A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 14 de Outubro de 2019

31/10/2012 17:00

Após morte, 300 presos se recusaram a voltar a celas na Máxima

Suspeita é que o detento tenha morrido de overdose, no início da tarde

Nadyenka Castro e Luciana Brazil
Polícia foi chamada por conta do tumulto e da morte na Máxima. (Foto: Minamar Júnior)Polícia foi chamada por conta do tumulto e da morte na Máxima. (Foto: Minamar Júnior)

Cerca de 300 presos do Pavilhão 1 do Estabelecimento Penal de Segurança Máxima de Campo Grande se recusaram a voltar às celas, na tarde desta quarta-feira, após um detento ter sido encontrado morto. A situação causou tumulto no presídio.

Agentes penitenciários controlaram a situação, mas a PM (Polícia Militar), incluindo a Cigcoe (Companhia Independente de Gerenciamento de Crises e Operações Especiais) foi chamada.

De acordo com o capitão Cláudio Luiz Ferreira Muzili, do 9º Batalhão, os presidiários tomaram banho de sol e, na hora de voltar às celas, se recusaram. Após a confusão inicial eles retornaram, mas, as portas ficaram abertas, tendo sido fechadas com a chegada da PM.

A recusa aconteceu após um detento ter sido encontrado morto no pátio.  Conforme a perita criminal Thayla Venanci, a principal suspeita é que o presidiário tenha morrido de overdose.

Segundo a perita, no corpo não havia sinais de asfixia, nem de outro tipo de violência. No nariz havia pó e uma capa de caneta foi encontrada ao lado, assim como uma tampa de vasilha com pequena porção de substância que aparenta ser cocaína.

A suspeita é que a morte tenha acontecido há cerca de duas, três horas. A identificação do detento ainda não foi divulgada.

Homem é socorrido em festa com faca cravada nas costas e levado a hospital
Um homem de 39 anos deu entrada no pronto-socorro da Santa Casa de Campo Grande na tarde deste domingo (13) com uma faca cravada em suas costas, resu...
Subsecretaria abre inscrições para curso de Voluntariado em Campo Grande
A Subsecretaria de Políticas para a Juventude de Campo Grande realizará seleção de voluntários jovens para participarem de curso de voluntariado que ...


Cadê os Direitos Humanos? Nessas horas eles têm de se manifestar com mais visibilidade na mídia. Os presidiários também são seres humanos e merecem carinho e respeito por parte da sociedade. Faço votos para que cada vez mais a mídia denuncie as mazelas do sistema penitenciário e os maus tratos contra os presos. Coitadinho deles!
 
Paulo Ortega Júnior em 04/11/2012 22:26:35
Nossa Ana Bergamo, que comentário mais inteligente, sensato e humano. É isso aí, vamos generalizar tudo, e tratar todos como animais que não tem a menor chance de mudança ou recuperação. Desejando a morte de todos eles, sem ao menos fazer distinção de certos casos, estamos muito diferente deles??? Cuidado, o mundo dá voltas, e não sabemos o que pode acorrer a nós, nossos filhos, parentes ou amigos no amanhã!!! Não estou defendendo criminosos, a justiça precisa ser feita, mas vejo que aqui fora, andando livres e soltos, há pessoas com caráter igual ou pior que o deles.....
 
Mariana Matos em 02/11/2012 11:30:56
PARABÉNS ALEXANDRE DE SOUZA, OS PRESÍDIOS DO BRASIL TEM MAIS DROGA LÁ DENTRO DO QUE AQUI FORA EIS A RAZÃO PQ NENHUM VICIADO TEM MEDO DE SER PRESO, LÁ A REFEIÇÃO É NA HORA EXATA, TARADO TEM TRABALHO REMUNERADO GARANTIDO, VICIADOS TEM O DOMÍNIO DA PRISÃO E SE ALGUMA PESSOA PRESA NÃO CONSENTIR O USO INDISCRIMINADO DA TAL DROGA E RECLAMAR PARA O DIRETOR OU AGENTE ELE NÃO TEM A QUEM SE MANIFESTAR, ATÉ PQ NINGUÉM SE IMPORTARÁ E NENHUMA PROVIDÊNCIA SERA TOMADA !!! ENTREVISTA O ATUAL DIRETOR DA AGEPEN SOBRE O CASO ??!! A RESPOSTA SERA: ABRIMOS SINDICÂNCIA, COMUNICAMOS FULANO E NADAAAAAAAA !!!
 
NEI FERREIRA VILELA em 01/11/2012 09:25:08
Ótimo, menos um vagabundo.
 
Alexandre Melo em 01/11/2012 07:45:36
É piada? Detento morre de overdose dentro do Estabelecimento Penal de Segurança Máxima? Que eu saiba ali é lugar de recuperação de transgressor e se entra drogas a responsabilidade é do diretor e o mesmo teria um determinado tempo para estabelecer medidas para com os agentes para impedir que a droga chegue ao detento. Onde a reincidencia do ocorrido deveria ter a exclusão do mesmo da função e investigação federal para investigar se há conivência dos agentes. Deveria haver uma lei onde o detento que descumprir leis dentro do presídio tenha a pena dobrada e sem direito de condicional! Divulguem a idéia !
 
Alexandre de Souza em 31/10/2012 22:16:19
Hoo!!!.que pena tomara que esses outros 300, também use esta substancia.Menos vagabundos para o povo tratar
 
ana bergamo em 31/10/2012 21:00:36
ja que não querem ficar lá, colocam no presidio federal!
 
Anderson silva em 31/10/2012 19:15:59
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions