ACOMPANHE-NOS    
OUTUBRO, SÁBADO  31    CAMPO GRANDE 18º

Capital

Cabeleireiro desaparecido há 24 horas é encontrado morto no Rio Anhanduí

Desde ontem a família procurava por Jorge Alexandre Hattene, de 33 anos

Por Geisy Garnes, Marcos Rivany e Aletheya Alves | 22/09/2020 15:39
Corpo foi visto por pessoas que passavam pela avenida Ernesto Geisel. (Foto: Direto das Ruas)
Corpo foi visto por pessoas que passavam pela avenida Ernesto Geisel. (Foto: Direto das Ruas)

O corpo do cabeleireiro Jorge Alexandre Hattene, de 33 anos, foi encontrado no meio da tarde desta terça-feira (22) no Rio Anhanduí, na avenida Ernesto Geisel, em frente ao Shopping Norte Sul Plaza.

Equipes do Corpo de Bombeiros foram chamadas para o resgate e várias pessoas que passaram pelo local pararam para acompanhar os trabalhos. A vítima foi encontrada no meio do rio, presa entre as pedras, já que o nível da água está baixo. Ainda não há informações oficiais sobre o motivo da morte.

A família de Jorge também está no local. Ao Campo Grande News, o irmão dele Rodrigo Hattene explicou que estava andando pela região a procura de Jorge e percebeu funcionários do shopping olhando para baixo, por isso se aproximou e imediatamente o reconheceu.

“A gente recebeu imagens de câmera de segurança do shopping, mostrando ele saindo sentido centro. Aí vim pra cá andar, ver se a gente encontrava algo. A gente viu os funcionários olhando para baixo, muita gente acumulando e vim ver também. Só olhando aqui de cima, percebemos que era ele. Eu cheguei primeiro e depois a minha família, infelizmente é ele, é o Jorge. Bombeiros nos falou que poderia ser ele, mas só de cima vimos que é ele”, lamentou.

Jorge foi visto pela última vez na mesma região, depois de ir até o shopping com um motorista de aplicativo, ontem, por volta das 15 horas. Desde então a família procurava por ele. O cabeleireiro sofria de depressão e desde sábado (19) já dava sinais do retorno da doença. “Já chamamos a Pax e agora estamos esperando para ver o que fazer”.

Militares já estão no local para fazer o resgate, mas ainda aguardam a Polícia Civil e a perícia. Enquanto isso, o local foi isolado. Ainda assim, a multidão tenta se aproximar, muitos tentam filmar a situação. A família de Jorge chegou a pedir para que os registros não fossem feitos, mas não foram atendidos.

(Matéria alteradas para acréscimo de informações)

Família e amigos de Jorge foram ao local para acompanhar o resgate (Foto: Paulo Francis)
Família e amigos de Jorge foram ao local para acompanhar o resgate (Foto: Paulo Francis)
Corpo foi encontrado no meio do rio, preso entre as pedras (Foto: Paulo Francis)
Corpo foi encontrado no meio do rio, preso entre as pedras (Foto: Paulo Francis)


Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário