam atenção do aluno, os pais vão lá, brigam com eles e ainda sofrem retaliações”.

Tio de uma menina que estuda no período vespertino, André Ajala dos Santos, 28 anos, fala que apesar de ser mais calmo à tarde, também teme pela segurança da criança.

Adolescente que feriu colega disse que levou faca à escola pela 1ª vez
O garoto de 16 anos que esfaqueou o colega de sala, de 17 anos, nesta quinta-feira, foi apreendido e disse à Polícia Civil que esta foi a primeira ve...
Estudante de 17 anos é esfaqueado dentro da sala de aula no Aero Rancho
Um estudante de 17 anos foi esfaqueado dentro da sala de aula, por volta das 11 horas desta quinta-feira, em Campo Grande. Ele é aluno da Escola Esta...


...onde estão os pais desses adolescente?? educação, e respeito se aprende em casa...pode colocar guardas municipais, policia militar, bombeiro, policia civil, guarda nacional e até o exercito nas ruas, nas escola, nas praças...mas, educação e respeito se aprende em casa...onde estão os pais???
 
Ester Menacho em 28/06/2013 13:20:47
É engraçado sabe , as pessoas falam e falam , mais não adianta falar pois eu estudo nesta escola , e a direção sabe que os alunos fumam maconha na quadra , no pátio , no banheiro e até dentro das salas , mais nada é feito , bom eu não me envolvo com esse tipo de coisa e nunca me envolvi , mais falo por mim , que isso incomoda muito , e a maioria são meninos que vem de bairros rivais um dos outros , acontecem umas 3 brigas por semana .
Bom eu acho que a direção deveria ver quem deve mesmo estudar ali , eu e meus amigos não nos envolvemos com nada disso , mais é complicado , quando chegamos o cheiro de maconha é insuportável , e as provocações e brigas são frequentes !
SÓ ACHO QUE ALGO DEVERIA SER FEITO !
 
Gabriela Alves em 28/06/2013 12:55:23
disse tudo João Bras, os cuidados devem vir dos pais, mas é mais fácil colocar a culpa nos professores, policiais, são um bando de folgados que mandam seus filhos para a escola para se livrarem de responsabilidades.
 
Ronaldo Aranda em 28/06/2013 11:54:33
Os culpados disso tudo são os juízes que dão direito do adolescente praticar crimes e não serem punidos, tiram os direitos dos professores e dos pais dando lugar para esses crimes que só irão crescendo cada dia mais, quando os professores podiam dar castigo ao aluno e os pais tinham as rédeas dos filhos em suas mãos, e todos ajudavam seus pais no trabalho, isso não acontecia,dos pais só bastava um olhar,que o filho(a filha) já obedecia,e agora?menor não pode trabalhar, mas pode fumar, assaltar, roubar, brigar, matar, o que vai ser desses menores no futuro, muito me preocupo, pois aí estarão meus netos.
 
Teresa Moura em 28/06/2013 11:27:44
Até quando as autoridades, políticos e pessoas envolvidas em segurança vão esperar para fazer um projeto de lei que inclui a instalação de detectores de metais em escolas e terminais de ônibus, isso vai custar uma merrequinha em comparação aos grande rombos que essa corja tem feito nos cofres públicos e consequentemente na população.
 
Waldemiro Carvalho de Souza Leite em 28/06/2013 10:46:17
ESSA ESCOLA ESTA VIOLENTA A ANOS E NINGUÉM FAZ NADA TEM QUE COLOCAR POLICIAIS FAZER REVISTAS TANTO NA MOCHILA DE MENINOS E TAMBÉM DAS MENINAS E COLOCAR PELO MENOS 02 GUARDAS POIS UM SÓ E PERIGOSO ,NESTA ESCOLA ESTUDA TAMBÉM ADOLESCENTES DO DOM ANTONIO E PARQUE DO SOL E LAGEADO, AERO RANCHO, CENTENÁRIO, TIJUCA, TARUMA AI COMEÇA A GUERRA DE GANGUES NÃO É UM CASO ISOLADO NOSSOS GOVERNANTES TEM QUE FAZER ALGUMA COISA E OUTRA COISA ELES FUMA DROGA DENTRO DA ESCOLA E NINGUÉM FAZ NADA PORQUE DIREÇÃO, COORDENAÇÃO VAI FALAR ALGO PARA ELES E SÃO AMEAÇADOS ELES DIZEM QUE ISSO NÃO ACONTECE MAIS ACONTECE SIM . ESSA ESCOLA E UM PONTO DE ENCONTRO DE MARGINAIS TEM CRIANÇAS BOAS LÁ MAS ESTA SENDO TOMADA POR MARGINAIS MENORES DE IDADES.
 
carmen lucia da silva em 28/06/2013 10:44:10
Minhas filhas estudam em uma grande escola municipal no bairro santo amaro, e lá nunca ouvi falar de alunos armados, mas brigas na frente e dentro da escola são semanais. Praticamente todas as semanas tem. A escola nega e diz que isso não acontece, mas até polícia já foi chamada varias vezes. Se a gente liga na semede, eles ligam na escola pra reclamar por que alguém ligo pra eles, e ai a direção da escola liga pra os pais e chama a atenção dos pais por que eles não deveriam reclamar da escola... Oque fazer reclamar pra quem???
 
carolina ferreira em 28/06/2013 10:18:23
bom tempo que ia-se à escola para estudar. Respeitava-se os professores. Estudava-se a tabuada, conjugação de verbos, geografia, história e por aí as demais matérias. Hoje somam 1+1 na calculadora e ainda erram. Vivem na internet vadiando.
Depois é vale-renda, bolsa escola, drogas, bolsa-bandido.
E os pais ainda apoiam estes anjinhos. Afinal não se pode mais dar uns cascudos.
Depois vão chorar na porta da cadeia.
 
sergio silva em 28/06/2013 06:59:27
É muito triste e lamentável, mas infelizmente , a unica solução é colocar detector de metal na porta das escolas, já que a revista dos alunos é proibida, seria a melhor solução, na escola OSVALDO CRUZ , onde a maioria das pessoas acham que só tem maus elementos, o que NÃO É VERDADE, os PMS fazem revista nos alunos, porque não em outras escolas? Isso inibiria que maus elementos entrem armados na escola, evitando tragédias.
 
helena da costa andrade em 27/06/2013 23:00:04
Talvez a vice-presidente da associação de moradores desconhece que a Guarda Municipal só é responsável pela segurança dos órgãos públicos municipais e que cabem aos Agentes Patrimoniais do Estado a responsabilidade exclusiva pela segurança dos órgãos públicos estaduais de acordo com a lei 3093/2005.
 
wanderlei brauna em 27/06/2013 22:47:44
O que é preciso para manter a segurança não só das escolas, mas do país é leis que punam os infratores conforme o crime independente da idade e que o ECA seja aplicado a crianças e adolescentes de bem, assim como o "Direitos Humanos" defendam os "humanos direitos"! Cidadão deve ser tratado com tal e criminoso como criminoso, as leis do país tratam criminosos como crianças, adolescentes e cidadãos, ai nós que fazemos tudo certinho dentro da lei temos de pagar por tudo como se nós fossemos os criminosos. A justiça é cega, mas só no "brasil" ela é burra!
 
Alexandre de Souza em 27/06/2013 19:04:16
E assim mesmo tem pai que é folgado mesmo, não dá educação aos filhos e ainda quando um professor dá um ralo no filhinho do folgado ele se sente no direito de retalhar, a policia deveria chamar os pais e autua-los e manda-los falar com o promotor da infância pra eles verem o que é responsabilidade de educar seus filhinhos.
 
joao braz em 27/06/2013 18:52:25
O grande problema não é tanto a falta de policiais na escola, mas sim a educação que recebem em casa. A responsabilidade deve ser atribuida aos pais. Porque se os professores repreendem o aluno os pais acham ruim e na escola ameaçam professores.
Se passa a mão na cabeça dos filhos malfeitores, então que assuma a responsabilidade sobre seus atos. Menor idade deveria ser 12 anos....
 
alci da silva em 27/06/2013 18:32:14
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions