A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 12 de Dezembro de 2017

27/02/2015 07:10

Assaltante matou homem que reagiu a assalto após cometer dois roubos

Viviane Oliveira
Local onde ocorreu o latrocínio, roubo seguido de morte. Hoje de manhã ainda é possível ver marcas de sangue na via. (Foto: Marcos Ermínio) Local onde ocorreu o latrocínio, roubo seguido de morte. Hoje de manhã ainda é possível ver marcas de sangue na via. (Foto: Marcos Ermínio)

Claudecir Batista Oliveira, 39 anos, morreu ao reagir a um assalto na noite de ontem (26), no ponto de ônibus, próximo ao Hotel Real, na Avenida Costa e Silva, na Vila Doutor Albuquerque, na saída para São Paulo, em Campo Grande. Ele foi ferido com dois tiros. O suspeito de ter cometido o crime, Thiago Trigueiro dos Santos, 34 anos, foi preso logo após o homicídio. Antes de assaltar Claudecir, Thiago cometeu dois roubos na região.

De acordo com a Polícia Civil, Claudecir aguardava ônibus no local, quando foi surpreendido pelo bandido, que anunciou o roubo. A vítima reagiu ao assalto e foi atingida por dois disparos, um no peito e outro no braço esquerdo. 

Após o crime, testemunhas seguiram o autor e repassaram as informações à polícia. Thiago foi preso na Rua Ramalho Urtigão com a Rua Delfina Borges. Ele estava com a arma do crime, um revólver calibre 38 com duas munições deflagradas, uma intacta no bolso e dois celulares roubados.

À polícia, o bandido confessou que havia feito três roubos na região e no último atirou contra a vítima. Ele foi preso em flagrante e levado para a Depac (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário) da Vila Piratininga. O caso foi registrado como roubo, que resultou em morte.

A arma que o bandido usava foi apreendida. (Foto: Marcos Ermínio) A arma que o bandido usava foi apreendida. (Foto: Marcos Ermínio)

Antes do homicídio - Antes de matar Claudecir, Thiago cometeu dois roubos um seguido do outro. As vítimas estavam em ponto de ônibus. Ele chegava armado, anunciava o assalto e fugia a pé.

Uma das vítima de Thiago, uma jovem de 22 anos, contou que por volta das 18h20 estava no ponto de ônibus da Avenida Eduardo Elias Zahran, atrás do Cemitério Santo Antônio, quando o autor anunciou o assalto. O bandido fugiu levando o celular da moça.

A outra vítima, um estudante de 23 anos, esperava o ônibus no ponto em frente ao Atacadão e foi surpreendido por Thiago, que anunciou o roubo e pediu o celular do rapaz. Após o assalto, o autor fugiu. O terceiro assalto, terminou com a morte de Claudecir.

Homem morre após ser baleado em ponto de ônibus na Gury Marques
Um homem morreu após ser baleado, por volta das 19h desta quinta-feira (26), na avenida Gury Marques, em Campo Grande. O Corpo de Bombeiros chegou a ...
Sesau e SES recolhem quase 10 toneladas de lixo no Jardim Noroeste
A ação de recolhimento de lixo realizada em casas e terrenos baldios no Jardim Noroeste - bairro localizado na regiões leste de Campo Grande - somou ...
Apae recebe doação de brinquedos da campanha Compartilhe o Natal
Foi iniciado nesta segunda-feira (11) a entrega de brinquedos arrecadados na campanha "Compartilhe o Natal", realizado pelo Ministério Público Estadu...


Os direitos humanos da apoio a família do rapaz assassinado????.............Sabe no nome daquela ilha norte americana no Pacífico........ Há vai....... Vai sim dar ajuda....... Mas pensa se ele ao menos impedisse o assalto, ele com certeza seria preso por: constrangimento ilegal do bandido, agressão, exercício ilegal da profissão de segurança e por impedir que o bandido exercesse a função dele..... Isso é Brasil dos brasileiro...... Há só mais uma coisa que já ia esquecendo.......... Vem por ai mais um aumento no preço da energia elétrica aguardem..............
 
Geovane Tiburcio de Souza em 27/02/2015 11:30:50
A Polícia agiu rápido e prendeu o meliante que assassinou o cidadão de bem, mas o que me revolta é que esse mesmo meliante vai tomar café da manhã, almoçar e jantar às custas do Estado; vai chegar na cadeia se vangloriando do seu feito criminoso, pois, orgulha-se de ser " vida Louca" (na linguagem dos criminosos) e logo em seguida irá para a penitenciária Máxima de Campo Grande onde a ressocialização ou reinserção social em futuro próximo é simplesmente uma utopia. Mas sou otimista, porque acho que sem dúvidas nenhuma, os representantes dos direitos humanos irão dar apoio para a família desse homem de bem assassinado por esse marginal.
 
Renato em 27/02/2015 10:00:31
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions