ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
JUNHO, TERÇA  18    CAMPO GRANDE 26º

Capital

Após morte de "Estrelinha", rapaz assume guarda dos irmãos e pede ajuda

"Estrelinha" morreu em dezembro depois de ser violentada na casa onde morava com mãe e irmãos

Lucia Morel e Cleber Gellio | 28/01/2023 14:04
Evandro, junto com os irmãos mais novos. (Foto: Cleber Gellio)
Evandro, junto com os irmãos mais novos. (Foto: Cleber Gellio)

A pequena Isadora, de 11 anos, foi violentada e morta no mês passado no bairro Nossa Senhora das Graças, mas os irmãos menores dela, de 3 anos e de 11 meses terão um futuro diferente. Eles ficarão sob a guarda do irmão mais velho das crianças, Evandro, de 20 anos e que mal tinha contato com a mãe, que está presa.

O pedido de guarda foi feito em 9 de janeiro último, quase um mês após o crime cometido na casa onde a menina morava, por conhecido da mãe, Maykon Araújo Pereira, 31 anos. A menina, chamada de “Estrelinha” por moradores do bairro, era quem cuidava dos irmãos mais novos e tinha certo contato com o mais velho, que agora é responsável pelos menores.

“Foi um contratempo as crianças terem ido pro abrigo no dia do crime. Se o Evandro não estivesse de serviço, ele tinha ficado com as crianças no dia”, comentou a madrasta de Evandro, Vânia Felícia da Silva, de 44 anos.

Morte da menina Isadora, conhecida no bairro como "Estrelinha" causou comoção. (Foto/Arquivo)
Morte da menina Isadora, conhecida no bairro como "Estrelinha" causou comoção. (Foto/Arquivo)

De poucas palavras, o jovem de 20 anos não quis ter o nome completo divulgado, mas contou que para cuidar dos irmãos, saiu do trabalho – ele era soldado do Exército Brasileiro – e que agora vai fazer o que puder para sustentá-los. Ele mora com a avó paterna.

Ele contou que tinha pouco contato com a mãe, mas que já presa, ela lhe telefonou, dizendo que estava arrependida e pedindo que ele tomasse conta dos irmãos. “Eu estava me estabilizando, mas saí para cuidar deles. Agora vou trabalhar na mecânica dos meus tios”, comentou.

AJUDA – Como o processo de guarda foi muito rápido – em apenas 18 dias o caso foi resolvido – a família não teve tempo de se organizar com itens como fraldas e leite em pó, bem como em móveis ideais para as crianças de 3 anos de idade e 11 meses. “A rapidez pegou a gente de surpresa”, disse Vânia. A família também pede roupas para os dois meninos, berço e itens de higiene.

As crianças ficaram em abrigo de 12 de dezembro até ontem, 27 de janeiro, quando seguiram para a companhia do irmão.

O contato para ajuda é o (67) 99854-2200 que também é o Pix de Vânia.

Nos siga no Google Notícias