ACOMPANHE-NOS    
SETEMBRO, QUARTA  23    CAMPO GRANDE 31º

Capital

Caminhão derruba fios de telefonia e trânsito fica caótico próximo ao Mercadão

Circulação de veículos chegou a ser interrompida na Rua 15 de Novembro, enquanto na 14 de Julho houve congestionamento

Por Liniker Ribeiro e Aletheya Alves | 03/08/2020 15:35
Funcionárioa da Energisa auxiliando em ocorrência onde caminhão derrubou fios de telefonia, na Capital (Foto: Kísie Ainõa)
Funcionárioa da Energisa auxiliando em ocorrência onde caminhão derrubou fios de telefonia, na Capital (Foto: Kísie Ainõa)

O trânsito na Rua 15 de Novembro precisou ser interrompido, no início da tarde desta segunda-feira (3), após caminhão passar pelo Centro da Capital e derrubar fios de telefonia. A situação provocou congestionamento em pelo menos duas quadras da via e também deixou o trânsito lento na Rua 14 de Julho.

Segundo comerciantes, tudo aconteceu por volta das 13h30. O veículo, que seria utilizado em entregas, não parou após enroscar na fiação. “Ele passou muito rente ao meio-fio e a fiação já estava baixa, daí saiu arrastando tudo”, conta o garçom Aldo Sanchez, de 21 anos.

Trânsito ficou bastante tumultuado no cruzamento das Ruas 15 de Novembro e 14 de Julho (Foto: Kísie Ainoã)
Trânsito ficou bastante tumultuado no cruzamento das Ruas 15 de Novembro e 14 de Julho (Foto: Kísie Ainoã)

Vídeo gravado no local mostra o improviso de motoristas que, sem saberem se algum fio de energia elétrica havia sido atingido, optaram por subir na calçada para seguir pela Rua 15 de Novembro, sentido Mercado Municipal.

Equipe da Energisa, concessionária responsável pela distribuição de energia elétrica, em Campo Grande, foi acionada. Porém, segundo apurado pela reportagem, os fios atingidos seriam todos de telefonia.

Mesmo assim, o trânsito foi interrompido na Rua 15 de Novembro, entre a Rua 14 de Julho e a Avenida Calógeras.

Devido o acidente, o serviço de internet deve ser afetado no período da tarde. “Acabei de receber o comunicado informando que vamos ficar sem internet porque vão retirar os fios caídos”, revela preocupada a atendente Vanessa Aparecida Silva, de 26 anos.

Ainda segundo ela, esta não foi a primeira vez que a região foi prejudicada devido a acidentes semelhantes. “É bem normal esse tipo de coisa acontecer, porque a fiação aqui é baixa”, explica.