A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 16 de Outubro de 2019

31/08/2019 10:54

Atraso de repasse da União para obra na Ernesto Geisel chega a R$ 4 milhões

"Graças a Deus, as duas empresas, que são de fora, têm ‘gordura’ para bancar esse atraso", diz Marquinho

Aline dos Santos e Tainá Jara
Marquinhos (à esquerda) participou neste sábado de lançamento de ciclofaixa. (Foto: Tainá Jara)Marquinhos (à esquerda) participou neste sábado de lançamento de ciclofaixa. (Foto: Tainá Jara)

O atraso no repasse do governo federal para revitalização do entorno do Rio Anhanduí, na avenida Ernesto Geisel, já atingiu R$ 4 milhões e as obras só seguem porque as empresas têm caixa para manter os trabalhos. A Prefeitura tem reclamado de demora nos repasses desde o começo do ano.

“As pessoas estão na confiança de receber os valores. Graças a Deus, as duas empresas, que são de fora, têm ‘gordura’ para bancar esse atraso, se não já estaria parado”, afirma o prefeito Marquinhos Trad (PSD). Neste sábado (dia 31), ele particou de lançamento de ciclofaixa. 

Com valor de R$ 52 milhões, a obra, dividida em três lotes, é realizada pelas empreiteiras Gimma e Dreno, respectivamente de São Paulo e Paraná. O trecho é entre as ruas Santa Adélia e Aquário. A obra atende diretamente moradores dos bairros Marcos Roberto, Jockey Clube, Jardim Paulista e Vila Progresso.

O Rio Anhanduí recebe águas das bacias dos córregos Prosa e Segredo. Ao longo dos anos, os problemas se acumularam em assoreamento do leito, destruição dos barrancos, degradação ambiental e destruição do asfalto (engolido pela erosão).

imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions