ACOMPANHE-NOS    
OUTUBRO, QUINTA  21    CAMPO GRANDE 21º

Capital

Asfaltado há 3 semanas, trecho de rua traz prejuízos a cofres público e privado

Por Bruno Chaves | 25/11/2013 17:15
Moradora conta que o problema na região é antigo, já que “apenas trechos e trechos” foram asfaltados (Foto: Cleber Gellio)
Moradora conta que o problema na região é antigo, já que “apenas trechos e trechos” foram asfaltados (Foto: Cleber Gellio)

Um pequeno trecho da Rua Lise Rose, próximo a Rua Barra Funda, no Jardim Veraneio, região do Carandá Bosque, foi asfaltado há três semanas e já causa prejuízo aos cofres públicos e privados de Campo Grande. Moradores acreditam que a obra foi mal executada.

De acordo com eles, menos de uma semana após a liberação do trecho pavimentado, a tempestade da noite de 11 de novembro arrastou todo o asfalto recém-colocado no cruzamento das duas vias.

“A primeira chuva que veio detonou tudo e ainda trouxe lama e pedra para dentro de condomínios. Ligamos na prefeitura, mas acabou que tivemos que pagar patrolas com dinheiro do nosso bolso”, contou a funcionária pública Jacilene Ferreira da Silva, 30 anos.

A funcionária pública conta que o problema na região é antigo, já que “apenas trechos e trechos” foram asfaltados. “Aqui sempre é terrível quando chove. Mas como não asfaltaram o bairro todo, as águas vêm e trazem um monte de lama”, afirma.

Recentemente, na mesma obra de asfalto da Rua Lise Rose, a prefeitura rebaixou a Rua Barra Mansa, em cerca de três quadras, para que o local não fosse inundado. “Agora temos que esperar a próxima chuva para descobrir como ficará nossa situação”, afirmou.

O Campo Grande News entrou em contato com o secretário municipal de Infraestrutura, Transporte e Habitação (Seintrha), Semy Ferraz, para conversar acerca das obras realizadas no cruzamento das duas ruas. No entanto, as ligações não foram atendidas.

Funcionária pública afirma moradores somam prejuízos com lama e pedras que invadam condomínios da região (Foto: Cleber Gellio)
Funcionária pública afirma moradores somam prejuízos com lama e pedras que invadam condomínios da região (Foto: Cleber Gellio)
Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário