A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 12 de Dezembro de 2017

16/10/2014 17:29

Calorão de 41º C castiga passageiros em espera de até 18h na Rodoviária

Filipe Prado
Os passageiros observaram a falta de ventiladores e ar-condicionado e sofreram com o calor (Foto: Alcides Neto)Os passageiros observaram a falta de ventiladores e ar-condicionado e sofreram com o calor (Foto: Alcides Neto)

Sem ar-condicionado ou ventiladores, os passageiros que passaram pelo Terminal Rodoviário Senador Antônio Mendes Canale, em Campo Grande, sofreram com o calorão, que chegou a máxima de 41º C na tarde de hoje (16), conforme o Inmet (Instituto Nacional de Meteorologia). Houve até passageiro que foi castigado pelo forte calor pela espera por 18 horas para embarcar e precisou “dar um jeitinho” para se refrescar.

A diarista Juliana Nunes Chaves, 33 anos, chegou à rodoviária por volta do 12h, mas conseguiu comprar uma passagem para Primavera do Leste (MT) com o embarque às 6h30 de amanhã (17). Ela irá esperar por cerca de 18 horas e, com dois filhos, já começou a sofrer com o calor.

“Não compensa ir para casa com todas estas malas, o jeito é esperar”, comentou o diarista. De tanto calor, ela precisou tirar as camisetas dos meninos e amenizar a temperatura. “Deveria ter uma infraestrutura melhor, já que muitos ônibus atrasam e temos que esperar aqui”, afirmou.

O gaúcho Everaldo Dal Santo, 41, quase todos os meses desembarca em Campo Grande, para seguir até Inocência. Desde às 9h manhã na Capital, ele conseguiu embarcar somente às 15h30 e comprou um sorvete para amenizar o calor.

“Aqui necessita de uma ventilação. Por que muitas pessoas ficam aqui por muito tempo”, admitiu Everaldo. Morando no Rio Grande do Sul, ele comparou as rodoviárias dos dois Estados e preferiu a do sul, já que a “assistência para o passageiro é melhor”.

Juliana tirou a camiseta dos filhos para amenizar o calor (Foto: Alcides Neto)Juliana tirou a camiseta dos filhos para amenizar o calor (Foto: Alcides Neto)

Mas teve passageiro que, sem opção, tentou se refrescar tomando água. “Já tomei uma três garrafas cheias de água e não agüento mais, porém ainda estou com calor”, assumiu Rute Borges, 39, que ficou cerca de três horas esperando o ônibus.

Já o militar do exército Jonatan Wiliam, 18, usou a água e o refrigerante para espantar o calor, mas sugeriu que um ventilador e um umidificador de ar fossem colocados pela rodoviária. “Está muito quente e a gente quase não vê ar-condicionado por aqui”.

De acordo com o Inmet, a mínima em Campo Grande pode chegar em 23ºC e a máxima 41º, com ventos fracos ou moderados. A umidade relativa do ar varia entre 60%, máxima, e 20%, mínima.

O instituto emitiu um alerta, na tarde de ontem (15), para condições meteorológicas favoráveis à ocorrência de uma onda de calor em Mato Grosso do Sul, além de São Paulo (exceto no Vale do Ribeiro e no litoral), centro, sul e leste do Mato Grosso e no oeste, centro e sul de Goiás.

Everaldo usou o sorvete para acabar o calorão (Foto: Alcides Neto)Everaldo usou o sorvete para acabar o calorão (Foto: Alcides Neto)
O militar Jonatan bebeu muita água e sugeriu colocar ventiladores e umidificadores no terminal (Foto: Alcides Neto)O militar Jonatan bebeu muita água e sugeriu colocar ventiladores e umidificadores no terminal (Foto: Alcides Neto)


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions