A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 16 de Dezembro de 2017

29/08/2013 12:11

Artigo sobre marcha evangélica também gera debate na Câmara de Vereadores

Bruno Chaves e Jessica Benitez

Publicado ontem (28) pelo Campo Grande News, o artigo “Fundamentalismo evangélico – ameaça à democracia”, escrito pelo Reverendo Carlos Eduardo Calvani, da Igreja Anglicana do Brasil, também gerou debate na Câmara Municipal. Nesta quinta-feira (29), a vereadora professora Rose Modesto (PSDB), que é evangélica, usou a tribuna do Legislativo para criticar as palavras e os termos utilizados pelo reverendo, após a realização da “Marcha para Jesus” que reuniu 40 mil pessoas em Campo Grande.

A vereadora se disse assustada com as declarações de alguém que se diz cristão. Ela definiu a marcha como um momento para reunir pessoas que acreditam e pregam a paz nas ruas. “É movimento que traz, no mínimo, coisas boas”, argumentou Rose, que se justificou dizendo que falava em nome da bancada evangélica da Câmara. “Mas acredito que os 28 vereadores me apoiam”, completou.

Durante o discurso, Rose leu trechos do artigo e citou, principalmente, a parte em que o reverendo discorre sobre os analfabetos funcionais: “Alguém em são consciência e com um mínimo de instrução ou sensibilidade consegue acreditar neles e em seus discursos? Somente os analfabetos funcionais, que pouco lêem (aliás, sequer a Bíblia lêem, ou lêem com olhares medievais) os apoiam”.

“É assim que o reverendo nos trata?”, questionou a vereadora. Rose também disse que tem respeito por todas as religiões e sabe que, no segmento do qual faz parte, existem pessoas má intencionadas. “Mas são poucas”, defendeu. Ela também afirmou que em todas as religiões existem “pessoas do bem e do mal”.

Para finalizar, a parlamentar garantiu que não irá fazer uma moção de repúdio ao reverendo e seu artigo porque “as pessoas não merecem isso”. No entanto, classificou o artigo como a fala de um líder discriminando uma religião.

Após a conclusão, uma fila de vereadores se formou no plenário. Todos queriam pedir a parte para também se pronunciarem sobre o assunto. O vereador Gilmar da Cruz (PRB), que também é pastor da Igreja Universal do Reino de Deus, disse que não sabia da existência do artigo. “Fiquei assustado com as palavras porque a marcha foi tranquila. Foram 40 mil pessoas unidas e de várias religiões”, comentou.

Flávio César (PT do B), membro da Igreja Adventista, explicou que a Marcha para Jesus foi uma grande oportunidade de adorar o Criador e abençoar a cidade.

Alceu Bueno (PSL), que estava cassado, e retornou à Câmara nesta quinta-feira (29) usou a palavra e disse que é missionário da Igreja Mundial do Poder de Deus. Ele opinou dizendo que “esse reverendo tem que procurar um psiquiatra”.

Elizeu Dionizio (PSL), filho de pastor e membro da Assembleia de Deus, falou que a marcha foi pacífica e defendeu a classe política que tem envolvimento com ingrejas. “Ninguém vai discutir placas de igrejas e a Constituição Federal garante livre arbítrio para os políticos serem religiosos”.

Alex do PT foi o único que se posicionou com ponto de vista diferente dos demais. Para ele, existe uma linha tênue entre religião e relações sociais. “Alguns lideres políticos evangélicos não sabem lidar com isso”, afirmou. “Eu acho que lideranças evangélicas estão se perdendo nesta cruzada porque estamos em momento de liberdade”, concluiu.

Fundamentalismo evangélico –ameaça à democracia.
Campo Grande não merecia, na comemoração dos seus 114 anos de emancipação, o desprazer de assistir a tal “Marcha para Jesus” organizada por pastores-...
Promotoria e prefeitura firmam acordo para recuperar área de preservação
Foi celebrado entre o MPE (Ministério Público Estadual) e a prefeitura de Campo Grande acordo para recomposição da vegetação nativa da área de preser...
Concurso recebe inscrições para 83 vagas técnico-administrativas
Seguem abertas as inscrições para o concurso que oferece 83 vagas para técnico-administrativos em Educação na UFMS (Universidade Federal de Mato Gros...


O texto do Reverendo Carlos Eduardo Calvani apenas alerta para as intenções de fundamentalistas fanáticos que têm, sim, desejo pelo poder civil, secular, e, se possível fosse, hoje mesmo fariam do Brasil uma opressiva república teocrática. Inúmeros outros teólogos estão fazendo alertas no mesmo sentido. A propósito, consultem essas fontes, pois abordam os assuntos tratados na presente matéria:
http://bharatanews.blogspot.com.br/2010/10/fundamentalistas-cristaos-evangelicos.html
http://es.wikipedia.org/wiki/Dominionismo
http://fiscaisdefiofo.tumblr.com/

 
Sandro Carvalho em 02/09/2013 23:13:03
Amigo, isso é apenas uma questão de fé e não tem nada a ver com respeito ou preconceito.
Os espíritas acreditam de uma maneira e nós cristãos de outra. São crenças diferentes, nada mais que isso!
O grande X da questão é exatamente isso: todas as religiões são diferentes, igrejas de uma mesma religião são diferentes e todo e qualquer assunto referente à fé, seja ela qual for, trata de coisas simplesmente impossíveis de se comprovar cientificamente.
Por isso, a única atitude que todo e qualquer religioso deveria ter seria a de respeitar a crença alheia e jamais ofendê-la publicamente como fez o tal reverendo.
Postura extremamente reprovável a dele, pelo título que carrega!
 
Alex Bruno Cáceres em 29/08/2013 18:28:49
Verificando o pós evento, pude perceber uma coisa. Vocês sabem no que a marcha para jesus, parada gay, show sertanejo, show de qualquer coisa, oferece para a cidade de campo grande e nós munícipes no dia seguinte ao ocorrido. Eu respondo: Lixo e muita imundices deixadas nas ruas e gramados. Pena que não se pode colocar fotos aqui neste post senão saberiam do que estou falando. Em resumo, para a natureza e seu equilíbrio, esses eventos são todos iguais.
 
Flavio Marcio em 29/08/2013 18:05:30
Pra quem tinha alguma dúvida, fundamentalismo se resume exatamente nisso, não se pode questionar, não se pode criticar, não se pode comentar algo contrário ao que se pretende demonstrar ou dizer que logo caem de pau em cima. Outra palavra que cabe muito bem no título do autor do artigo, seria arrogante, ou mesmo preconceituosa ou melhor ainda intolerante manifestação. O estado brasileiro corre sério risco de não ser mais laico.
 
Flavio Marcio em 29/08/2013 17:59:43
E o pior é que o reverendo da igreja Anglicana tem toda a razão: Os "evangélicos" querem o poder a todo custo, por isso que investem tanto na política!
 
MARCELLO MENDES em 29/08/2013 15:50:33
Segundo a reportagem, SEIS vereadores usaram a palavra na Câmara para debater sobre uma matéria de cunho religioso. Qual importância dessa matéria no dia-a-dia da nossa cidade? Ela solucionará o caos da nossa saúde pública?
Esses vereadores (inclusive um que foi cassado) deveriam se preocupar mais em fazer algo de relevante para o bem da nossa cidade.
 
Alexandre Silva em 29/08/2013 14:17:05
Engraçado. Ela diz que respeita todas as religiões. Todos os evangélicos dizem isso, mas acredito que seja da boca pra fora, pois, para eles, os espíritas todos cultuam o diabo, e afirmam que todos os espíritos são demônios. Isso é respeitar todas as religiões?
 
Silvio Sande de Moraes em 29/08/2013 13:22:25
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions