A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 16 de Dezembro de 2017

17/11/2014 15:58

Após ficar 3 horas de “refém”, família decide doar cão que matou gato

Lidiane Kober e Filipe Prado
Após tentativa fracassada dos bombeiros, agentes do CCZ conseguiram conter o cachorro (Foto: Alcides Neto)Após tentativa fracassada dos bombeiros, agentes do CCZ conseguiram conter o cachorro (Foto: Alcides Neto)

Depois de ficar das 11h30 às 14h40 desta segunda-feira (17) presa dentro de casa, a família do gesseiro Daniel de Oliveira, 49 anos, decidiu doar o cão que, após matar um gato, atacou os donos e não deixou ninguém sair e entrar dentro da residência. O fato ocorreu na Rua Engenheiro Édno Machado, no Bairro Santa Emília, em Campo Grande.

“Por volta das 11h30, percebemos que o cachorro estava tentando matar o gato, fomos tentar salvá-lo, mas não deu tempo e, na mesma hora, ele partiu para cima de mim”, relatou Daniel. Ao lado da filha, de 20 anos, ele saiu dos fundos da casa para o portão da frente, porém precisaram retornar, pois a porta estava trancada.

“Nisso entramos dentro do carro, até o meu irmão perceber tudo o que estava acontecendo, atrair o cão para outro lugar, o que garantiu tempo para a gente entrar dentro de casa”, continuou o dono do animal.

Ao perceber a fúria do cachorro, uma mistura de pit bull com outra raça, Daniel acionou a polícia e o Corpo de Bombeiros. Os primeiros a chegar foram dois homens da PM (Polícia Militar), que chamaram agentes do CCZ (Centro de Controle de Zoonoses).

Três bombeiros tentaram conter o cão, mas sem entrar dentro da casa. O plano era atraí-lo até o portão e imobilizá-lo com uma enforcadeira. O cachorro não caiu na armadilha e só foi contido quando os agentes do CCJ chegaram.

Ao contrário dos bombeiros, eles entraram dentro da casa e logo conseguiram prender o cão. “O pessoal do CCZ vai nos chamar para uma reunião, mas já decidimos que vamos doar o cachorro”, anunciou Daniel.

O animal está com a família há oito anos. A primeira vez que tentou atacar o dono foi há seis meses. “Na época, pensamos que isso não aconteceria mais”, comentou Daniel para justificar a decisão de continuar com o animal.

Cão não deixava ninguém entrar e sair da casa (Foto: Alcides Neto)Cão não deixava ninguém entrar e sair da casa (Foto: Alcides Neto)
Dono do cachorro decidiu entregá-lo para doação no CCZ (Foto: Alcides Neto)Dono do cachorro decidiu entregá-lo para doação no CCZ (Foto: Alcides Neto)


Doar para o CCZ é o mesmo que entregar pra Deus...
 
Max em 17/11/2014 17:41:22
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions