A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 15 de Dezembro de 2017

18/05/2012 13:15

Após onda de assaltos, Conselho discute policiamento na Coronel Antonino

Viviane Oliveira
Durante reunião, delegado Wellington disse que a Polícia precisa da ajuda da população. (Foto: Viviane Oliveira)Durante reunião, delegado Wellington disse que a Polícia precisa da ajuda da população. (Foto: Viviane Oliveira)

Integrantes do Conselho Comunitário de Segurança da Região Central, representantes das policias Civil e Militar e comerciantes do bairro Coronel Antonino, em Campo Grande, se reuniram nesta manhã (18) para discutir formas de aumentar a segurança da região, palco de constantes assaltos, furtos e arrombamentos a caixa eletrônicos que tem acontecido na região.

Segundo o presidente do Conselho Comunitário de Segurança, Adelaido Luiz Spinos Vila, a reunião foi um apelo para a segurança pública. Nos últimos dez dias, afirma, foram registradas dez ocorrências na região - entre furtos, assaltos e explosão de caixas eletrônicos.

De acordo com comerciantes e moradores, um posto policial que funcionava na esquina da avenida Coronel Antonino, com a rua Enoch Vieira de Almeida, foi desativado há alguns anos.

Por conta disso a região que tem uma grande concentração de agências bancárias, concessionárias de veículos, lotéricas, além de outros estabelecimentos, se tornou alvo fácil para marginais.

Conforme o presidente da associação de moradores do Center Parque e Campo Dourado, Paulo César Lima de Souza, para coibir os crimes no bairro a solução é a implantação de uma base comunitária da Polícia Militar. “A região tem essa necessidade”, afirma, acrescentando que é comerciante e mora há 35 anos no bairro.

Segundo o titular da 1ª Delegacia de Polícia Civil, Wellington de Oliveira, é prioridade tirar esses bandidos de circulação. “Nós temos esse compromisso com a sociedade e precisamos da ajuda da população”, disse.

Tem que comunicar - O delegado cita, por exemplo, a importância de registrar boletim de ocorrência. “Temos que mudar esse pensamento de que não adianta. Através do registro nós vamos saber onde o crime está”.

O comandante da Ciptran (Companhia Independente de Policiamento de Trânsito), tenente-coronel Alírio Villasanti, ressaltou que precisa ser feito uma força tarefa para amenizar a violência na região.

“E importante reunião com esta para buscarmos juntos soluções para diminuir a criminalidade’, pontuou, acrescentando que será intensificado o policiamento na região para fiscalizar o trânsito.

Será feita uma operação entre o 1° Batalhão de Polícia Militar, 1° Delegacia de Polícia, Deaij (Delegacia de Atendimento a Criança e o Adolescente) e Ciptran para combater a criminalidade na região.

De acordo com Adelaido, depois de um mês será feita uma nova reunião para avaliar os resultados da operação. “Outra reivindicação da entidade é que todas as agências bancarias coloquem câmeras externas”, finaliza.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions