ACOMPANHE-NOS    
JULHO, DOMINGO  25    CAMPO GRANDE 28º

Capital

Buraco na MS-040 causa acidente com carreta e deixa prejuízo de R$ 150 mil

Por Mariana Rodrigues | 18/02/2021 10:01
Foto mostra buraco no Km 111 da MS-040 onde ocorreu o acidente envolvendo a carreta do empresário Diogo Alex Vaz Peres, 52 anos. Foto: Direto das Ruas.
Foto mostra buraco no Km 111 da MS-040 onde ocorreu o acidente envolvendo a carreta do empresário Diogo Alex Vaz Peres, 52 anos. Foto: Direto das Ruas.


O empresário e pecuarista Diogo Alex Vaz Perez, 52 anos, teve um prejuízo de cerca de R$ 150 mil após uma de suas carretas se envolverem em um acidente na MS-040. O veículo estava carregado com gado e teve cinco pneus estourados após passar por um buraco no km111 que estava coberto com água da chuva.

Segundo informações de Diogo, o acidente ocorreu no dia 4 de fevereiro, por volta das 18h. Eram duas carretas Volvo 540 carregadas com vacas paridas que carregaram em Bataguassu destino a Bandeirantes estavam voltando para Campo Grande.

“Um dos motoristas da carreta, que estava na frente, percebeu que havia um carro de passeio parado com pisca alerta ligado. Esse carro teve dois pneus dianteiros estourados após passar por esse buraco e por medo de que ocorre acidente maior, ele andou mais alguns metros e ficou na lateral da via”, conta.

Uma das carretas da empresa de Diogo percebeu o carro com pisca alerta ligado, mas não viu o buraco, no momento chovia e o buraco estava coberto por água. “Bateu no buraco, estourou ao todo cinco pneus e arrancou o eixo”, explica. Diogo lembra ainda que o motorista perdeu o controle do veículo e a carreta foi arremessada para a lateral da rodovia, parando no meio do mato.

O motorista da carreta teve ferimentos leves e Diogo conta que perdeu 16 bezerros e 17 vacas.  Diogo contratou peritos para que o laudo do local do acidente fosse feito. De acordo com o documento, o buraco aberto no via tem aproximadamente 32 centímetros de profundidade. “O veículo estava na velocidade normal da via e no momento do acidente, no mapeamento e rastreamento feito pela perícia consta que a carreta estava em 62,5 quilômetros por hora”, conta.

O empresário reclama da falta de infraestrutura ao longo da MS-040, conhecida pelos vários acidentes registrados. “No km 148 e 149, está horrível, alguns motoristas chegam a passar pela contramão para desviar dos buracos porque já conhecem esse trecho. No km 111 (onde ocorreu o acidente) é isolado e estava coberto pela água da chuva”, diz.

De acordo com Diogo, só no dia 4 de fevereiro foram seis, contando com o da carreta de sua empresa. “No dia do acidente foram seis acidentes no intervalo de apenas uma hora, mas só danos materiais. Todos causados pela cratera aberta”.

Agora, Diogo conta que as próximas medidas a serem tomadas será entrar com uma ação contra o Estado. “Se fosse um caso isolado poderia alegar descuido, mas foram seis veículos no mesmo dia”. Ele ainda não registrou boletim de ocorrência, pois como teve vítimas precisa da liberação do prontuário médico que fica pronto em 15 dias. A Polícia Rodoviária Estadual, responsável pela via não foi acionada após o acidente.  A carreta foi retirada do local por um guincho após ter a carga esvaziada.

Buraqueira

No dia 13 de fevereiro leitor flagrou vários buracos na MS-040 até chegar a Santa Rita do Pardo, a 266 km da Capital. De acordo com o condutor, haviam pelo menos cinco pontos distintos em que os motoristas precisavam ter ainda mais atenção com a buraqueira.

O motorista contou ainda que o movimento na rodovia era mais de caminhões. A MS-040 se tornou caminho alternativo para chegar a São Paulo e escapar dos pedágios da BR-163, administrada pela CCR MSVia.

A MS-040 foi asfaltada em 2014 ao custo de R$ 300 milhões. Quatro anos depois o governo do Estado investiu R$ 640 mil para reparos, principalmente em trechos mais próximos a área urbana dos dois municípios.

No último dia 15, um caminhoneiro, de 55 anos, morreu em acidente, por volta das 10h dessa segunda-feira (15), na MS-040, continuação da Avenida Três Barras, em Campo Grande. O caminhão-caçamba bateu de frente com veículo de colega em trecho da rodovia a cerca de 5 km do anel viário.  O pneu de um dos veículos também estourou, porém não há informações de que seria por conta de buracos na rodovia.

Manutenção- Conforme informações da Agesul (Agência Estadual de Gestão de Empreendimentos), rodovias estaduais que integram os caminhos de escoamento da produção agrícola, cuja colheita de grãos se iniciou em algumas regiões, estão recebendo atenção especial om serviços emergenciais de recuperação do pavimento e revestimento primário.

Na MS-040, entre Campo Grande e Santa Rita do Pardo, por exemplo, os serviços tem sofrido uma sequencia de interrupções devido as fortes precipitações por conta da chuva. Em janeiro, as quatro equipes da Agesul trabalharam apenas uma semana no trecho.




Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário